Em entrevista à TV Record na noite deste domingo (3), Jair Bolsonaro afirmou que é provával sua saida do PSL e a criação de um novo partido de extrema-direita. O ocupante do Palácio do Planalto disputa com o presidente do partido, o deputado Luciano Bivar (PSL-PE) os milionários fundos partidário e eleitoral da sigla

Durante a enrevista na TV Record, Bolsonaro se queixou que paga a conta “sobre qualquer desvio de terceiro no partido”, enfatizando que “a mesma coisa acontece no tocante a fundo partidário”.

Reportagem da Folha de S.Paulo aponta que a crise de Bolsonaro com o PSL se arrasta desde que surgiram as denúncias sobre o esquema de candidaturas laranjas nas eleições de 2018 e ganhou proporções ainda maiores quando foi revelado um áudio do deputado Delegado Waldir (GO) chamando Bolsonaro de “vagabundo”.

“Quero que o partido não tenha problema nas eleições municipais do ano que vem e numa possível reeleição minha em 2022”, disse Bolsonaro na TV Record.

Ele deixou claro que ou comanda o PSL ou sairá da sigla. Sobre essa última possibilidade, numa escala de 0 a 100, declarou: “80% pra sair e 90% pra criar um novo partido. Que vai começar do zero. Sem televisão, sem fundo partidário, sem nada.”

Bolsonaro afirmou que seu sonho seria criar um partido até março e ter cerca de 200 candidaturas pelo país nas eleições municipais do ano que vem.

Bolsonaro voltou a atacar o governador do Rio, Wilson Witzel (PSC-RJ), por conta da reportagem do Jornal Nacional, divulgada no dia 29, que relacionava seu nome à investigação dos assassinatos da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes.

com informações da Folha

Comentários

comentários