O deputado Léo Moraes (PTB) irá presidir na segunda-feira (28), Sessão Solene em Comemoração aos 75 anos do Banco da Amazônia (Basa), às 11h, no Plenário da Assembleia Legislativa.

Segundo o parlamentar o Banco da Amazônia, iniciou suas atividades durante a 2ª a Guerra Mundial, após o Decreto-Lei nº 4451, de 9 de julho de 1942, assinado pelo então presidente do Brasil, Getúlio Vargas, então com o nome de Banco de Crédito da Borracha.

O objetivo era reativar a atividade seringueira, garantindo assim o suprimento de borracha aos países aliados durante a Guerra pondo em prática o acordo firmado em Washington (EUA), entre Brasil e Estados Unidos.

Após a Segunda Guerra Mundial, a borracha oriental superou as vendas da borracha nativa da Amazônia no mercado internacional, pelo fato de ser mais barata e atrativa, o que fez então o governo brasileiro mudar os rumos da instituição, criando o Banco de Crédito da Amazônia (BCA), pela Lei n° 1184 de 30 de agosto de 1950.

Naquele momento, o desafio era ocupar a Amazônia e gerar desenvolvimento, atuando em várias frentes. A partir de 1966, O Banco passa a assumir o papel de agente financeiro da política do governo federal para o desenvolvimento da Amazônia Legal, já com o nome de Banco da Amazônia.

Hoje estabelecimento de crédito ocupa a posição de principal agente financeiro de desenvolvimento da região, respondendo por mais de 63% do crédito de fomento regional, atendendo aos vários segmentos: .

A primeira instalação do Banco no Estado de Rondônia ocorreu na década de 1940 na cidade de Guajará-Mirim. Na época a região se dedicava ao extrativismo da goma elástica, data que ficou conhecida como “Ciclo da Borracha”.

Nessa mesma década, é inaugurada a segunda agência, desta vez na atual capital, Porto Velho, situada na margem direita do Rio Madeira. Hoje a instituição possui 14 agências distribuídas pelas principais cidades de Rondônia, participando assim no desenvolvimento econômico e valorizando a cultura do Estado.

“O Banco movimenta todos os setores da economia e fortalece o desenvolvimento regional em bases sustentáveis, confirmando sua postura de agente transformador da sociedade amazônica, promovendo melhoria de qualidade de vida do povo desta região e valorizando sua biodiversidade”, concluiu Léo Moraes justificando a iniciativa para a realização da Sessão Solene.

Comentários

comentários