Durante a etapa estadual da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR), o professor da disciplina de Criatividade e Inovação da Faculdade Sapiens Andrews Botelho ministrou workshop de Design Thinking – método utilizado para abordar problemas e análise de propostas para soluções. Para demonstrar a aplicação da ferramenta de forma prática, três gerentes de empreendimentos do Porto Velho Shopping foram convidados a apresentar um problema real que enfrentavam no dia a dia da empresa.

Foram criadas três equipes, cada uma delas formada por um dos gerentes, alunos de robótica e acadêmicos da Faculdade Sapiens. Essas equipes tinham que responder a cinco ‘por quês’ relacionados ao problema até chegar à origem dele.

A ideia era misturar diferentes áreas dentro dos grupos para se chegar a uma resolução. “O Aluno de gestão, por exemplo, se o problema for vendas, pode pensar em soluções para treinamento e motivação da equipe; o aluno de robótica vai pensar de que forma pode automatizar a solução, criando um app, por exemplo”, explica o professor.

A proposta era que as diferentes áreas pensassem em soluções divergentes que, no final, pudessem convergir para chegar a melhor alternativa para resolver a problemática do negócio, ou a mais completa.

Ferramentas
O Design Thinking e o Business Model Canvas – ferramenta de planejamento estratégico – estão entre as ferramentas mais utilizadas quando se fala em inovação e startups (modelos de negócios), e foram utilizados durante o workshop.

O Canvas, explica Andrews, ajuda a modelar o negócio, levando a criar soluções criativas e conectando recursos chaves (financeiro, humanos etc), além de atividades essenciais e canais de comunicação e relacionamento. “A ideia é criar produtos replicáveis, escaláveis e que consiga gerar receita”.

Já o Design Thinking tem o usuário como centro de tudo. É a partir da “dor” desse usuário que se pensa a solução, sempre se colocando no lugar dele. “E a empatia nesse processo é fundamental. Eu me coloco no lugar dele e, a partir daí, eu vou pensar numa solução; e depois validá-la e verificar se o que foi pensado realmente vai atender àquela necessidade”, explica o professor.

Experiência
Unir os alunos e acadêmicos a empresários na busca por soluções de problemas reais está alinhado a um dos grandes propósitos da Faculdade Sapiens, que é proporcionar o ensino teórico e o prático, aproximando estes alunos do mercado para o qual estão se preparando.
Segundo Andews, ter esse contato ainda faz com que o estudante crie uma empatia e consiga pensar em soluções criativas para este mercado. Além do mais, atividades desse tipo promovem o networking entre os futuros profissionais e os já atuantes.

Sobre perceber determinado problema dentro de um mercado, o professor explica que pensar soluções criativas e replicáveis, que podem ser aplicadas em várias empresas dentro de determinado ramo, faz com que essa solução se torne um negócio, e pensar em soluções criativas é, também, despertar o espirito empreendedor no estudante, desenvolvendo habilidades para a construção do próprio negócio.

Assessoria de Comunicação

Comentários

comentários