Os servidores públicos municipais, apoiando a iniciativa do Sindicato a qual os representa, SINSEZMAT – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais da Zona da Mata, decidiram na última assembleia dia 09 de dezembro de 2016, caso o executivo não exercesse com seu compromisso de pagar em dia, iriam tomar medidas a serem adotadas, inclusive com a possibilidade de greve geral no mês de fevereiro.

No dia 30 de janeiro, reuniu-se no gabinete do executivo municipal a diretoria executiva do Sindicato com a comissão de negociação do executivo para tratar sobre a pauta de vindicação de 2017 e durante a negociação o secretário de finanças, “disse que não haveria possibilidade de efetuar o pagamento de janeiro até quinto dia útil de fevereiro, mas firmou o compromisso da quitação da folha de pagamento até o dia 14 de fevereiro”. No dia 02 de fevereiro o sindicato realizou uma assembleia e a categoria decidiu por suspender o movimento e aguardar o cumprimento do compromisso firmado com a MENP (mesa de negociação permanente).

Executivo municipal não realizo o pagamento da remuneração do mês de janeiro, conforme acordo com o SINSEZMAT e ainda não efetuou o pagamento das férias do pessoal de apoio a educação que deveriam ter pago no mês de dezembro de 2016.   A cada dia que passa aumenta a frustração dos servidores em relação a administração municipal.

Mais uma vez o executivo quebra o acordo coletivo celebrado com a direção do sindicato. Vários servidores receberam depois do dia 20. Como sabemos, os salários dos servidores têm natureza alimentícia, razão por que seu pagamento deve ter prioridade em relação a muitas outras despesas. Isso parece não ter sido levado em consideração para o executivo, ressalta o presidente do SINSEZMAT, Jose Luiz Alves Felipin.

É fundamental que haja a segurança nas negociações, mas do jeito que administração vem agindo fica difícil acreditar nos acordos firmados. Ocorre que jaz faz mais de um ano que essa luta vem se arrastando até o presente momento o pagamento do salário dos servidores não retornou ao 5º dia útil, conforme acontecia. A situação dos servidores é total insegurança.

Só queremos que se cumpram os acordos firmados com os trabalhadores, que a administração municipal cumpra o que está legislação. Por este motivo, o SINSEZMAT realizará uma assembleia para tomar as medidas cabíveis e outras providências legais, frisou Felipin.

Fonte: Assessoria/SINSEZMAT

 

Comentários

comentários