Dr Hildon quer revitalização total do prédio para que seja reaproveitado pela prefeitura

A responsabilidade sobre a gestão do Prédio do Relógio foi solicitada na manhã desta sexta-feira (20) pelo prefeito de Porto Velho, dr Hildon Chaves ao secretário-chefe da Casa Civil do Estado, Emerson Castro, cinco dias depois do imóvel histórico completar 67 anos. O pedido será agora encaminhado ao governador Confúcio Moura, para que opine sobre a transferência ou não para a prefeitura. Dr Hildon quer promover uma reforma e revitalização geral do prédio para que seja reaproveitado pela administração municipal.

Antes de se reunir com Castro, o prefeito esteve no prédio acompanhado do presidente da Funcultural, Antonio Ocampo, onde procurou observar detalhadamente cada ambiente do imóvel. Dr Hildon ficou preocupado com a situação de degradação, cujas paredes em vários pontos apresentam sinais de infiltração, mofo e outros.

O prédio foi construído no início dos anos 50 para abrigar a antiga sede administrativa da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. Ao longo do tempo abrigou vários outros órgãos, inclusive a presidência do extinto Banco do Estado de Rondônia. Há mais de dez anos não recebe uma reforma geral e vem sendo subaproveitado pelas secretarias estaduais de Turismo e de Esportes e Lazer. Com área de 1500 metros quadrados, o prédio tem concepção arquitetônica criada pelo arquiteto Armando Costa, do Rio de Janeiro, baseada em uma locomotiva estilizada.

UNISP

Durante a reunião, Emerson Castro aproveitou para solicitar a intervenção do prefeito no sentido de agilizar a liberação do habite-se de três Unidades Integradas de Segurança Pública (Unisp) que estão há quase seis meses concluídas e equipadas, mas ainda não entraram em funcionamento porque o construtor não conseguiu ainda a liberação do documento junto à prefeitura.

O prefeito prometeu tomar providências imediatas para que os documentos sejam liberados até o início de fevereiro. “Esse é mais um dos gargalos que vamos destravar. Imagine a prefeitura atrapalhando a segurança da cidade!”, admirou. Segundo Emerson Castro, as Unisps reunirão num mesmo ambiente as polícias técnica, civil e militar e Bombeiros e irão substituir as velhas delegacias de polícias espalhadas por essas regiões da cidade.

Texto e fotos Comdecom

Comentários

comentários