Em assembléia geral realizada ontem, quarta-feira, 5/7, em Ji-Paraná,
os funcionários das cooperativas de crédito do sistema Credisis
aprovaram a proposta patronal de reajuste salarial de 5% e de reajuste
de 17,65% nos tíquetes, além do 13º tíquete no mesmo valor.

Com isso, os tíquetes passam de R$ 850 para R$ 1.000,00 mensais.

A proposta inicial da pauta de reivindicações dos trabalhadores era o
reajuste que contemplasse o índice de inflação do período mais um
ganho real de 5%, e o valor dos tíquetes a R$ 1.200,00 mensais,
considerando o forte crescimento e a alta lucratividade das
cooperativas de crédito em todo o Estado.

O presidente José Pinheiro, o diretor de Cooperativas do Sindicato,
Antônio Tavares, o diretor da Regional Ji-Paraná, Irineu Almeida e o
diretor da Regional Ariquemes, Jonas Pinheiro, explicaram aos
trabalhadores que, após três rodadas de negociação, os representantes
do Credisis afirmaram que esta era a proposta final por parte dos
empregadores, e que não haveria mais como avançar nos índices.

Na primeira rodada de negociações o sistema apresentou a proposta de
apenas 4% de reajuste salarial e de 7,5% nos tíquetes. No decorrer das
negociações a proposta foi elevada para 5% de reajuste salarial e
14,94% nos tíquetes.

Com esse índice apresentado pelos patrões no mês passado, os tíquetes
passariam de R$ 850 para R$ 977 ao mês. A proposta foi apresentada no
dia 14 de junho para os trabalhadores e, na assembléia, com auditório
cheio, ela foi recusada por unanimidade no mesmo dia.

O Sindicato dos Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de
Rondônia (SEEB-RO) então requereu aos representantes patronais a
reabertura de novas rodadas de negociação para que fosse possível
chegar a índices mais justos para a categoria e ontem, em nova
assembléia, a nova proposta foi enfim aprovada pela maioria dos
trabalhadores.

“Enfrentamos mais uma difícil jornada nas negociações e, mesmo após a
rejeição das propostas anteriores – que eles (os patrões) diziam ser a
proposta final – ainda assim insistimos para que os índices fossem
repensados, pois entendemos que o ramo das cooperativas de crédito tem
sim condições de permitir reajustes mais justos para seus empregados
e, após o reajuste dos tíquetes para R$ 1.000,00 mensais, enfim
conseguimos a aprovação dos trabalhadores”, enfatiza José Pinheiro,
presidente do Sindicato.


RONDINELI GONZALEZ – DRT 00700

Comentários

comentários