Uma diligencia foi realizada nesta quinta-feira (10/10), para investigar a suspeita de abusos cometidos pela empresa de Energia de Rondônia

O presidente da Comissão de Infraestrutura do Senado, senador Marcos Rogério (DEM-RO), conduziu a primeira etapa da diligência instaurada para apurar denúncias de irregularidades cometidas pela Energisa, concessionária responsável pela distribuição de energia elétrica em Rondônia. A suspeita é de que estejam ocorrendo abusos, como cortes indevidos e alterações nos medidores de energia elétrica digitais, além da troca dos medidores sem a comunicação prévia, e o acompanhamento por parte dos consumidores.

  A reunião para pontuar todas as reclamações e iniciar a coleta de respostas por parte da Energisa foi realizada na sede da empresa, em Porto Velho, na manha desta quinta-feira (10/10). Além do senador Marcos Rogério, estavam presentes diretores da Agência Nacional de Energia Elétrica, representantes do Ministério de Minas e Energia e órgãos de defesa do consumidor  “Essa é uma ação conjunta da Comissão de Infraestrutura com os órgãos do Governo ligados ao setor. Precisamos dar uma resposta efetiva ao povo de Rondônia, pois o volume de reclamação em relação a atuação da empresa é muito grande”, destacou Marcos Rogério.

 Na ocasião, a Aneel afirmou que o processo de investigação das denúncias já está em andamento. “Estamos coletando dados e informações com a população e também fazendo uma análise técnica sobre possíveis alterações nos relógios e cobranças indevidas”, destacou Efrain Cruz, diretor da Aneel.

 Já a Energisa reconheceu que o volume de reclamações indica a necessidade de melhoria na oferta de serviço. Porém, desmentiu algumas das principais acusações feitas pelos consumidores. Em relação aos lacres dos relógios, a empresa disse que o mesmo já vem lacrado de fábrica. Negou, ainda, que os relógios sejam trocados sem autorização dos moradores, e pontuou que a balaclava, um tipo de máscara que é usada pelos funcionários, é apenas um equipamento de segurança e não um artifício para evitar que os técnicos sejam filmados ou identificados.

 Enquanto as denúncias são apuradas, uma das recomendações feita pelo senador Marcos Rogério, presidente da Comissão de Infraestrutura do Senado, é de que não haja reajuste na conta de luz dos rondonienses. “Agora é o momento de levantar dados e apurações. Essa não é uma tarefa rápida, ainda não podemos dar uma data precisa de quando teremos finalizado as investigações. Mas, após todo esse processo vamos realizar uma audiência pública, aqui em Porto Velho, para dar uma resposta ao consumidor rondoniense”, explicou o parlamentar.

Também participaram da reunião o advogado Gabriel de Moraes Correia Tomassete, o presidente do Conselho de consumidores da Eletrobrás, Robson Fernando Batistão, e o deputado federal Lúcio Mosquini, coordenador da bancada federal.

Comentários

comentários