Elas são poucas, mas têm muito valor. No governo Hildon Chaves, por exemplo, as representantes do sexo feminino estão tendo resultados altamente positivos. Ivonete Gomes, neófita nas lides políticas, embora uma jornalista já no ramo há anos, conseguiu transformar a antes pequena e quase imperceptível Secretaria de Esportes, numa entidade viva, participante ativa na vida comunidade. Deu uma geral nos ginásios esportivos; inventou atrações com participação de grande público; liderou o Dia do Desafio, que teve a participação direta de quase 45 mil pessoas, nessa semana e parece sempre estar ligada nos 220 volts. Não é só ela.  Outra personagem destacada é a secretária da Semur, Márcia Luna. É uma técnica, do primeiro time de Hildon Chaves, que comanda uma área das mais sensíveis, porque é a responsável também pela regularização fundiária,a Capital. Experiente, corretíssima, Márcia dá um tom de seriedade e respeito, com sua participação, na administração municipal. Por aqui, as mulheres estão mostrando serviço…

Mas nem tudo são flores para elas. Ainda falando sobre elas, tem se que falar em uma delas, que  foi muito injustiçada nessa semana. Apenas por uma questão técnica (os termos da defesa foi enviada por email, como a grande maioria dos juízes aceitam atualmente), a juíza que decidiu sobre o caso da prefeita de Pimenta Bueno, não aceitou a forma de encaminhamento da defesa e condenou Juliana Roque à perda do cargo. Claro que é em primeira instância, mas é daquelas coisas que deixam os envolvidos com o mundo Jurídico de queixo caído. No Fórum onde o caso foi julgado, a exigência era de que o documento da defesa fosse usado por Fax, como se isso ainda fosse fartamente usado. Todos sabemos que é um equipamento superado, em tempos de modernidade.  Pior: no Fórum não tem fax. Há dezenas de exemplos  de magistrados, em todas as instâncias, que há muito aceitam e reconhecem serem válidos documentos enviados por email.  Sem julgar o mérito do caso e apenas determinando a pena por questiúnculas burocráticas, a decisão poderia, se não houvesse recursos,  tirar do poder uma mulher eleita pelo voto direto e que, em pesquisa recente, foi escolhida a melhor comandante de Prefeituras no Estado. Certamente o bom senso vai ser usado em instâncias superiores, corrigindo o grave erro cometido em primeira instância. No final, entre batalhas e injustiças, as mulheres vão tomando contra de espaços cada vez maiores. Ainda bem!

 

 

 

 

POBRE CORREIOS!

O empresário Uyrandê Castro foi mais uma vítima do terrível, incompetente e lamentável serviço que tem prestado os Correios, em Rondônia e no Brasil todo. Ele comprou um medicamento que deveria chegar em 15 dias. Chegou com 32 dias depois da compra. Tem coisa pior? Tem sim. Funcionários dos Correios não acharam o endereço e, em pleno final de semana, quando Uyrandê não podia fazer nada, sua encomenda simplesmente foi devolvida a São Paulo. Há muitas outras vítimas do tenebroso serviço dos Correios (que já foi a segunda instituição mais respeitada pelo povo brasileiro, antes do PT destruí-la): o professor João Paulo Viana, da Unir, que esperou uma mercadoria do Sedex por 10; o radialista Beni Andrade, que há dois meses espera por uma encomenda de São Paulo e o jornalista Domingues Junior, que recebeu uma encomenda 60 dias depois. É isso que fizeram com os Correios no Brasil. Destruiram uma das mais importantes estatais que tivemos, centenária, num curto espaço de 12 anos.

 

BARBOSA NO DIRETO AO PONTO

Um dos nomes mais respeitados no contexto do Judiciário rondoniense, o desembargador Gilberto Barbosa é o entrevistado do programa Direto ao Ponto, desta semana. O bate papo com Sérgio Pires vai ao ar na  Record News (Canal 58, na TV aberta); na SKY, Canal 358 e na TV a Cabo, Canal 17, simultaneamente, às 11h30 da manhã e reproduzido no site Gente de Opinião, a partir do domingo. Ele fala sobre a situação política nacional; a Lava Jato; a importância do Judiciário para o país e, até sobre a política local. Nome que tem sido citado como um potencial candidato ao Governo do Estado, o dr. Gilberto não nega, mas diz que só falará sobre o tema depois de deixar a toga, o que acontecerá no final deste ano. Vale a pena acompanhar…   

 

A SEMUSA RESPONDE

Sempre que detectados, os problemas relacionados com a Maternidade Mãe Esperança, na Capital, assim como postos de saúde ou qualquer outros locais onde eles apareçam, imediatamente são levantados e, ao mesmo tempo, há a busca de esclarecimento e busca de solução. O secretário municipal de saúde, Alexandre Porto, um profissional extremamente competente e dedicado, que está tentando ao menos amenizar a crise numa saúde que ele recebeu em estado de penúria, diz que qualquer denúncia, reclamação ou evento que não seja considerado dentro do normal e da correção do atendimento, é sim investigada. Alexandre, é claro, não fala sobre nada até que todas as investigações sejam feitas, até para não correr o risco de cometer alguma injusta. Mas ele faz questão de dizer que há um esforço de toda a equipe da Secretaria que ele comanda, de prestar os melhores serviços possíveis. E que  todas as denúncias são e serão investigadas.

 

RICOS DELINQUETES”

Ao proferir seu voto, apoiando o fim do foro especial para autoridades públicas, o ministro do STF, ministro Luis Roberto Cardoso, proferiu uma das frases mais corretas dos últimos tempos, resumindo nela, importante parte da verdadeira situação em que se encontra a sociedade brasileira, ante o domínio do crime. Segundo o ministro “criamos um direito penal que produziu um país de ricos delinquentes. No Brasil, as pessoas são honestas se quiserem, porque se não quiserem não acontece nada. É preciso enfrentar esse sistema”. Claro que o ministro não falou também nos criminosos comuns, protegidos por um manto de leis que, inclusive, são defendidas por muitos membros do próprio Judiciário, embora cancerosas para a Nação. Mas isso é outra história. A verdade é que os “ricos delinquentes”, a quem Cardoso se referiu, são, na maioria, membros de partidos políticos, estão no Congresso e em todos os demais poderes. Hoje, nesse país, só é honesto quem quer, quem teve formação para isso. E nossas leis são todas benevolentes com o crime. Qualquer crime.

 

MAU ATENDIMENTO ÀS MAMÃES

Merece elogio essa decisão do secretário. Mas é bom que ele mande mesmo levantar o que está acontecendo principalmente na Maternidade Municipal. Muitas mães estão desesperadas, porque sofreram demais até terem tido seus filhos e de outras que os perderam, pela demora, quando os médicos esperam demais, na expectativa de partos normais, onde o correto seria fazer cesariana. Mas tem ainda mais: várias mamães, entre as que ganharam seus bebês e entre as quais voltaram para suas casas sem suas sonhadas crianças, reclamam do mau atendimento de parte de alguns funcionários da Maternidade. Não é um caso, nem dois, nem três, nem dez. São muitos. Está na hora do secretário Alexandre criar uma estratégia de acompanhamento do atendimento às futuras mamães, desde o período dos exames pré natal até quando elas saem da Maternidade, para que os protestos contra alguns servidores acabem. Deve-se ressaltar que as reclamações não são contra todos os servidores (médicos, enfermeiras, equipes de apoio), mas apenas se referem à uma minoria. E é essa minoria que tem que cair fora da Maternidade.

 

PERGUNTINHA

Seria otimismo demais pedir que a gente pudesse chegar ao final deste ano com um governo forte; com a economia crescendo e com a bandidagem da política toda na cadeia?

Comentários

comentários