Eles não vão entregar os pontos tão facilmente. Querem continuar nadando na grana do imposto sindical, para poderem continuar utilizar seus sindicatos como braços políticos e usufruir de benesses que a imensa maioria dos seus associados, que pagam a conta, não têm e jamais terão. É o desespero! Pelo menos cinco entidades de trabalhadores estão unidas em ações no STF, tentando derrubar a lei que modernizou as relações trabalhistas no país. A grande preocupação, é claro, nada tem a ver com os trabalhadores. Eles só pensam “naquilo”: querem porque querem a volta do imposto obrigatório. O resto pode mudar. Menos isso. As federações nacionais dos Empregados em postos gasolina, de empresas de telecomunicações e outras entidades sindicais, estão arguindo a inconstitucionalidade da lei da Reforma Trabalhista. Questionando a forma “açodada” com que a Reforma teria sido feita, como se ela não tivesse percorrido dos os caminhos do Congresso, antes de ser aprovada. Falam em desobediência à Constituição e, lá vem eles com o tratado ideológico, afirmando que a nova legislação estaria ferindo “convenções e tratados internacionais de trabalho”. Quase risível, mas, enfim, o esperneio é sempre válido. Olha só a bela defesa do imposto, numa das ações impetradas: “a contribuição sindical tem natureza tributária e torna-se obrigatória a todos os trabalhadores da categoria, sindicalizados ou não, uma vez que o tributo, como tal, é uma obrigação compulsória. Não seria possível estabelecer a contribuição sindical como voluntária, já que a finalidade da contribuição sindical é defender os interesses coletivos ou individuais da categoria, e essa representação independe de autorização ou filiação”. Dá vontade de rir ou de chorar?

Poucos falam em eventuais perdas dos associados, em problemas para os trabalhadores (porque não os há!) ou brigam por suas categorias. A única e desesperada causa é o fim da obrigatoriedade do imposto, que eles fazem questão de chamar de “contribuição”. Sem ele, milhares desses sindicatos que não servem para nada, a não ser enriquecer seus dirigentes do mesmo grupo, que se alternam no poder e reforçar partidos políticos, principalmente o PT, estarão ferrados. Dos 15 mil sindicatos existentes no Brasil, com a nova regulamentação, sobrarão somente aqueles sérios, que realmente lutam por suas categorias e que não vivem de politicagem e dinheiro público. A CUT, por exemplo, já está quebrando, sem os rios de grana que vinham dos governos petistas. E é só o começo. Mas há um risco, sim. Nesse governo fraco e impopular de Michel Temer, ele e seus apaniguados podem querer agradar os sindicalistas, fazendo retornar o imposto que é muito bem usado por entidades sérias, mas muito mal pela canalhada que domina milhares de entidades classistas fajutas no país.

 

TRANSPORTE COMPARTILHADO

Os táxis estão buscando alternativas para se adaptar ao novo  mercado. Depois do Uber e outros sistema de transportes via aplicativo na internet, que estão atingindo violentamente o serviço dos taxistas, deixando muitos deles quase na falência, a categoria decidiu agir. A ideia dos donos e motoristas de táxis é criar um sistema alternativo, uma espécie de táxi lotação, mas que seria chamado de transporte compartilhado. É a mesma coisa, com um nome mais pomposo. Com o serviço, os taxistas fariam transportes em grupos, cobrando apenas 5 reais por pessoas, em corridas programadas. Não importa de que parte da cidade até que local iriam, os passageiros pagariam os mesmos cinco reais. Até a criação de um aplicativo especial para esse serviço está sendo estudado. A concorrência está incrível. Não só do Uber, mas também de veículos particulares, que sem licença alguma, percorrer às paradas de ônibus oferecendo corridas a preços muito baixos. Vai ser uma guerra pelos usuários, que envolverá ainda os mototaxistas e o próprio serviço de ônibus. No final das contas, será mesmo melhor para a população, como parece?

 

ROUBO DAS ENCOMENDAS

Muitos porto velhenses estão tendo grande prejuízo, depois que bandidos assaltaram o posto dos Correios, na avenida Lauro Sodré, perto do Parque de Exposições e levaram inúmeras mercadorias, todas de encomendas que seriam ainda entregues aos compradores. O assunto está sendo tratado no mais absoluto sigilo, como se tais eventos tivessem que ser escondidos do público e, como se isso resolvesse o problema. Não há maiores detalhes, mas o caso está sendo investigado pela Polícia Federal e há comentários de os roubos não excluem a suspeita de envolvimento de  pessoas que teriam informações privilegiadas. Até agora, os Correios não divulgaram nem o que foi roubado, nem o valor dos prejuízos e como eles serão ressarcidos às vítimas, ou seja, pessoas que fizeram suas compras e esperavam por suas mercadorias depois de pagá-las. A PF recém começou seu trabalho, porque trata-se de roubo em uma empresa federal. Nem vítimas e nem a coletividade têm tido direito às informações sobre o caso.

HÁ 4 BILHÕES E 600 MILHÕES DE ANOS…

O Palácio Presidente Vargas, que foi sede do Governo durante décadas, agora é um museu. E lá está ocorrendo uma exposição diferente, que inclui peças pré históricas descobertas por aqui e em outros locais do Planeta, incluindo ossadas de animais que teriam dado origem aos peixes e que teriam sido extintos há mais de 400 milhões de anos. São fósseis muito bem preservados, que surpreenderão o visitante. Segundo a diretora do Museu, Ednair Rodrigues, há pedras de meteoritos, na exposição, que poderiam ter algo em torno de 4 bilhões e 600 milhões de anos, incluindo pedras lunares encontradas em diversos países, além de materiais raros, como minerais, rochas e fósseis.  Ossos de bicho preguiça e mastodonte que teriam mais de 20 mil anos, também fazem parte do acervo. É uma volta no tempo, aos primórdios do Planeta, que podem ser vistos através de centenas de peças expostas no Museu. Vale a pena visitar. O Museu funciona entre 9 horas da manhã até 17 horas e a exposição estará aberta ao público até o final deste mês.

 

ESQUENTANDO NOSSOS CARROS

O número é menor do que em 2016, mas ainda assim extremamente preocupante: nada menos de 1.200 veículos foram furtados ou roubados em Porto Velho, neste ano, segundo dados oficiais da área de segurança pública. O arrombamento de veículos de todos os tamanhos e o furto de tudo o que os ladrões encontram, é um problema que só aumenta em todos os bairros da Capital. Houve roubos também, quando os marginais usam armas para atacar. E ainda, nesse número, há algumas dezenas de outros veículos, mas principalmente motos, que são levadas para a Bolívia, em troca de drogas e, eventualmente, também de armas. Com a fronteira escancarada, veículos roubados em outras regiões do país também chegam a Rondônia e passam tranquilamente para o lado boliviano, onde lá, inclusive com o apoio de autoridades do nosso vizinho, a documentação é “esquentada”  e os veículos “nacionalizados”. Há carros roubados tanto em Porto Velho como em outras regiões do Brasil que chegam à Bolívia e hoje são de “propriedade” não só de políticos, mas também de policiais; Uma vergonha!

 

O BRASIL TROCOU DE NOME

Um pouco de história não faz mal a ninguém. Você sabia que o nome do Brasil mudou há 50 anos atrás. Isso mesmo! Neste ano, comemoramos os 50 anos da transformação da República dos Estados Unidos do Brasil para República Federativa do Brasil. Mas a principal notícia daquele período foi o acidente aéreo, até hoje sob alguma suspeita, que matou o primeiro Presidente do período militar, Humberto de Alencar Castelo Branco. Ele era adversário do seu sucessor, o linha dura Costa e Silva e tinha deixado o poder  há pouco tempo, antes de morrer acidentado. Quando o 1967  terminou, marcando os três primeiros anos do governo militar, o período mais drástico da ditadura ainda não tinha começado. Ela se intensificou mesmo a partir do final de 1968, um ano que,  passados meio século, transformou sim a história do nosso país. É sempre bem entrar no túnel do tempo, para lembrar um pouco da nossa história recente.

 

MAURÃO CADA VEZ MAIS FIRME

Cada vez mais, o deputado Maurão de Carvalho consolida seu nome como o pré candidato do PMDB ao Governo. Na segunda à noite, em mais um encontro do partido, o presidente da Assembleia participou de importante encontro com várias lideranças e membros da base, além de convencionais, num evemto que praticamente fechou o ciclo de preparativos para a campanha do ano que vem. Maurão destacou que foi uma conversa muito positiva, em que sua posição como o pré candidato peemedebista ficou ainda mais alicerçado. Muitas lideranças do partido estiveram presentes ao evento, realizado na sede, em Porto Velho: o senador Valdir Raupp; seu suplente  e presidente regional do partido, Tomáz Correia;  a deputada federal Marinha Raupp (PMDB-RO), os deputados estaduais peemedebistas Só Na Bença, Jean Oliveira, Rosângela Donadon e Edson Martins e o secretário geral José Luiz Lenzi, entre outras lideranças do PMDB.

 

PERGUNTINHA

Se você pudesse falar com o Presidente Temer, que estará nesta quinta em Porto Velho, para inaugurar o Hospital do Câncer da Amazônia, o que você mais gostaria de dizer pessoalmente a ele?

 

 

Comentários

comentários