Logo após as negociações que resultaram no encerramento da greve que durou 45 dias, o Sintero, por precaução havia divulgado tabela salarial dos Professores estaduais considerando o piso salarial nacional no início de carreira para todas as classes.

Ocorre que a lei aprovada manteve a diferença de 5% entre os salários do Professor classes “A” e “B” e o Professor classe “C”, que é o Professor com Licenciatura Plena.

Após avaliação conjunta e consulta ao setor competente, foi confirmada a manutenção dessa diferença de 5%.

Isso significa que o Professor classes “A” e “B” terão como base salarial o piso nacional, representando um ganho de 10,2%, e o Professor Classe “C”, que estava com o salário mais defasado, teve um ganho de 16,4%.

Já os Técnicos Educacionais que ganhavam menos de R$ 1 mil no vencimento básico ganharam um piso de mil reais, e todos os Técnicos, inclusive os que já ganhavam mais de mil reais no vencimento, sejam Nível 1 ou Nível 2, tiveram ganho de 15,07%.

Todas essas conquistas beneficiam, ainda, os Professores e Técnicos aposentados, os que estão afastados por laudo médico e os readaptados.

Além disso, a reposição conquistada terá reflexo nas gratificações que são calculadas em porcentagem sobre o vencimento.

Esse foi o resultado da união, da luta e da garra dos trabalhadores em educação, após 45 dias de greve, manifestações, atos públicos, fechamento de BR e ocupações de prédios públicos.

A presidente do Sintero, Lionilda Simão, disse que a categoria saiu vitoriosa desse movimento, mas a luta ainda não acabou. “Foi mais do que acertada a decisão da categoria de aprovar essa negociação para encerrar a greve. Ou ganharíamos esse reajuste neste ano ou não teríamos nada, se avançássemos com a greve durante o período eleitoral. Mas a nossa luta continua pelos demais itens da nossa pauta, sobretudo pela Meta 17 e pela Meta 20 do Plano Estadual de Educação”, disse.

Em nome de toda a diretoria do Sintero, ela agradeceu aos deputados estaduais pelo apoio nas negociações e por terem aprovado a lei em tempo hábil de os reajustes serem implantados, e parabenizou os trabalhadores em educação pela conquista, principalmente aqueles que aderiram ao movimento.

VEJA COMO FICA A NOVA TABELA SALARIAL DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO ESTADUAIS DE RONDÔNIA

Comentários

comentários