Tribunal Regional Eleitoral faz demonstrações da urna biométrica no fim de semana no Distrito Federal, para familiarizar o eleitor com a urna eletrônica (José Cruz/Agência Brasil)

Janela partidária começa no dia 4 de março e vai até o dia 4 de abril de 2020

De acordo com a legislação eleitoral brasileira, qualquer pessoa que queira concorrer a um cargo político precisa ser filiado a algum partido. Além disso, existe um prazo de limite de filiação, que é de até seis meses antes do pleito. Logo, quem tiver pensando em concorrer a algum cargo nas eleições de 2020 tem até o dia 4 de abril do próximo ano pra se filiar ou mudar de partido.

Mas mesmo com o prazo estabelecido é preciso ter atenção ao decidir mudar de partido, isso porque essa mudança pode gerar a perda do mandato caso o partido que foi trocado peça na justiça. Para evitar que isso ocorra, a “janela partidária”, que foi criada em 2015, permite que o político detentor de mandato em cargo proporcional troque de partido sem perder o mandato. Mas ela só começa a valer 30 dias antes do último dia do prazo para a filiação partidária. Para as Eleições 2020, esse período será de 4 de março a 4 de abril.

Mas é importante observar que essa janela só serve para os cargos em disputa, ou seja, em 2020 somente vereadores podem fazer a movimentação sem o risco de perder o mandato. Os deputados que optarem por mudar de partido para concorrerem nas eleições municipais, como não estão enquadrados na janela do próximo ano, podem perder o mandato caso o partido ou suplente faço o requerimento à justiça.

Outra informação importante é que a troca partidária de filiados com mandato não muda a distribuição do Fundo Partidário nem do tempo de propaganda de rádio e TV, já que o cálculo é feito de acordo com à proporcionalidade do número de deputados federais eleitos pela sigla ao término da última eleição e de ter atingido o mínimo de votos ou de eleitos para a Câmara em todo o território nacional.

Fora a janela partidária, as únicas hipóteses em que a legislação permite parlamentares mudarem de legenda sem perder o mandato são: incorporação ou fusão do partido; criação de novo partido; desvio no programa partidário ou grave discriminação pessoal. Em qualquer outra situação, as mudanças de partido podem resultar na perda do mandato.

Com informações do Blog do Magno Martins

Comentários

comentários