MISTÉRIO: Quem seria o casal 171 da política rondoniense? – O Combatente