A tensão, que já era alta no Senado por conta da aprovação da reforma trabalhista e da condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, aumentou nesta quarta-feira (12) após os senadores Ivo Cassol (PP-RO) e Paulo Rocha (PT-PA) protagonizarem um contundente bate-boca no plenário da Casa. A sessão destinada a discursos precisou ser suspensa em razão do tumulto gerado pela discussão dos dois parlamentares.

A confusão aconteceu depois que o senador Eduardo Lopes (PRB-RJ) subiu à tribuna para criticar o fato de senadoras oposicionistas terem ocupado nesta terça (11), por seis horas, a mesa do plenário onde se sentam os dirigentes do Senado.

Comentários

comentários