A baderna em que se transformou a política brasileira, tem inúmeras explicações. Todos sabemos sobre a maioria delas. Mas há uma que parece sintetizar todo esse quadro lamentável e dantesco, porque, por si só, mostra o desrespeito, a bandalheira, a esculhambação com que algo sério como um partido político, parece se tornar piada de mau gosto. Existem hoje nada menos do que 35 siglas partidárias, a grande maioria delas, não menos que 80 por cento, senão mais, apenas balcões de negócios e negociatas. Essa grande maioria, sem qualquer filosofia política, sem ideologia clara, sem preocupação alguma com o país, mas apenas de olho no Fundo Partidário, ao invés de melhorar o sistema democrático, pode se transformar num tipo de câncer, corroendo o sistema democrático ainda incipiente. Ora, é legal, porém absolutamente imoral, que se crie uma sigla partidária apenas de olho em negociações e dinheiro público. A legislação atual permite essa excrescência, num sistema criado não para melhorar o país, mas para encher os bolsos de alguns poucos. Isso não é a mais clara corrupção, protegida por uma legislação estrábica, desfocada em relação às reais necessidades da evolução das relações políticas em nosso país?

O pior de tudo ainda está por vir, neste contexto doentio. Há nada menos do que outros 73 novos pedidos de criação de partidos no TSE, a maioria entre o absurdo e o doentio, mas, cumprindo pequenas exigências legais, todos poderão se registrar. O Brasil passaria a ter mais de 100 siglas partidárias, ao custo de milhões e milhões de dinheiro público (Fundo Partidário) para sustentar todo esse pacote de obscenidades. Pelos nomes de alguns dos partidos que pedem registro, fica claro que  os que pedem, levam o assunto sem seriedade. Você saberia dizer a filosofia de um tal Partido das Sete Causas ( a sigla é PSETE). Que porcaria é essa? Mas tem também pedido de registro do Partido Nacional Corintiano (PNC): o Partido Carismático Social  (PCS) e até voltas no tempo, com a recriação da Aliança Renovadora Nacional (ARENA, o partido que deu sustentação aos governos militares. Há ainda aberrações como o Partido da Segurança Pública (PSP), o União Pela Defesa Nacional (UPDN); o Partido Militar Brasileiro (PMB), o Partido do Manancial (o que será que é isso?), além da volta do estranhíssimo  Partido da Reedificação da Ordem Nacional, o PRONA, aquele mesmo que lançou o falecido Enéas Carneiro (Meu nome é Enéas!). Ou seja, essa gente goza com a nossa cara e brinca com a Justiça Eleitoral, que nada pode fazer a não ser autorizar o funcionamento dessas porcarias, se elas cumprirem as exigências legais. É aí, nesta esculhambação, que está a essência e a raiz do que de pior existe na política brasileira.

O LULA CADA VEZ PIOR

Quanto mais fala, mais porcaria exala. O condenado Lula da Silva, que infelizmente governou esse país por oito anos, ataca a tudo e a todos, tentando manter a mentira de que nunca roubou e nunca praticou crimes, embora já sentenciado a mais de 12 anos de cadeia, em segunda instância. A senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT e a deputada Maria do Rosário também andam dizendo uma sucessão de asneiras que, ao invés de ajudar seu líder maior (e chefe) acabam piorando ainda mais a situação dele. Lula fez uma série de absurdos, cometeu um crime atrás do outro; usou o cargo para auto enriquecimento e para enriquecer muita gente no seu entorno, mas continua se dizendo o sujeito mais inocente do Planeta e da História. Perto dele, Jesus Cristo foi um grande pecador.  O problema de Lula e toda a sua turma é que vivemos não no país que eles sonharam dominar, tomar conta, avançar nos cofres e destruir a economia. Vivemos num país que é democrático, embora numa democracia ainda jovem, mas em que as instituições estão funcionando. E quando elas funcionam, gente dessa laia não tem espaço para sobreviver.

 

ESTAMOS NO RETROCESSO

A nova legislação trabalhista foi aprovada, mas ainda não está em vigor. Ao menos em Rondônia, onde um sindicato consegue paralisar todo o comércio. Primeiro foi em Cacoal, onde a loja Havan, mesmo depois de ter feito acordo com seus funcionários, foi impedida de abrir suas portas num domingo, numa controvertida decisão da Justiça do Trabalho. Foi a única loja da rede, de mais de uma centena, que não atendeu o público naquele domingo, Pois tudo se repetiu em Porto Velho, no feriado municipal de quarta-feira. Outra vez, pedido de um sindicato de trabalhadores acabou com sentença judicial impedindo que todas as lojas abrissem, incluindo as do Porto Velho Shopping, que podem funcionar inclusive aos domingos e feriados, com horário especial. Está na hora da nova lei de relações do trabalho começar a valer pra valer e não só no papel. E, mais que nunca, devemos discutir se queremos, para o nosso país, uma República Sindicalista e uma Justiça do Trabalho que impedem, juntas, que a economia se desenvolva. Os prejuízos com o fechamento das lojas na quarta-feira são incontáveis. Mas, para alguns sindicatos e para a Justiça do Trabalho, isso não tem qualquer importância. Lamentável!

GUERRA ENTRE HAVAN E O PT

Por falar em Havan, o dono das lojas, empresário Luciano Hang, quebrou o pau com seus ex amigos do PT. Ele avisou nas redes sociais que soltaria 13 minutos de fogos, em Brusque, Santa Catarina, para festejar a condenação do ex presidente Lula. Pra que? Seu ex amigo deixou o presidente do PT do Acre, deputado estadual Daniel Zen, muito irritado. Quando foi inaugurada a Havan de Rio Branco, Hang e o deputado petista estavam lado a lado, saudando um ao outro. Agora, Zen publicou texto chamando o dono da Havan de burro. Um texto bastante estranho, por sinal. Entre outras preciosidades, o deputado do PT do Acre: “É tão burro que não se deu conta de que os clientes da sua loja, cujos produtos são de qualidade questionável são, em sua grande maioria, os beneficiários do Bolsa Família. Ficou rico às custas da inclusão social de milhões de pobres no mercado de consumo, que puderam passar a comprar em suas lojas graças aos programas sociais do Governo Lula.” Como se a Havan tivesse só clientes do Bolsa Família, o que é um absurdo. Mas, enfim, o rompimento de relações entre o empresário e o PT é mais um dos efeitos colaterais da nova condenação de Lula.

A INDÚSTRIA DA BOATARIA

 Estava demorando, mas já começou a temporada da boataria. Sem se imaginar de onde surgiram, lá vem ela, a série de fakes,  com a intenção de mexer com as estruturas dos adversários ou para supervalorizar quem se quer apoiar, sempre tentando causar alvoraço nas paliçadas dos do lado de lá. É uma pena que ainda haja gente, um minoria, é claro, mas até no meio da imprensa, que ainda se presta para isso, mas, lamentavelmente, faz parte do jogo. Do lado ruim do jogo, porque há sim, ainda, o lado bom das disputar políticas e do crescimento da plena democracia. Nessa semana, surgiram conversas absurdas, por exemplo, de que Maurão de Carvalho e Acir Gurgacz poderiam abrir mão de suas candidaturas ao Governo. Que Confúcio e Maurão estariam prestes a um rompimento. Que Ivo Cassol e Expedito Junior, estariam comandando as nomeações na Prefeitura de Porto Velho; que Confúcio e Daniel Pereira estariam em rota de colisão. A bem da informação: NENHUMA dessas pseudonotícias têm qualquer fundo de verdade. Nem meio por cento. Nada. Então, a partir de agora, e sempre bom checar as informações a que se tem acesso. Certamente grande números delas será fake, boatos ou maldades. Uma pena que esse lado dark da política, ainda continue se destacando nas campanhas eleitorais.

 

SOLTINHOS DA SILVA

Num dia sete. No outro cinco. No anterior, quatro. Todos os dias, guarnições da Polícia Militar prendem foragidos do sistema prisional ou condenados, que escaparam da ação da lei e estão nas ruas, obviamente praticamente todos os tipos de crime. Na última quarta-feira, apenas uma das guarnições da PM botou no xilindró nada menos do que sete foragidos, todos pegos nas ruas de Porto Velho. Não se computam aí prisões feitas em todo o interior. Ou seja, o sistema prisional rondoniense está um queijo suíço, com os detentos saindo a hora que querem. A PM, que tem cada vez menos pessoal, em relação às suas necessidades, é obrigado a deslocar um efetivo importante, apenas para recapturar criminosos a quem já prendeu, em alguns casos, três ou quatro vezes. Também é preocupante o número de detentos com tornozeleira eletrônica que estão nas ruas e ainda praticam vários delitos. A situação da segurança pública é caótica, pela inacreditável legislação criada para proteger criminosos e punir, pela insegurança, as pessoas de bem. Além disso tudo, ainda temos um sistema prisional terrível e que permite tantas fugas que alguns presídios se assemelham a hotéis de alta rotatividade. Não está na hora de acabar com essa baderna?

POLITICAGEM É A PRIORIDADE

Os confrontos políticos chegaram também à pequena Alto Paraíso, próximo a Ariquemes. A prefeitura Helma Amorim e a Câmara de Vereadores da cidade estão em rota de colisão, ao ponto de ter sido criada uma CPI, para tentar tirá-la do cargo. O início de tudo foram denúncias encaminhadas por um ex secretário da Prefeita que, demitido, tratou de dizer que a ex Chefe tinha cometido vários delitos, no cargo. É a história de sempre. Uma pequena comunidade, dividida pela política, já não consegue andar quase nada à frente quando a administração municipal e a Câmara trabalham em conjunto. Imagine-se agora, quando cada grupo defende única e exclusivamente seus interesses, quem perde ainda mais? Claro que a coletividade. Alto Paraíso há anos está enrolada nos mesmos problemas. Não avança. Tem graves deficiências, como por exemplo suas ruas esburacadas e abandonadas e o sistema de abastecimento de energia elétrica que é perto do ridículo. Ao invés de batalharem juntas para melhorar a cidade, as lideranças políticas estão é de olho na próxima eleição. A CPI agora vai paralisar a cidade ainda mais. No final das contas, a quem interessa a onda de denuncismo, principalmente em ano eleitoral? Pobres moradores de Alto Paraíso! Ao que parece, mais uma vez erraram na escolha dos seus representantes, tanto na Prefeitura quanto na Câmara.

 

PERGUNTINHA

O fato de a Justiça Federal ter mandado recolher o passaporte do ex Presidente Lula e impedi-lo de viajar ao exterior, seria uma prevenção para que ele não pudesse, eventualmente, pedir asilo em algum país, para escapar da primeira condenação e de outras, que poderão ainda vir?

Comentários

comentários