A postura da vereadora Ada Dantas Boabaid (PMN), de agredir grosseiramente a professora Judith Campos na internet com palavras de baixo calão e de ofender toda a classe dos profissionais da educação, foi reprovada e duramente criticada pela categoria.

Ao tratar do assunto com os trabalhadores em educação, o presidente do Sintero, Manoel Rodrigues da Silva, lamentou a postura da vereadora, e disse que tal atitude não é admitida em uma sociedade civilizada, menos, ainda, partindo de uma pessoa pública, que se diz representante do povo na Câmara Municipal.

Ele destacou que as ofensas da vereadora Ada Dantas à professora Judith é uma demonstração da desvalorização dos profissionais da educação perante algumas autoridades.

Manoel Rodrigues da Silva lembrou de caso semelhante, em que a professora Luciana Basilio foi processada pelo prefeito Hildon Chaves por criticar a administração municipal.

“Lamentavelmente os ataques, a desvalorização e as ofensas estão vindo de autoridades como a vereadora, de quem se esperava apoio e valorização na nossa incessante luta pela melhoria da qualidade do ensino”, disse o presidente do Sintero.

“O que mais podemos esperar de pessoas que buscam o voto do povo para nos representar, mas acaba agindo dessa forma?”, indagou. “A nossa categoria já sofre muito com a falta de valorização, baixos salários, falta de condições de trabalho, e ainda tem que suportar esse tipo de ataque público, em que uma professora é humilhada e achincalhada na rede mundial de computadores”, disse.

Manoel Rodrigues reafirmou o compromisso da Direção do Sintero de lutar contra essas ofensas aos profissionais da educação, e disse que o sindicato está dando todo o suporte jurídico necessário tanto no caso da professora Luciana quanto no caso dos ataques da vereadora Ada Dantas à professora Judith.

Comentários

comentários