A Polícia Federal recebeu do Banco do Brasil informações incompletas sobre a movimentação financeira de um suspeito alvo de apuração relacionada ao senador Ivo Cassol (PP-RO). Após a quebra do sigilo bancário dos investigados, incluindo o parlamentar, o banco forneceu à PF, sem identificar origem e destino, dados referentes a R$ 23 milhões de um total de R$ 87 milhões em transações. Cassol é suspeito de ser beneficiário, quando governou Rondônia, de um esquema envolvendo a empresa VP de São Paulo Construtora, responsável pela extração de madeira na área das usinas hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio, no Rio Madeira. O inquérito tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) desde 2013.

Comentários

comentários