O presidente da República, Michel Temer (MDB), recebeu no início da noite desta quarta-feira (11), em seu gabinete no Palácio do Planalto, parte da bancada federal do Acre que entregou o pedido de intervenção federal na segurança pública do Estado ante a atual crise de violência, que deixou 20 mortos e outras dezenas de feridos nos últimos 15 dias.

De Temer, os parlamentares receberam a garantia de analisar a situação, com o uso dos serviços de inteligência federais, para elaborar um plano específico para a situação do Acre. Em 15 dias, os ministros Raul Jungmann (Segurança) e do general Sérgio Etchegoyen (Segurança Institucional) devem vir ao Acre apresentar a estratégia de atuação das forças federais.

De acordo com o deputado Wherles Rocha (PSDB), que esteve no encontro, os ministros ficaram surpresos com o relato da situação no Acre, já que em ligações telefônicas recentes para eles, o governador Sebastião Viana (PT) passou cenário oposto. “O governador praticamente deu a entender que o Acre estava uns Estados Unidos”, disse Rocha.

No primeiro momento, a reunião estava prevista para acontecer apenas com Jungmann, mas a partir de uma ligação do senador Sérgio Petecão (PSD) o encontro foi transferido para o Palácio do Planalto com a presença de Temer.

Segundo Rocha, os ministros e o presidente asseguraram as emendas de quase R$ 40 milhões para a segurança do Acre que corriam o risco de serem perdidas, por o governo estadual não ter apresentado o projeto em tempo hábil.

Questionado sobre a receptividade do Planalto ao pedido de intervenção, Rocha disse que ela não está totalmente descartada, mas que no primeiro momento o reforço federal se daria por meio de suas polícias, incluindo a Polícia Federal, a Rodoviária Federal e da Força Nacional.

Além de Petecão e Rocha, a reunião contou com a presença dos deputados Alan Rick (DEM) e Flaviano Melo (MDB). Apesar de não terem ido ao encontro, o senador Gladson Cameli (PP) e a deputada Jéssica Sales (MDB) assinaram o pedido de intervenção apresentado ao Planalto.

AC 24 HORAS

Comentários

comentários