terça-feira, janeiro 22, 2019
Início Site

NOTA PÚBLICA: Prefeitura adota medidas cabíveis para manutenção do serviço de transporte coletivo na capital

A Prefeitura de Porto Velho, por meio da Secretaria Geral de Governo (SGG), vem a público informar que está adotando todas as medidas legais cabíveis, com acompanhamento da Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transporte (Semtran) e Procuradoria Geral do Município (PGM), para que o sistema de transporte público possa funcionar normalmente na Capital.

A SGG informa, ainda, que no dia 14 de dezembro de 2018, em audiência realizada na 2ª Vara da Fazenda Pública (Proc. nº 7022877-90.2018.8.22.0001), entre o Município de Porto Velho e o Consórcio SIM, ficou estabelecido que a administração municipal deveria adotar procedimentos que possibilitassem a regular continuidade dos serviços prestados pela atual contratada, até que se finalize o procedimento licitatório em curso para contração de nova operadora do transporte coletivo municipal, evitando, dessa forma, que a população seja prejudicada.

Em razão do estabelecido em Juízo, a Prefeitura Municipal esclarece que será publicado nesta data, ato do Poder Executivo revogando o art. 2º do Decreto nº 14.575 de 30 de junho de 2017, que instituiu a tarifa social de R$1,00 (um real), a fim de garantir o equilíbrio da relação entre a municipalidade e a prestadora do serviço, passando a tarifa estudantil a ser cobrada de acordo com a Lei Municipal n. 1.406/2000.

Da mesma forma, restou fixado que a Prefeitura Municipal deveria realizar estudo de viabilidade de incentivo fiscal, o qual está em fase final, no que tange a prestação de serviço de transporte coletivo, de forma a acompanhar o que outros grandes municípios já vem promovendo no cenário nacional.

Ato contínuo, a Semtran apresentará, no prazo de 7(sete) dias, solução no tocante a readequação de rotas dos ônibus que operam na Capital, a fim de garantir a efetividade do transporte coletivo e a viável execução do serviço pelo Consórcio SIM.

Por fim, a Prefeitura reitera o compromisso com a lei e a ordem e ressalta que promoverá os esforços necessários para garantir à população portovelhense, a manutenção do direito constitucional ao transporte coletivo.

Jaqueline Cassol integra força tarefa que tenta evitar aumento de energia elétrica em Rondônia

 

A deputada federal eleita participou, nesta sexta-feira, de reunião que definiu as ações para reverter o quadro

A presidente dos Progressista em Rondônia e deputada federal eleita, Jaqueline Cassol, participou na tarde desta sexta-feira (18), em Porto Velho, de uma reunião com a força tarefa que busca mecanismos legais para evitar o aumento da tarifa de energia elétrica em Rondônia.

O encontro aconteceu no gabinete do deputado federal eleito, Leo Morais (Podemos), e contou com a presença dos também deputados Mauro Nazif (PSB), Coronel Chrisóstomo (PSL), Defensor Público-Geral, Marcos Edson, presidente do Conselho Estadual da Defesa do Consumidor (Condecon), Gabriel Tomasete e do secretário-geral dos Progressistas, Luiz Paulo Batista.

No encontro ficou decidido que a bancada federal de Rondônia vai trabalhar unida para ter sucesso na causa, considerada difícil na visão do Defensor Público-Geral. “Elaboramos uma Petição de Agravo para protocolar no Tribunal Regional Federal [TRF]. No entanto, pela minha experiência, é improvável revertermos apenas pela via jurídica. É preciso muito apoio político nesta situação”, explicou Marcos Edson.

Recentemente, a justiça suspendeu os efeitos da liminar que impedia o acréscimo da energia em Rondônia. Com isso, em alguns casos, a nova tarifa pode sofrer aumento de até 27%. Para a deputada federal, Jaqueline Cassol, essa não é uma questão apenas jurídica, mas sim econômica e social. “Esse aumento traz prejuízos para todos os segmentos do nosso estado. Prejudica o empresário, que terá que repassar esse sobrepreço ao consumidor. Afeta a indústria, pois a energia é um insumo essencial para o processo produtivo e claro, atinge a população, que mesmo fazendo economia tem pagado cada vez mais caro nas contas”.

Os parlamentares presentes na reunião se comprometeram em fazer o que for necessário para evitar que a população rondoniense pague mais caro na tarifa de energia. Entre os planos de ação está: a convocação dos demais deputados, senadores, presidente da Assembleia Legislativa e Governador para integrar a força tarefa; agenda conjunta da bancada com o presidente do TRF para sensibilizá-lo sobre a situação; audiências com o presidente da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e com o Ministro de Minas e Energia, além de mobilização popular.

Presidente do Condecon, o advogado Gabriel Tomasete informou que se a decisão não for revista, pode ocorrer de o aumento começar a ser cobrado nas já nas próximas faturas de energia. “É possível que seja cobrado o retroativo. Nós somos contra e temos argumentos de sobra para que essa decisão não continue valendo. O recurso está pronto e será protocolado nessa agenda conjunta com a bancada federal. É uma forma de mostrarmos força e de fazer uma espécie de pressão no judiciário para que a decisão seja revertida juridicamente”.

Jaqueline Cassol se colocou à disposição para acompanhar a comitiva que vai a Brasília nos próximos dias. “Faço questão de acompanhar essa agenda, pois fui eleita para trabalhar por Rondônia e esse é nosso primeiro grande desafio. Não será fácil, mas unidos teremos mais força para buscar uma solução que beneficie nosso estado”, avaliou a deputada

Justiça federal do Acre mantém liminar a proibição do aumento da conta energia pela ENERGISA Justiça federal do Acre mantém liminar a proibição do aumento da conta energia pela ENERGISA

O juiz Federal Jair Facundes negou na última sexta-feira (17) o pedido de reconsideração da empresa Energisa e manteve a liminar favorável à Defensoria Pública do Acre que propôs a suspensão do reajuste de 25% determinado pela energisa, antiga Eletroacre, nas contas de luz dos acreanos.

A exemplo do que aconteceu em Rondônia, a Energisa recorreu da liminar que suspende o aumento na tarifa de energia e pediu reconsideração à Justiça. Embora o pedido da empresa foi aceito a respeito de Rondônia, no Acre foi negado e, por enquanto, não haverá aumento.

Em defesa pela manutenção da liminar que proíbe o reajuste, a Defensoria Pública do Acre ressaltou que a Energisa não realizou audiência pública, de forma que determina a lei, para debater o assunto e, tampouco, comunicou o presidente do Conselho Estadual do Consumidor

Em 10 anos Marcos Rogério sai de vereador a Senador da republica federativa do Brasil

Eleito vereador em 2008, após dez anos o ji-paranaense Marcos Rogério da Silva Brito foi eleito senador de Rondônia, obteve 324.939 votos totalizados (24,06% dos votos válidos) no 1º turno das Eleições 2018. Em dez anos o Jornalista e Radialista alçou-se do cargo de vereador na sua cidade natal e será empossado no dia 1º de fevereiro como novo senador.

Mas a história política do senador já diplomado não se inicia em 2008, na eleição de 2004 o atual deputado federal fez-se candidato a vereador pelo município de Ji-Paraná, concorrendo pelo Partido Popular Socialista – PPS. O então jornalista e redator não foi eleito tornando se suplente. No pleito o então candidato obteve 758 votos um a menos que o vereador eleito pela sua coligação composta pelos partidos (PDT/PT/PL/PPS) José da Silva Lopes (Zé Lopes) que Alcançou 759 votos.

No pleito de 2008 Marcos Rogério candidatou-se novamente ao cargo de vereador na cidade de Ji-paraná, concorreu pelo Partido Democrático Trabalhista – PDT recebeu 1.305 votos, sendo eleito.

Nas eleições de 2010 o então vereador alçou vôo maior, ainda pelo PDT lançou-se candidato a deputado federal pela coligação aliança por uma Rondônia melhor para todos I, composta pelos partidos PDT / PMDB / DEM / PRTB / PC do B, apurados os votos obteve 15.026, desses 11.649 em Ji-paraná. Nessa eleição a deputada Marinha Raupp da mesma coligação de Marcos Rogério obteve 100.589 votos (14,24% dos votos válidos).

Marcos Rogério foi candidato a deputado federal em 2010 e não foi eleito, Ele assumiria o cargo alguns meses depois em função da perda de mandato de Lindomar Garçon. No dia 16/11/2011 A Mesa Diretora da Câmara decidiu decretar a perda de mandato do deputado Lindomar Garçon (PV-RO). A medida atendia a decisão tomada pelo Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE-RO) que recontou os votos da eleição de 2010 em razão da Lei da Ficha Limpa. A medida alterou o resultado da eleição no estado. Para o lugar de Lindomar foi empossado o deputado Marcos Rogério da Silva Brito (PDT-RO).

O então corregedor da Câmara, Eduardo da Fonte (PT-PE) deu parecer favorável e a decisão foi acatada por unanimidade. A Justiça Eleitoral de Rondônia indeferiu o registro da candidatura de Daniela Amorim ao cargo de deputada federal pelo PTB, o que alterou o resultado das eleições. Ela possuía condenações de órgãos colegiados por abuso do poder econômico e improbidade administrativa, com enriquecimento ilícito e lesão ao erário.

Marcos Rogério Assumiu e foi efetivado no mandato de Deputado Federal, na Legislatura 2011-2015, em 17 de novembro de 2011, em virtude de nova totalização dos votos pelo TRE-RO

Em 2014 ainda pelo PDT candidata-se novamente a deputado federal, pela coligação Rondônia no caminho certo 1 composta pelos partidos PMDB / PRTB / PC do B / PDT / PRP / PSB / PTB / PSL / PTN, obtém 60.780 votos,desses 32.733 em  Ji-paraná. Assim sendo o segundo mais votado do estado, nessas eleições foi reeleito o senador Acir Gurgacz PDT com 312.614 votos.

Filiado ao PDT desde 2007 partido por qual disputou uma candidatura a vereador e duas a deputado federal, em 2016 Marcos Rogério filia- se ao Democratas( DEM).

Nas eleições de 2018 candidata-se ao senado pelo partido Democratas-DEM, coligação Rondônia, esperança de um novo tempo, composta pelos partidos PSDB / DEM / PSD / PRB / PATRI, Marcos Rogério obteve 324.939 votos totalizados (24,06% dos votos válidos) e foi eleito Senador em Rondônia no 1º turno das Eleições 2018. Superando Confúcio Moura que foi governador do estado eleito duas vezes seguidas, em 2010 e 2014, e deputado federal por três vezes que obteve 230.361 votos (17,06% dos votos válidos).

Disputando a eleição com diversos candidatos, entre eles Valdir Raupp, Carlos Magno, Aluizio Vidal, Jesualdo Pires, Jaime Bagattoli e Confúcio Moura, Marcos Rogério ficou em primeiro lugar, superando nomes importantes da política rondoniense.

A Ascensão de Marcos Rogério não e meramente na política, nos últimos dez anos cresceu também o patrimônio do Senador eleito, Em 2004 na sua primeira candidatura nenhum bem foi cadastrado no site que divulga candidatura e contas eleitorais. Em 2008 quando foi eleito vereador, declarou possuir 168.000,00 reais  em bens, sendo um imóvel urbano e um automóvel, dez anos depois já na eleição para o senado declarou possuir cerca de um milhão e meio de reais em bens, entre eles imóveis rurais e 1/3 de  uma aeronave

Após dez anos da posse na Câmara Municipal de Ji-paraná, Marcos Rogério será empossado no Senado Federal, onde exercerá o mandato de senador por Rondônia nos próximos oito anos

Jirau, Santo Antonio e Belo Monte receberam R$ 42,9 bilhões do BNDES

UHE Santo Antônio

As grandes usinas hidrelétricas estruturantes do Norte do país receberam R$ 42,9 bilhões em recursos do BNDES entre 2004 e 2018, de acordo com a lista dos 50 maiores tomadores de recursos da instituição, publicada hoje no site do banco.

A Norte Energia, concessionária da megausina de Belo Monte, no rio Xingu (PA), tomou R$ 25,4 bilhões em recursos, e ocupa sozinha o terceiro lugar entre os maiores tomadores de recurso do BNDES.

Originalmente, previa-se que a construção do empreendimento, que terá potência total de 11,2 gigawatts (GW), custaria o total de R$ 19 bilhões em investimentos e ficaria pronta em 2015. Diversos problemas, contudo, adiaram a construção da usina, que deve entrar em operação totalmente apenas no fim deste ano.

As usinas do complexo do rio Madeira (RO), Santo Antonio e Jirau, completam os R$ 42,9 bilhões em recursos tomados do BNDES durante o período.

A Energia Sustentável do Brasil, concessionária de Jirau, tomou R$ 9,4 bilhões. A companhia tem como sócias a Eletrobras, com 40%, a francesa Engie, também com 40%, e a japonesa Mitsui, com 20%.

Mais problemática que sua vizinha de rio, a Santo Antonio Energia levou outros R$ 8,125 bilhões em recursos do BNDES. Enfrentando diversos problemas financeiros, a usina tem como sócios Furnas, com 42,46%, Cemig, com 8,63 em participação direta e outra indireta por meio da Saag (Cemig e Andrade Gutierrez), que tem 10,61%, e a Odebrecht, que tem participação total de 28,4% no empreendimento, entre direta e indireta.

Leia notícia na íntegra.

Autor / Fonte: Valor Econômico

Sisu abre inscrições nesta terça-feira (22); veja dicas para conseguir uma vaga

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) abre inscrições nesta terça-feira (22) e traz novidades. Especialistas dão dicas de como usar o sistema e como aproveitar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para garantir uma vaga no ensino superior público.

Pelo Sisu, os estudantes usam a nota do Enem para ingressar em instituições públicas. Nesta edição, são mais de 235,4 mil vagas distribuídas em 129 universidades públicas de todo o país. Logo na inscrição é possível escolher até duas opções de cursos. A lista das vagas pode ser consultada no site do programa.

A principal novidade deste ano é que os estudantes que forem selecionados em qualquer uma das duas opções não poderão participar da lista de espera. Até o ano passado, aqueles que eram selecionados na segunda opção podiam ainda participar da lista e ter a chance de ser escolhido na primeira opção.

“Os candidatos têm que estar atentos a essa mudança. A dica é se inscrever no que realmente deseja trabalhar, entendendo que a universidade é o período em que se vai estudar para ter uma profissão. Tanto a primeira quanto a segunda opção têm que ser marcadas com o que o estudante quer”, diz o coordenador pedagógico do colégio Mopi, Luiz Rafael Silva.

Com o resultado do Enem disponível desde sexta-feira, o analista de ensino superior do Quero Bolsa, Pedro Amâncio, aconselha os candidatos a pesquisar desde já as notas de corte de anos anteriores do curso e da instituição onde desejam ingressar. Além disso, devem analisar se têm possibilidade de estudar em outra cidade, qual o custo de vida e quais as possibilidade de emprego que esse local pode oferecer após formado.

“São várias as variáveis que os alunos têm que olhar na hora da decisão. Acredito que vale a pena olhar para as possibilidades e simulações que a internet proporciona, conversar com amigos. Tudo isso pode ser feito antes da abertura do Sisu”, diz Amâncio. Ele orienta os estudantes a escolherem como primeira opção uma faculdade dos sonhos e, como segunda, uma em que seja possível ingressar.

Notas de corte

Uma vez por dia, o sistema do Sisu divulga as notas de corte de cada um dos cursos disponíveis. Trata-se de uma estimativa com base nos candidatos inscritos até o momento. Embora não seja uma garantia da vaga, é possível usar a informação para orientar a escolha.

“Até o encerramento das inscrições, o estudante consegue observar se há outra instituição, outro turno ou outro estado no qual ele tenha uma colocação melhor, que fique mais próximo da nota de corte”, destaca Silva.

O coordenador pedagógico pondera no entanto, que a situação pode mudar. Ele tem como prova a própria história. Quando foi aprovado para biologia estava 161ª posição para 35 vagas. “Isso é relativo. É interessante que o candidato consulte a nota de corte dos anos anteriores, quantas chamadas teve naquela instituição, para saber se realmente vai conseguir e até onde pode tentar ficar naquela vaga”, aconselha.

Sisu

As inscrições para o Sisu podem ser feitas de terça a sexta-feira (25). O resultado será divulgado no dia 28. A matrícula dos selecionados deve ser feita do dia 30 de janeiro ao dia 4 de fevereiro.

Do dia 28 ao dia 4 de fevereiro, os estudantes que não foram selecionados na chamada regular, em nenhuma das opções, podem manifestar o interesse em participar da lista de espera. Esses alunos serão convocados pelas próprias instituições de ensino a partir do dia 7 de fevereiro.

Maurão e Lebrão passam bem após acidente com trator em fazenda

Socorridos para um hospital na capital, os dois foram medicados, receberam pontos na cabeça e após avaliação médica, foram liberados.

O presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (MDB), e o primeiro secretário, José Lebrão (MDB), passam bem após sofrerem um acidente com um trator, na tarde deste domingo, na propriedade de Maurão, em Porto Velho.

Ao realizarem um teste em um trator, durante a manobra o veículo bateu em um buraco e os dois foram lançados ao solo, sofrendo cortes na cabeça e pequenas escoriações pelo corpo.

Socorridos para um hospital na capital, os dois foram medicados, receberam pontos na cabeça e após avaliação médica, foram liberados.

“Foi um acidente, apesar de termos experiências na direção de trator, fomos surpreendidos por um buraco no meio do pasto onde estávamos. Mas, graças a Deus, estamos bem após o socorro médico”, disse Maurão.

Lebrão aproveitou para tranquilizar a todos os seus familiares, amigos e eleitores. “Estou firme, apesar do susto e dos ferimentos na cabeça, que sempre requer mais atenção. Deus nos livrou de um mal maior e nos protege para que nos recuperemos. Desde já, agradeço às manifestações que temos recebido de todos”.

Mega-Sena, concurso 2.117: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio vai a R$ 38 milhões

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.117 da Mega-Sena, realizado na noite deste sábado (19) em Piratuba (SC). O prêmio acumulou.

Veja as dezenas sorteadas: 04 – 28 – 29 – 30 – 43 – 52.

A quina teve 44 apostas ganhadoras; cada uma levará R$ 60.858,91. Outras 4.036 apostas acertaram a quadra; cada uma receberá R$ 947,82.

O próximo concurso (2.118) será na quarta-feira (23). O prêmio é estimado em R$ 38 milhões.

Para apostar na Mega-Sena

As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país ou pela internet. A aposta mínima custa R$ 3,50.

Probabilidades

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

SÓ UMA GRANDE SURPRESA DE ÚLTIMA HORA TIRA A PRESIDÊNCIA  DA ASSEMBLEIA DE ALEX REDANO OU LAERTE GOMES 

Com Lebrão fora da disputa, neste final de semana se comentava que poderia haver uma vitória extremamente fácil da turma que, em sua maioria, não é ligada ao Palácio Rio Madeira/CPA, embora garanta que ajudará o Governo em tudo o que for importante para Rondônia.

Quando os deputados se reunirem na solenidade de inauguração do novo e moderno prédio da Assembleia, nessa próxima terça-feira, a questão do novo presidente e da Mesa Diretora para a nova legislatura, já estará definida? A resposta é sim. Nos bastidores, fala-se que o Grupo dos 17 (embora já possa ter até bem mais do que os 17!), liderado por Alex Redano (PRB), Laerte Gomes (PSDB), Jean Oliveira (MDB), Marcelo Cruz (PTB), Jair Montes (PTC), Pastor Alex Silva (PRB), entre outros, teria fechado também com parlamentares que antes estavam com o deputado José Lebrão (MDB) ou que, ainda, poderiam apoiar Eyder Brasil (PSL). O deputado Lebrão teria ligado para vários colegas seus, que estavam entre os que certamente o apoiariam na corrida pela Presidência, avisando que está fora do jogo. Segundo o deputado Aélcio da TV, um dos que tinha empenhado sua palavra de que apoiariam Lebrão, só a desistência do seu colega emedebista poderia fazê-lo trocar de candidato. Na quinta-feira, houve uma reunião entre vários deputados, incluindo o atual presidente, Maurão de Carvalho, com representantes do outro grupo, como Laerte Gomes. O que se ouviu no encontro é que a formação de uma chapa com a grande maioria de membros da que já está formada já há semanas, para disputar com o grupo de Lebrão, é um caminho que está consolidado. Nesse raciocínio e caso não haja alguma mudança de última hora, Alex Redano ocuparia a presidência do parlamento por dois anos e Laerte Gomes por outros dois. Não estaria ainda definido qual dos dois ficaria com o primeiro período no comando da Assembleia. Com Lebrão fora da disputa, neste final de semana se comentava que poderia haver uma vitória extremamente fácil da turma que, em sua maioria, não é ligada ao Palácio Rio Madeira/CPA, embora garanta que ajudará o Governo em tudo o que for importante para Rondônia.

Há ainda, contudo, a candidatura do deputado  Eyder Brasil, único eleito pelo partido do governador Marcos Rocha, que continua em campanha pela presidência da Casa. Ele confirmou isso à coluna neste sábado, embora tenha sublinhado que está aberto a negociações, para uma chapa de consenso. Mas, a verdade é que o que se ouve pelos corredores do poder, é que as chances de o governo ganhar a presidência da Assembleia com aliados, é mais ou menos as que tem o Sargento Garcia de prender o Zorro. É sempre bom lembrar, contudo: em política, nada é definitivo. Faltam ainda onze dias para a eleição da nova Mesa e, todo esse tempo, para mudar algo na politica, configura-se como quase uma eternidade. Às vezes, tudo o que está acertado muito tempo antes, pode cair a minutos da votação decisiva. Dessa vez, nada leva a crer que será o caso. A verdade é que só um fato novo, muito forte, quase perto do milagre, tira a vitória acachapante, que se desenha, do grupo que está formado há longo tempo e que nunca deu, na verdade, maior espaço para que algum nome ligado ao governo prosperasse. O futuro dessa nova Assembleia já está definido.

QUAIS AS CHANCES DA CAERD?

Uma das maiores dores de cabeça para o governo de Rondônia é a Caerd. Por sua dívida imensa e impagável, que chega à casa do 1 bilhão de 600 milhões de reais, a estatal se tornou inviável. Nos últimos meses, contudo, a Caerd se mostrou uma empresa saudável e com possibilidade de recuperação, não fosse seu inacreditável passivo, graças à forma de administrar de sua nova diretoria, representada por membros do Sindur, o sindicato da categoria. O que fazer, daqui em diante? O governador Marcos Rocha tomou uma decisão inteligente, nas atuais circunstâncias. Manteve a diretoria da estatal, que, nos últimos oito meses, conseguiu regularizar o pagamento atrasado dos servidores e manter-se com seus atuais compromissos em dia. Ficam no cargo o diretor presidente José Cardoso Ferreira e os diretores Wagner Zacarini e Sérgio Galvão da Silva. O drama da Caerd será longo e penoso, porque as dívidas acumuladas tiram praticamente todas as chances da empresa sobreviver, ao menos como ela é atualmente. Será privatizada?  Mas quem vai querer comprar uma estatal com 1 bi e 600 milhões em dívidas? A diretoria da Caerd e o governo rondoniense têm um enorme desafio para conseguir fazer sobreviver uma empresa quebrada, por irresponsabilidades, ao longo de 30 anos.

PROTEGENDO OS SERVIDORES

No encontro dessa semana, quando o governador Marcos Rocha decidiu manter a diretoria “caerdiana”, os comentários dos representantes da empresa foram bastante elogiosos, em relação às posições do Coronel Rocha. Um deles considerou o Governador “uma pessoa muito republicana, cujas posições surpreenderam, pela forma clara e objetiva com que traça seus planos e dá suas orientações”. Rocha disse no encontro que tem grandes planos para o saneamento básico em Rondônia, seja com a Caerd estatal ou privatizada. O que os servidores do órgão mais gostaram de ouvir, foi quando Rocha afirmou que “qualquer projeto para a Caerd vai levar em conta os maiores interesses da população, mas sem jamais passar por cima daquelas pessoas que dedicaram suas vidas à empresa, porque jamais permitiria injustiças contra os servidores e suas famílias”. Para o Governador, a manutenção da equipe dirigente da Caerd tem motivos claros: a diminuição das despesas, o aumento da receita e um trabalho que, mesmo sob as atuais circunstâncias, não tem trazido transtornos à população. Não fosse sua dívida, a Caerd, a partir de agora, seria viável. Mas seu passado a condena, infelizmente.

O CICLISTA E O IRMÃO DO GOVERNADOR

Vereador de Ji-Paraná, que vai se transformar em deputado estadual dia 1º de fevereiro, Cabo Johny Paixão, do PRB, quer chegar à Capital para marcar presença. Não quer deixar passar o evento como se ele fosse simples. Cabo Johny virá de bicicleta, desde sua cidade, a mais de 370 quilômetros da Capital e levará quatro dias para chegar ao seu destino. Sairá de Ji-Paraná no final da tarde do dia 24 próxima (quinta-feira da semana que vem) e só chegará na noite de domingo, quatro dias depois. Apaixonado pelo ciclismo, o néo deputado pretende divulgar o esporte e arregimentar mais adeptos para ele. Não tem certeza de quantos outros ciclistas o acompanharão, mas a meta é que, a partir de Ouro Preto do Oeste, a 100 quilômetros de distância, a “comitiva” de ciclistas já supere os 150 participantes.  Johny quer também, durante sua longa estada pela BR 364, realizar um abaixo assinado em todas as cidades que passar, pedindo a implantação de ciclovias e ciclo faixas em zonas urnbanas das comunidades rondonienses. O desafio pessoal de Johny faz lembrar o que fez o médico Nobel Moura, irmão do então governador eleito Confúcio Moura, que veio a pé de Ariquemes, até Porto Velho, para comemorar a chegada do mano ao Governo, em 2011. Dois anos depois, Nobel rompeu com o governo do irmão, depois da morte de um paciente, por falta de estrutura, no Hospital de Ariquemes, que ele dirigia.

FLÁVIO E LULA, A POLÍTICA NA POLÍCIA

Duas bombas no mundo político/policial brasileiro (ambos cada vez mais próximos) sacodem o noticiário nacional. O primeiro deles refere-se ao volume de dinheiro que o senador eleito Flávio  Bolsonaro recebeu em suas contas bancárias, em pouco tempo e sem se saber de onde veio a grana. Num prazo de dois dias, por exemplo, ele teria recebido quase 100 mil reais, em 48 depósitos. Tudo seria absolutamente tranquilo e sem suspeitas, se Bolsonaro e um de seus amigos, um policial amigo, que foi seu motorista, tivessem dado seus depoimentos às autoridades, com as devidas explicações. Mas além de não darem, o filho do Presidente da República ainda apelou para foro privilegiado, coisa que ele e seu pai criticaram duramente na última campanha eleitoral. O caso de Flávio pode sim prejudicar seriamente o governo do seu pai, até que tudo seja esclarecido, ou ele, Flávio, pague pelos erros cometidos, se os cometeu. Já o segundo caso envolve novamente o ex presidente Lula, que já não tem mais ficha política, mas apenas ficha policial. Seu ex braço direito, Antônio Palocci, em denúncia premiada, diz que Lula recebeu propina em dinheiro vivo. E que em duas ocasiões, ele mesmo, Palocci, entregou o dinheiro, em caixas de bebidas, ao então Presidente da República. Sujeira pouca é bobagem. Temos mesmo que viver nesse lamaçal. Tomara que todos os inocentes (se os houver) saiam livre e todos os culpados (e os há, muitos! ), recebem o castigo que merecem. Pobre Brasil!

ALTA VELOCIDADE NAS RUAS

O trânsito da Capital está realmente muito desorganizado, perigoso, mortal. O número de acidentes não para de crescer. Mesmo em vias muito bem sinalizadas, como a Duque de Caxias, é impressionante o número de colisões, vítimas feridas e vítimas fatais. A invasão de acidentados no Hospital João Paulo II deve tornar o nosso pronto socorro um recordista mundial em número de atendimentos, de quem sofre alguma lesão por acidente nas ruas, proporcionalmente ao seu tamanho. As autoridades da saúde pública não sabem mais o que fazer, tal o desespero da falta de leitos para atender tantos feridos, alguns em estado greve, alguns em estado terminal. Tem solução? O novo secretário da Semtran, Coronel Kisner, certamente já está quebrando a cabeça em busca de alternativas para melhorias do sistema de transportes e tráfego de Porto Velho. Mas nada que ele e sua equipe fizerem vai resolver, caso não mude a mentalidade da maioria dos motoristas e motociclistas, alguns que se tornaram verdadeiros pilotos de prova nas ruas. Por isso, combater a altíssima velocidade que desenvolvem no perímetro urbano, contra todas as leis e o bom senso, tem que ser a prioridade total da Semtran. Multas. Multas. Multas. Pesadas. Sem isso, nada vai funcionar contra os malucos que se adonam de nossas ruas e avenidas.

GUERRA À VERDADE

Os perdedores querem impor suas pautas. É inacreditável a cara de pau de boa parte da mídia (daquela aparelhada e vivendo de teorias esquerdistas, além do que mamaram nos governos petistas) direciona suas notícias para contestar decisões do governo Bolsonaro, para tentar avacalhar com ministros, antes mesmo que eles comecem a trabalhar; como tentar direcionar seus comentários e notícias para dizer como o governo deveria agir, porque tudo está errado, como o Brasil deveria ser gerido. É inacreditável que parte da imprensa brasileira, que se diz imparcial, tenha assistindo os 16 anos de assalto aos cofres públicos em total silêncio e agora, qualquer insinuação de irregularidade da turma bolsonarista, vale metade de um Jornal Nacional. Por trás de tudo isso, é claro, está o que vem por aí, ironizando-se um dos slogans da poderosa Globo: ela vai perder enorme fatia das verbas publicitárias oficiais. O pânico está chegando, por isso, a intenção de não permitir que o governo se consolide. Será que essa gente vai conseguir? Ou a grande maioria do povo brasileiro, que elegeu o novo presidente, sairá vencedora nessa guerra que boa parte da mídia quer impor ao país?

PERGUNTINHA

Conta de luz com aumento pornográfico; conta de água, IPTU, primeiro mês do IPVA, carnês das compras de Natal, material escolar, impostos, taxas, contribuições: de onde você vai tirar tanta grana para pagar todas as suas contas de janeiro?

Marciano, ícone do sertanejo, morre aos 67 anos

Conhecido como “o inimitável”, o cantor Marciano sofreu um infarto fulminante na madrugada desta sexta-feira (18/1). Ele morreu enquanto dormia, por volta das 2h da manhã, em sua casa, na cidade de São Caetano do Sul, interior de São Paulo. Marciano tinha 67 anos.

 

A morte foi comunicada pelo Instagram oficial de Marciano. “É com imenso pesar que, em nota, confirmamos o falecimento do cantor Marciano, o Inimitável. Em breve, divulgaremos mais informações. Nesse momento, agradecemos o carinho de todos e pedimos orações à família”.

Ao lado da dupla João Mineiro, que morreu em 2012, embalou músicas de sucesso na década de 1980. Hits como Ainda ontem chorei de saudadeO beijo do adeus Seu amor ainda é tudo permanecem ficara eternizados na cultura musical sertaneja.

“É com imenso pesar que, em nota, confirmamos o falecimento do cantor Marciano, o Inimitável. Em breve, divulgaremos mais informações. Nesse momento, agradecemos o carinho de todos e pedimos orações à família”.