O sistema de monitoramento por meio de câmeras instaladas nas unidades geradoras da Hidrelétrica Santo Antônio é inédito no Brasil. “Nós não temos a informação que este sistema seja utilizado em outra hidrelétrica”, afirma o engenheiro Hélio Hayashida, da empresa que forneceu os equipamentos.

Trinta e duas das 50 unidades geradoras da hidrelétrica já têm instaladas no seu interior um sistema inédito de três câmeras de vídeo, que permitem ao operador manter uma inspeção constante e acionar a manutenção, se notar algo incomum.

A cada oito unidades geradoras há uma Sala Local, de onde são visualizadas as imagens das máquinas sob sua responsabilidade. São duas câmeras fixas, uma instalada na turbina e outra no gerador, além de uma Speed Dome, que tem giro de 360° e um zoom capaz de aproximar 30 vezes.

Segundo o operador da Sala Local 2, responsável por oito unidades geradoras, Ednei Dias da Rocha, é possível acompanhar o que acontece dentro do sistema e seguir os procedimento de segurança, quando necessário. “É possível detectar algum problema, comunicar ao Comando Central e acionar a manutenção”, explica.

A área de Automação, Proteção e Controle da Hidrelétrica Santo Antônio foi quem projetou o sistema. O analista de Sistemas Digitais Carlos Bortoli explica que no início do ano que vem as unidades geradoras da Casa de Força 4 também receberão as câmeras e, com as salas de controle interligadas, o acesso às imagens será possível de qualquer ponto da hidrelétrica.

“Além da área de Operação e Manutenção, a Segurança do Trabalho também utiliza o sistema para checar se a equipe ou terceirizados estão utilizando o equipamento de proteção individual (EPI)”. As imagens são armazenadas por quinze dias e se houver um acidente ou incidente é possível verificar, pela gravação o que aconteceu.

JOSÉ CARLOS DE SÁ

Comentários

comentários