NA SEGURANÇA PÚBLICA, O DISCURSO  É DELES, MAS O SANGUE É O NOSSO! – O Combatente