Segundo o presidente da Emater, o plantio do fruto na região faz parte da cultura local

Rondônia possui 90 mil propriedades de agricultura familiar e o cultivo do urucum na região existe há mais de 20 anos. Da semente do urucum é extraída uma substância chamada bixina, que é usada como colorífico e corante nas indústrias alimentícias, farmacêuticas, têxteis, de cosméticos e de perfumarias.

A demanda pela matéria-prima no mercado está em alta desde que a Organização Mundial de Saúde (OMS) propôs o uso limitado de corantes sintéticos, principalmente nos alimentos, para evitar eventuais ações cancerígenas.

Em entrevista ao programa Nossa Terra, da Radio Nacional do Amazônia,  o presidente da Emater Rondônia, Francisco Mendes Sá Coutinho, diz que o plantio de urucum é “uma cultura”  da região e  tem levado “bons resultados para a agricultura familiar”.
Baixar áudio

Comentários

comentários