segunda-feira, outubro 22, 2018
Início Site Página 2

#FAKENEWS: Maurão de Carvalho diz que matéria sobre fechamento da casa de apoio em Barretos é mentirosa e maldosa

Ele garantiu manter casa funcionando até final do ano e que busca parcerias para seguir com o abrigo aos pacientes com câncer.

O presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (MDB), rebateu a matéria publicada em um site, que o acusava de, após as eleições, ter fechado a Casa de Apoio O Samaritano, que o parlamentar mantém em Barretos (SP), para atender aos pacientes de Rondônia que vão em busca de tratamento contra o câncer.

O deputado classificou como “mentirosa e maldosa” a divulgação pelo site de que ele teria determinado o fechamento imediato do espaço que há dez anos recebe pacientes e acompanhantes, de forma gratuita, sendo uma referência para quem sai de Rondônia em busca de tratamento em Barretos.

“Não é verdade que demos um prazo curto para que as pessoas desocupassem a Casa. Primeiro, porque vou manter a casa funcionando até o final do ano. Depois, que seria uma atitude desumana de minha parte, o que não condiz com a minha postura, que mantive esse espaço de portas abertas aos pacientes de Rondônia que enfrentam essa terrível doença”, desabafou.

Acometido por um câncer há uma década, Maurão fez tratamento em Barretos e lá conheceu a dura realidade dos milhares de pacientes que saiam todos os anos de Rondônia, para também se tratarem. Então, decidiu criar uma casa de apoio apara acolher a todos, atendendo ao pedido das pessoas e, também, como forma de agradecer a Deus pela cura da doença.

“A matéria foi pura maldade, uma mentira grave, com a finalidade de buscar audiência e sem respeitar o nosso trabalho ao longo desse tempo todo. Perdi a eleição e sempre têm aqueles que se aproveitam para tentar nos denegrir e nos diminuir, mas não vão conseguir, pois temos trabalho prestado”, acrescentou.

Parcerias

Além de garantir que as portas de O Samaritano vão ficar abertas até o final deste ano, Maurão anunciou que está buscando, junto com empresários e amigos, a manutenção da casa em 2019. Mais de 10 mil pacientes já passaram pela Casa.

“Mantive ao longo desses dez anos com recursos próprios. É do meu salário como deputado que custeio o funcionamento da casa. Agora, peço que formemos uma corrente do bem, para que as pessoas possam se juntar e nos ajudar a manter as portas de O Samaritano abertas a quem precisa”, conclamou.

Hospital do Amor

Maurão de Carvalho conheceu o presidente da Fundação Pio XII, Henrique Prata, entidade que gerencia o Hospital de Câncer de Barretos. “Como Rondônia tinha um elevado número de pacientes atendidos em Barretos, mostrei a ele a necessidade de termos uma unidade para atender aqui no Estado. Ele topou, trabalhamos junto ao Governo para a vinda do ‘Barretinho’ e depois do Hospital de Câncer da Amazônia, agora conhecido como ‘Hospital do Amor'”, completou Maurão.

Hoje, Rondônia trata cerca de 90% dos casos de câncer na unidade implantada na capital, tendo Maurão destinado a primeira emenda, no valor de R$ 1 milhão, para iniciar as obras de terraplanagem.

“Agora, o paciente não precisa mais viajar três mil quilômetros para buscar o tratamento, pois são atendidos aqui, com muita qualidade. Reduziu o fluxo de pacientes, mas ainda temos uma média próxima de 20 pessoas atendidas por dia na nossa Casa de Apoio em Barretos, por isso vamos trabalhar para garantir o seu funcionamento, para oferecer um abrigo a quem precisa”, finalizou.

#TURISMO: Rota das Águas encerra com escolha de representante do festival

Daniela Matos, vencedora do concurso Água Gelada, ganhou a competição ‘Garota Rota das Águas’


A Prefeitura de Porto Velho, por intermédio da Subsecretaria Municipal de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho (Semdestur), encerrou neste último domingo (14/10) o projeto ‘Festival Rota das Águas’, idealizado para promover os balneários da capital.

O encerramento foi em grande estilo, nos balneários Bebel e Água Gelada, com atrações musicais, atividades esportivas e escolha da ‘Garota Rota das Águas’. A vencedora do concurso foi Daniela Matos – musa do balneário Água Gelada. Em segundo lugar ficou a musa do balneário da Bebel, Patricia Oliveira, e em terceiro lugar ficou Trissia Caroline, representante do balneário Souza.

O Festival Rota das Águas iniciou em novembro do ano passado, sendo realizado ainda em dezembro, fevereiro, março, abril, maio e junho nos balneários Coqueiral, Cachoeirinha, Souza, Bebel, Taboca, Água Gelada e Rio das Garças. Foram sete meses desenvolvendo o turismo ecológico e sustentável.

Segundo a organização, a população de Porto Velho foi a grande protagonista do projeto, sendo responsável pelo sucesso dos eventos. Sobre o concurso Garota Rota das águas, os organizadores explicam que a equipe de jurados levou em consideração os quesitos beleza facial, beleza corporal, elegância na passarela e simpatia.

Para a escolha dos balneários que sediaram a etapa final do projeto, foram analisados os locais que atestaram ter capacidade para receber o evento final.

Comdecom

#ELEIÇÕES2018: Expedito Junior e Marcos Rocha serão sabatinados nesta quinta-feira na Arom

Os candidatos do 2º turno das Eleições 2018 para o Governo de Rondônia Expedito Júnior (PSDB) e coronel Marcos Rochal (PSL), participam nesta quinta-feira (18), às 15 horas, de um Debate entre os dois, organizado pela Associação Rondoniense de Municípios (Arom) de Porto Velho.

O “Painel dos Governadoráveis” será apresentado pela jornalista Meiry Santos, da SIC TV na Sede da Associação, e contará com a presença de representantes da Câmara de Vereadores, TRE, TCE, MP-RO, OAB-RO e Fiero.

Segundo a Arom, o objetivo é que os candidatos apresentem propostas aos gestores municipais, que poderão observar como cada político pensa acerca das políticas que precisam ser desenvolvidas junto aos municípios, com o enfrentamento de realidades administrativas profundas.

Conforme os organizadores, em destaque estarão os temas educação, saúde, infraestrutura, desenvolvimento setorial, finanças e segurança pública. Expedito Junior e Marcos Rocha confirmaram presença em vídeo publicado nas redes sociais da Arom.

Os candidatos responderão a 30 perguntas, cada um, com seis temas diferentes deliberados pelos chefes do executivo municipal. Cada temática será debatida por cada um dos candidatos, que farão exposição individual e exclusiva da pergunta realizada.

As perguntas serão realizadas iguais a cada candidato, obedecendo ao cronograma de 3 minutos para saudação de cada candidato; 4 minutos para resposta de cada uma das 5 (cinco) perguntas elaboradas de cada uma das seis temáticas, contabilizando 30 perguntas, em um tempo máximo de 1 hora e 20 minutos. Haverá ainda 5 minutos para considerações finais.

A ordem de apresentação de cada candidato será sorteada na reunião que ocorrerá com a equipe técnica da Arom com as assessorias dos candidatos, nesta quarta-feira (17) às 15 horas, na Sede da Associação, localizada a Rua Tabajara nº 451, bairro Panair, em Porto Velho.

#ALERO: Lazinho da Fetagro destaca movimento sindical dos trabalhadores rurais pela sua reeleição 

Milhares de litros de leite são jogados fora por falta de energia e centenas de famílias estão ameaçadas de expulsão de suas terras, denúncia do Deputado Lazinho da Fetagro

 

Parlamentar afirmou ainda que teve o objetivo do seu primeiro mandato cumprido 

 

Na sessão desta terça-feira (16) na Assembleia Legislativa, o deputado reeleito pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Lazinho da Fetagro, agradeceu a todos os envolvidos no movimento sindical dos trabalhadores rurais da Fetagro, que contribuíram para o sucesso de sua campanha. 

 

“A nossa militância nos proporcionou a conquista desses quase 15 mil votos. Na primeira eleição tive 9.036 votos e nesta, apesar de todas as tribulações, entre elas problemas de saúde, conseguimos conquistar nossa reeleição. Está claro que o mandato não é nosso e que o projeto não é meu. Os meus votos não vieram de mim, e sim da militância de um Estado todo”, diz Lazinho. 

 

O parlamentar afirmou ainda, que o objetivo do seu primeiro mandato foi cumprido e que o próximo terá uma responsabilidade maior. “Foram 52 municípios votados, destes aumentamos em 46 o número de eleitores e isso nos dá uma responsabilidade muito maior. Agradeço de Pimenteiras a Guajará-Mirim por toda confiança depositada em mim e a Deus por estar aqui hoje”, expõe. 

 

Proleite 

 

Referente a Mensagem nº 222 do Executivo com escopo de destinar 40% dos recursos arrecadados ao Fundo Proleite para a Emater, Lazinho destacou que aplicação desses recursos deve ser bem discutida. “Esse valor pode ser muito maior dentro de um projeto de investimento, pois não podemos ficar com milhões parados, sem qualquer aplicação. Precisamos discutir assistência técnica de verdade, com responsabilidade, pois se não vamos tirar as condições de produzir da agricultura familiar”, indaga. 

 

#ALERO: Léo Moraes agradece votação expressiva que o elegeu deputado federal    

 

Parlamentar ressaltou que população está cada vez mais esclarecida e politizada 

 

Em seu pronunciamento na sessão da ALE desta terça-feira (16), o deputado Léo Moraes (Podemos) parabenizou os colegas parlamentares, pela participação no processo eleitoral e pela coragem de enfrentar as urnas e o reconhecimento da população, frente aos trabalhos desenvolvidos pelos pares, nos últimos anos. 

 

“A população está cada vez mais esclarecida, mais politizada, mais consciente do poder transformador do voto e de que é, através da democracia e do ato cívico que se lapida os representantes, de todos os níveis de governo”, declarou Léo Moraes. 

 

O parlamentar agradeceu os cerca de 70 mil votos, que o elegeram deputado federal. “Quero de público agradecer todas as pessoas que depositaram seu voto de credibilidade na nossa candidatura. Sairei da Assembleia Legislativa para outro projeto no Congresso Nacional, onde também serei representante do povo rondoniense com muita dedicação e afinco”, 

 

Léo Moraes destacou ter saído de um projeto que poderia lhe garantir uma reeleição na Assembleia para enfrentar um desafio sem saber o que iria encontrar. 

 

Segundo Léo, a expressiva votação nas urnas, representa o reconhecimento das pessoas que, assim como ele, acreditam que “o balcão de negócio não é o melhor caminho, que a troca de favores está por acabar e que a postura e o posicionamento valem mais que um mandato confortável e cômodo”. 

 

O deputado disse que em seis anos de vida pública fez o máximo para se dedicar a projetos coletivos, de classes, categorias, entidades, profissionais liberais e voltados ao setor produtivo. 

 

“Tentamos sempre construir um mandato muito plural e versátil, para que possamos alcançar o maior número de pessoas, afinal, político não pode se dar ao luxo de trabalhar em uma só demanda e sim, estar preparado para discutir todos os assuntos, que chegam a essa Casa de Leis”, ressaltou Léo Moraes. 

 

O deputado enfatizou que a população de Rondônia lhe garantiu a primeira colocação na Câmara Federal. 

 

“Isso me envaidece muito pouco, mas me motiva demais para fazer um trabalho diferente no Congresso Nacional. Quero manter o compromisso que nós não vamos a passeio nem a lazer, quero levar o protagonismo de Rondônia para que sejamos respeitados como o Estado que não somente paga salário em dia, mas que tem gente que sabe o que quer para o dia de amanhã”, concluiu. 

#ALERO: Cleiton Roque destaca sucesso da atual legislatura nas urnas 

 

 

Município de Pimenta Bueno perde representatividade na ALE 

 

O deputado Cleiton Roque (PSB) parabenizou na sessão desta terça-feira (16), os colegas parlamentares que conseguiram conquistar a reeleição e ressaltou o sucesso da atual legislatura nas urnas. 

 

“Tivemos um candidato a governador extremamente competitivo, que é o presidente desta casa, Maurão de Carvalho (MDB), que tem muito a se orgulhar pelo resultado obtido nas urnas. Essa casa teve o deputado federal mais votado dessa eleição, que é o deputado Léo Moraes (Podemos). Eu não fui candidato e quando pegamos os deputados reeleitos, vemos que o resultado foi fruto de um trabalho que deu certo nessa Casa”, afirmou. 

 

O parlamentar aponta ainda sua preocupação com o município de Pimenta Bueno que teve na sua história, a eleição com apenas três candidatos. “Eu fico triste, pois hoje o município não tem um representante nessa Casa e me solidarizo com os candidatos Jean Mendonça (Podemos), Só na Bença (MDB) e Sérgio Tobias que não conseguiram conquistar uma vaga na ALE. Espero que Pimenta Bueno encontre o quanto antes seu caminho político com representatividade nesta casa” finalizou. 

#Senado rejeita projeto sobre venda de distribuidoras da Eletrobras, inclusive Ceron

O Senado rejeitou nesta terça-feira (16) o projeto que facilitava a venda de seis distribuidoras da Eletrobras. Por 34 votos a 18, os senadores derrubaram a matéria, que havia sido encaminhada ao Congresso pelo governo federal e tramitava em regime de urgência. A votação foi marcada por embate entre representantes de estados do Norte, que seriam atingidos pela medida, e líderes do governo.

Com a rejeição, a matéria deixa de tramitar no Congresso Nacional. Das seis distribuidoras incluídas na proposta, o governo já realizou o leilão de quatro: Companhia Energética do Piauí (Cepisa), leiloada em julho; Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre), Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron) e Boa Vista Energia, que atende a Roraima, em agosto. As outras duas são a Amazonas Distribuidora de Energia, cujo leilão tinha sido adiado para a semana que vem, e a Companhia Energética de Alagoas, onde uma decisão judicial suspendeu a privatização.

Na opinião do senador Eduardo Braga (MDB-AM), a rejeição do projeto abre uma “insegurança jurídica”. inclusive para as distribuidoras de energia que já foram privatizadas. “Foi a decisão mais acertada. Eu creio que [com a rejeição do projeto] muito provavelmente não haverá a concretude da assinatura dos contratos, e isso dará a oportunidade ao futuro governo, que será escolhido, decidir [quais serão as políticas para o setor]”, disse, após a votação.

Durante as discussões, os três senadores do Amazonas foram à tribuna falar contra o projeto, argumentando que a energia ficaria mais cara para os consumidores. Segundo Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), o projeto vai facilitar a privatização da Amazonas Energia, o que deverá prejudicar investimentos do grupo vencedor do leilão em municípios do interior do estado. Ela disse que a intenção do governo é vender a distribuidora por apenas R$ 50 mil. “O próprio Programa Luz para Todos sofrerá uma grave ameaça caso seja efetivada a privatização da Amazonas Energia. O programa não é apenas a construção, não é apenas levar a energia, é manter o programa, que é pago pelos moradores que vivem nas comunidades isoladas. Então, quem é? Qual a empresa que vai querer e vai manter esse programa efetivamente se não lhe dá lucro nenhum e se as pessoas vivem tão isoladas que não terão posteriormente a quem recorrer e a quem reclamar?”, questionou.

Eduardo Braga propôs que a matéria fosse votada apenas após o segundo turno das eleições presidenciais, período em que a população terá decidido “qual o projeto de país que quer para o futuro”. De acordo com Braga, 4 milhões de pessoas que vivem no estado serão prejudicadas. Já o senador Omar Aziz (PSD-AM) afirmou que não se pode falar em “desenvolvimento da economia e criação de oportunidades” para os amazonenses se não tiver “energia barata, com qualidade e eficiente”. Na opinião de Jorge Viana (PT-AC), a aprovação da proposta traria prejuízos mais “graves” ao estado de Roraima, que não é interligado ao sistema elétrico nacional e onde a energia distribuída vem de fora do país. O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), repetiu enfaticamente que os contratos de leilão impedem o repasse de qualquer aumento para os consumidores.

Segundo o senador, o déficit atual da Amazonas Energia é fruto de “má gestão” e seria assumido em partes, caso houvesse a privatização, pela própria Eletrobras. Bezerra também criticou os oradores que disseram que o projeto poderia acabar com o Luz para Todos, pois a contribuição que financia o programa continuará existindo. “Não é verdade que o PLC vai acabar com a energia subsidiada do Norte. Não é verdade! O PLC inclusive prevê que a energia continuará sendo subsidiada, através da conta da CCC, até a primeira revisão tarifária, que será analisada pela Aneel. Se tem uma coisa de que nós nos orgulhamos é que o setor de energia elétrica é um dos mais bem regulamentados. Portanto, é inverdade dizer que o governo está acabando com o subsídio da energia para o Norte do país”, argumentou. Entenda Além da privatização das distribuidoras, o projeto tratava da repactuação para o pagamento dos débitos do risco hidrológico (GSF, na sigla em inglês), resultante do aumento do déficit de geração das usinas hidrelétricas.

O texto tratava ainda do aumento do prazo para que a União pague às distribuidoras gastos com combustíveis, sem reconhecimento tarifário, incorridos pelas distribuidoras que atendem aos sistemas isolados. “Com esse projeto, permite-se que geradores com custo menor possam gerar energia, impedindo o acionamento das térmicas, que têm custo mais alto. Portanto, a votação do PLC é em benefício do consumidor brasileiro, e não o contrário, como aqui foi tentado desconstruir, distorcer, para poder sensibilizar alguns parlamentares”, afirmou Fernando Bezerra, durante o debate.

#ELEIÇOES2018: Denúncias de fraude em urnas serão registradas on-line

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse hoje (16) que todas as denúncias feitas por cidadãos nas seções eleitorais sobre irregularidades no processo de votação serão registradas em tempo real e disponibilizadas on-line para acompanhamento da apuração do caso.

Jungmann e a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, assinaram nesta terça-feira (16) um termo de orientação conjunta com diretrizes a serem seguidas por mesários e presidentes das seções eleitorais diante de denúncias sobre fraude nas urnas.

Nesses casos, os mesários e presidentes de seção deverão fazer o registro das denúncias e enviá-las em tempo real ao sistema da Justiça Eleitoral, por meio de uma funcionalidade acrescentada ao aplicativo Pardal, que já se encontra disponível.

“A grande vantagem aqui é que toda e qualquer denúncia estará registrada e colocada em rede aberta, e vocês vão poder conferir o se, o quando e o como, e qual o resultado daquela apuração. Essa é amaneira mais transparente que você pode dar a qualquer tipo de problema que seja verificado por qualquer eleitor ou eleitora”, disse Jungmann após assinar o termo, no TSE.

Segundo o ministro, o objetivo é desencorajar que denúncias sejam feitas após o eleitor deixar a seção eleitoral. Desse modo, acredita o ministro, ficaria mais fácil separar situações verdadeiras de boatos que tenham como objetivo somente abalar a credibilidade da urna eletrônica. Ainda de acordo com Jungmann, reclamações posteriores necessitariam assim apresentar também uma justificativa para não terem sido feitas na hora da votação.

“Acredito que qualquer denúncia que venha a ser feita, deve ser devidamente investigada e apurada. Agora, não entendo por que se você tem a mesa ali, o mesário está ali, o presidente [da seção] está ali, ele tem um aplicativo, tem a determinação de fazê-lo [registrar a denúncia], por que fazer depois? No mínimo uma justificativa tem que ser dada a esse respeito”, defendeu o  ministro.

Jungmann informou que espera receber até o fim de semana um relatório da Polícia Federal (PF) com o resultado das investigações sobre todas as irregularidades em urnas eletrônicas relatadas no primeiro turno das eleições. Ele disse que “quem usa fake news para tirar a credibilidade ou para deturpar ou causar comoção, aí de fato não tem jeito, tem que ser punido”.

Cooperação entre #TJRO e #CNJ permite o uso de inteligência artificial desenvolvida pelo tribunal de RO

“O uso da inteligência artificial, muito mais do que uma novidade tecnológica, tem grande aplicação na atividade jurisdicional”, enfatizou o presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli.

Técnicos do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJRO) vão desenvolver soluções de inteligência artificial que resultem no aprimoramento do serviço prestado pela Justiça- à cidadania brasileira. A parceria foi formalizada nesta terça-feira (16/10), na sede do CNJ, em Brasília, onde os presidentes dos dois órgãos, respectivamente, ministro Dias Toffoli e desembargador Walter Waltenberg Silva Júnior, assinaram termo de cooperação técnica. “O uso da inteligência artificial, muito mais do que uma novidade tecnológica, tem grande aplicação na atividade jurisdicional”, enfatizou o presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli.

Análogas ao processo de aprendizagem humano, as aplicações da inteligência artificial podem representar ganho de tempo para os servidores do Poder Judiciário.O sistema Sinapses do TJ-RO proporciona mais celeridade ao processamento das ações judiciais por meio de um mecanismo de predição. Enquanto o servidor ou magistrado elabora um texto ou uma peça jurídica, por exemplo, o Sinapses aponta qual o movimento processual adequado para o caso, após pesquisar, em segundos, centenas de processos semelhantes já julgados. “A dor do Judiciário é a lentidão e isso nos impõe criar soluções alternativas para resolver essa questão. Há anos venho me dedicando ao estudo do emprego da tecnologia para ajudar o Judiciário e esse momento é histórico para mim”, afirmou o desembargador Walter Waltenberg Silva Junior, presidente do TJRO.

É o sistema de computação cognitiva desenvolvido por analistas da justiça rondoniense que o CNJ tomará por base para disseminar o uso da inteligência artificial na Justiça brasileira. A tecnologia usa redes neurais artificiais, inspiradas no funcionamento do sistema nervoso central humano, para identificar padrões semelhantes e reagir conforme o fluxograma processual e as necessidades dos usuários. De acordo com a primeira cláusula do termo de cooperação, a ideia da ferramenta a ser criada é simular o “comportamento e o raciocínio humanos, criando análises, compreendendo e obtendo respostas para diferentes situações, rotinas e processos”.

O documento assinado entre os presidentes do CNJ e do TJRO prevê a integração das ferramentas desenvolvidas ao Processo Judicial Eletrônico (PJe), sistema de tramitação eletrônica de processos elaborado pelo CNJ e operado por dezenas de tribunais brasileiros. Embora não haja previsão de transferência de recursos orçamentários entre os órgãos, o CNJ se compromete a assegurar infraestrutura necessária ao projeto, assim como custear a capacitação técnica dos profissionais dos dois órgãos ligados à iniciativa, por meio da participação em cursos, treinamentos, fóruns e congressos. O CNJ e o TJ-RO se propõem a promover o intercâmbio dos analistas dos seus quadros com os de outros órgãos do Judiciário para cumprir a finalidade da iniciativa.

O Sinapses otimiza atividades repetitivas, realizadas não mais por seres humanos, mas por um robô, a exemplo de várias empresas que já adotam a inteligência artificial nos canais de atendimento a clientes, por exemplo.

 Cronograma

O próximo passo será a indicação, dentro de até 30 dias, dos gestores a quem será atribuída a missão de acompanhar, gerenciar e administrar a execução da parceria. Uma vez formada, a equipe terá no máximo 60 dias, contados a partir da assinatura do termo de cooperação técnica, para formular um plano de trabalho para o projeto. A parceria tem a duração inicial prevista para 12 meses, prorrogáveis por até 60 meses, no máximo.

“Há também um sentido simbólico na assinatura deste documento no evento que ora se inicia. A completa implantação e consolidação do PJe, na sua nova arquitetura, chamada 2.0, bem como a sua evolução tecnológica, também constituem prioridade desta administração”, afirmou o ministro Dias Toffoli após a assinatura do termo de cooperação.

Assessoria – Foto:: Luiz Silveira/Agência CNJ

##Sicoob Norte celebra 20 anos de implantação no norte do Brasil

Na noite do dia 13 de outubro, a casa de show, Talismã 21, em Porto Velho, foi palco para celebrar os 20 anos de constituição da Cooperativa Central do Norte do Brasil. A Cooperativa reuniu funcionários, dirigentes, delegados, parceiros e cooperados que fizeram parte do início do Cooperativismo de Crédito na região norte. Evento foi regado de emoções e muita energia positiva.

A celebração contou com uma programação com homenagens para as Cooperativas fundadoras Sicoob Credip e Sicoob Ourocredi, aos funcionários que fizeram parte do início do cooperativismo de crédito no Norte, aos primeiros funcionários da Central e Singulares, aos presidentes e as 11 Singulares que fazem parte do Sistema Sicoob Norte. Na sequência, sorteio de brindes e a apresentação do Documentário “Sicoob 20 anos – Eu faço Parte” que retratou a história da Central Sicoob Norte. “Queríamos compartilhar com todos o início da nossa história e a evolução ao longo desses anos. Já pensamos que 20 anos pode ser apenas um começo. E estar aqui hoje celebrando é a confirmação de um trabalho de um grupo de pessoas, que resolveu unir forças para ajudar uns aos outros. Isso é Cooperativismo”, ressalta Francisco Barbosa, diretor Operacional do Sicoob Norte e funcionário atuante mais antigo da Central.

O presidente do Conselho de Administração do Sicoob Norte, Ivan Capra, destaca o início da Cooperativa e evidencia a riqueza da região norte e encerra a solenidade com um agradecimento especial aos funcionários do Sistema, “Nestes 20 anos a Central iniciou praticamente do zero e hoje possui uma estrutura invejável para atender seus associados. Eu sempre falo que a maior riqueza de um país é seu povo e aqui no nosso Sistema são os nossos funcionários que atuam dia a dia para o nosso crescimento. Já se passaram 20 anos, mas nós já estamos nos preparando para mais 20, 40, 60 de muito progresso”, destaca Ivan Capra.

Nossa história

A Central Sicoob Norte nasceu da iniciativa de Cooperativas independentes de Rondônia que se depararam com obstáculos do mercado financeiro, as dificuldades e desafios em comum, e foi a partir deste momento que iniciou-se uma nova etapa do cooperativismo no Norte. Foi então que, no dia 17 de outubro de 1998, as cooperativas: Credip, Ourocredi, Concrepon e Altocredi se reuniram para iniciar a constituição da Cooperativa Central de Crédito do Estado de Rondônia – Centralcredi, primeiro nome dado ao Sicoob Norte. A Central teria o objetivo de organizar em maior escala o capital de serviços econômicos, financeiros e assistências de interesses das filiadas, bem como facilitar o uso recíproco dos serviços.

A Central nasceu em Ouro Preto atuando numa casa nos fundos da Ourocredi. Porém, somente em janeiro de 2.000, a Centralcredi começa a desenvolver as atividades para a qual fora criada. Em Assembleia Geral de março daquele ano, as cooperativas fundadoras deliberaram pela participação acionária no Banco Cooperativo do Brasil – Bancoob e se integrando ao Sistema Financeiro Cooperativo do Brasil, Sicoob.

Crescimento, desenvolvimento, criação de produtos e serviços, capacitação, criação de novas filiadas e uma expansão do cooperativismo de crédito na sua área de atuação, onde ocorreu uma expansão para outros estados.

Com isso uma nova mudança, desta vez para cidade de Porto Velho e com uma nova razão social, a Central passa a se chamar Cooperativa de Crédito do Norte do Brasil, Sicoob Central Norte. No decorrer dos anos houve desligamentos e novas filiações. Mas era notório o crescimento do cooperativismo de crédito em toda região Norte.

Hoje o SICOOB NORTE, é composto por 11 cooperativas filiadas, 118 agências, distribuídas nos estados de Rondônia, Acre, Amazonas e Mato Grosso, para atender os 125 mil cooperados. Este ano o Sicoob Norte completa 20 anos de Cooperação, sempre orientado por sua visão, missão, valores e princípios para entregar o melhor serviço e atendimento diferenciado a seus associados e suas comunidades, através de nossas equipes engajadas e comprometidas.