O Ministério da Fazenda autorizou, pela segunda vez este ano, o aumento das tarifas cobradas pelos Correios. A decisão foi sancionada na edição desta quarta-feria (18) do Diário Oficial da União (DOU).

 

 

 

O reajuste foi autorizado “sob forma de recomposição” das tarifas dos serviços postais e telégraficos nacionais e internacionais foi de 10,215% e será aplicado em duas parcelas: a primeira de 6,121% será por prazo indeterminado e a segunda, de 4,094% vai vigorar por 64 meses.

Para entrar em vigor o reajuste ainda depende de aprovação pelo Ministério das Comunicações. Com o aumento, a carta comercial de até 20 gramas passará a custar R$ 1,83. Anteriormente, o valor era R$ 1,23.

Em abril, o Ministério da Fazenda havia autorizado aumento de 7,485% nas tarifas dos serviços postais e telegráficos prestados pelos Correios. Na época, a empresa explicou que os serviços da estatal são reajustados todos os anos, com base na recomposição dos custos, como aumento dos preços dos combustíveis, contratos de aluguel, transportes, vigilância, limpeza e salários dos empregados.

Comentários

comentários