Um acusado foi detido pela Polícia Militar (PM) e autuado por dano ao patrimônio público e obstrução da fiscalização ambiental.

Equipe do Ibama que realiza operação de combate ao desmatamento ilegal na região de Buritis, em Rondônia, foi alvo de ataque criminoso no fim da noite deste sábado (20/10). Um acusado foi detido pela Polícia Militar (PM) e autuado por dano ao patrimônio público e obstrução da fiscalização ambiental.

O criminoso usou um galão de gasolina para atear fogo em três viaturas do Instituto estacionadas em frente a um hotel. O fogo foi controlado com apoio da PM, que impediu um segundo ataque ao conduzir à delegacia de Polícia Civil um homem que incentivava a destruição de outras caminhonetes do Ibama.

Após o atentado, o Instituto acionou o Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PM de Rondônia e solicitou reforço da Força Nacional. Por determinação da presidente do Instituto, Suely Araújo, as operações de combate ao desmatamento ilegal na região, previstas no Plano Nacional Anual de Proteção Ambiental (Pnapa), serão intensificadas.

“Ataques criminosos jamais implicarão em atenuar o rigor das operações de fiscalização ambiental. O Ibama realiza essas atividades como parte importante de sua missão institucional de proteção ambiental e continuará cumprindo suas tarefas estabelecidas por lei. Nas áreas onde ocorreram ataques, a ordem é intensificar a fiscalização, com o apoio das forças de Segurança Pública”, afirmou a presidente do Instituto.

Na sexta-feira (19/10), equipe do ICMBio também foi alvo de ataque criminoso durante operação de combate ao desmatamento na Floresta Nacional Itaituba 2, no Pará. Criminosos destruíram uma ponte na estrada de acesso à Unidade de Conservação. Agentes do ICMBio foram escoltados pela PM.

Em 07 de julho do ano passado, oito viaturas do Ibama foram incendiadas em ataque criminoso na BR-163, perto da divisa dos estados de Mato Grosso e Pará. As caminhonetes eram transportadas em uma carreta para renovação de parte da frota na base de Novo Progresso (PA). Na ocasião, o atentado ocorreu após operações de fiscalização que resultaram em redução de 54% do desmatamento no eixo da BR-163, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Em 27 de outubro de 2017, as sedes do Ibama e do ICMBio em Humaitá, no sul do Amazonas, foram incendiadas após operação de combate ao garimpo ilegal no Rio Madeira (AM e RO). Cinco meses depois, a Polícia Federal (PF) cumpriu 28 mandados de prisão com o objetivo de desarticular o grupo criminoso responsável pelos atentados.

Comentários

comentários