Por Junior Fernandez

Cada vez mais é nítida a importância de ter uma mente equilibrada em esportes de

alta performance. No futebol profissional esta necessidade se evidencia com o nível de stress altíssimo por parte dos jogadores.

Na Copa do Mundo vimos isso, com equipes que saíram perdendo e muitas vezes ficaram perdidas em campo, completamente vulneráveis.

Aqueles que possuem um equilíbrio emocional maior do que os seus adversários,

tem também maiores chances de realizarem uma grande jogada e de se recuperarem mais rapidamente após uma tentativa.

Técnicas bastante difundidas na Europa, agora começam a ganhar o Brasil. Através de planos de Programação Neurolinguística e Coaching, profissionais da área fazem com que o jogador alinhe corpo e mente em perfeita sintonia, fazendo com que sinta bem, com

autoestima elevada e autoconfiança para os momentos decisivos.

Tal investimento pode transformar atletas comuns em mentes extraordinárias, permitindo o desenvolvimento de aptidões importantes como autoconfiança, foco, equilíbrio emocional, metas e objetivos. O jogador passa a enxergar as coisas de outro modo e a sobrepor-se ao adversário, detentor de fraquezas emocionais que ele não mais dispõe.

Este trabalho é uma das razões para o futebol europeu haver crescido tanto nos últimos anos.

Se executado aqui no Brasil, detentor da mais forte patente futebolística do mundo, milhares de atletas dos quase 800 clubes profissionais do país podem subir de patamar.

É claro que há muito mais a ser feito, como investimentos na base e uma leitura mais minuciosa do todo, mas é imprescindível levar esta ideia adiante, uma vez que os jogadores de futebol são pessoas e não máquinas. Possuem falhas que devem ser corrigidas. Ao contrário do que pensa a maioria, nossos clubes devem levar em conta outros fatores além do talento com a bola nos pés. E a confiança proporcionada pelo profissional especialista no desenvolvimento esportivo é um desses fatores.

Prova disso é que um dos precursores do trabalho no Brasil, o Comercial Futebol Clube de Ribeirão Preto, visionário neste aspecto, fez brilhante primeira fase na modesta segunda divisão do futebol paulista. Foi mencionado como Showmercial por parte da Imprensa, face ao belíssimo futebol apresentado.

Isso porque, além de toda a competência da Comissão Técnica e dos jogadores, houve um trabalho de liderança, comunicação, ansiedade e desempenho nos treinamentos.

E convenhamos, se foi grande a diferença num clube de poucos investimentos, imagine nas grandes equipes de futebol do país?

É um passo a mais em direção ao que o futebol mundial hoje mais exige: Organização e investimento, já que a receita para o sucesso atual exige mais ingredientes, além do talento que já possuímos.

*Junior Fernandez é Coach e especialista em desenvolvimento esportivo

Comentários

comentários