terça-feira, janeiro 22, 2019
Início Site Página 212

ILUMINAÇÃO – Prefeitura atende distritos de  Vista Alegre e Fortaleza do Abunã

Conforme o cronograma da Emdur, até o final deste ano todos os distritos da BR serão contemplados

A prefeitura de Porto Velho, por meio da Empresa Municipal de desenvolvimento Urbano (Emdur), continua intensificando os trabalhos de reparos, implantação e revitalização do sistema de iluminação pública nos distritos ao longo da BR-364 e também na capital. O objetivo é melhorar a estética da cidade e contribuir para com a segurança da população.

Nesse último final de semana, duas equipes compostas de quatro eletricistas foram designadas para trabalhar nos distritos de Fortaleza do Abunã e Vista Alegre. Ao todo, entre implantações, reparos e revitalizações, cerca de 100 pontos de iluminação foram atendidos e estão funcionando perfeitamente. Alguns, dependiam apenas da troca de lâmpadas ou reatores e luminárias.

O presidente da Emdur, Breno Mendes, disse que além de contribuir com a estética e segurança da capital, distritos e vilas, a iluminação pública funcionando adequadamente possibilita a ocupação dos espaços públicos como praças e parques, dentre outros, por parte da população. Com isso, os vândalos se afastam e o patrimônio é preservado.

A ação da prefeitura deixou os dois distritos mais seguros com iluminação pública de qualidade. A situação era tão caótica que em alguns trechos só existiam as luzes que os moradores colocavam na frente das casas.

O trabalho vai continuar e conforme a programação feita pela Emdur, até o final deste ano todos os distritos da BR serão contemplados. Localidades do Baixo Madeira também estão na programação para atendimento.

Na capital as equipes trabalharam na Vila Maritana, na zona Norte da cidade, onde recuperaram 43 pontos de luz. Outros 80 pontos foram revitalizados no terminal de ônibus localizado em frente a Policlínica Oswaldo Cruz, mesmo setor de Porto Velho

Pretendentes iguais a parceiros dessa esbórnia

FILOSOFANDO

Que continuemos a nos omitir da política é tudo o que os malfeitores da vida pública mais querem.” BERTOLD BRECHT (1898/1956), dramaturgo e poeta alemão. Seu trabalho como artista concentrou-se na crítica artística ao desenvolvimento das relações humanas no sistema capitalista.

ESBÓRNIA

É de estarrecer. Como prevalece a esbórnia nesse país, num verdadeiro achincalhe com a classe trabalhadora. Até porque, ninguém duvide: com pedido ou sem pedido, isso vai dar em nada, de novo! E o povo vai continuar bancando esta conta, como sempre. A média de aposentadoria no setor público no Brasil, onde gravitam os marajás de Brasília, é de R$ 9 mil, isso focando só no executivo. São os bens pagos funcionários dos ministérios, das autarquias e das muitas secretarias. No Judiciário, essa média salta para R$ 25 mil, indo para R$ 28 mil no Legislativo e ficando acima de R$ 30 mil no Ministério Público.

INDIGNAÇÃO

O milionário salário recebido por um juiz de Sinop, em Mato Grosso, de “irrelevantes” R$ 500 mil em julho, acabou despertando o país para uma realidade que cada dia indigna mais o trabalhador brasileiro, aquele que dá duro de sol a sol ou vira a noite para levar o pão para casa e vê seu salário minguado ao fim do mês e uma aposentadoria cada vez menor e mais distante de chegar.

POSSIBILIDADE

Cresce a possibilidade de Hildon Chaves disputar o governo de Rondônia. Ele seria a melhor forma de impedir que nomes ligados aos grupos dos atuais caciques do PDT e PMDB sejam vitoriosos na sucessão. De acordo com fontes, Hildon só seria levado à disputa se Expedito Júnior desistisse de concorrer ao governo em 2018.

Mas Hildon Chaves continua afirmando que não é candidato em 2018. Tem tudo para ser verdade. Afinal, se pretendesse disputar já estaria correndo o estado em campanha.

DISTÂNCIA

Na verdade falta mais de um ano para as eleições. Em política isso é muito tempo diante da possibilidade de surgirem fatos imprevisíveis.

PARA PENSAR

Senadores que se elegem governadores. Ou governadores que se elegem senadores, recebem mensalmente, entre 67 e 75 mil reais. São dezenas e dezenas, pois na hierarquia política e eleitoral, normalmente esses cargos se sucedem. A revelação é de Hélio Fernandes, o impagável jornalista brasileiro, bem própria para o cenário rondoniense previsto para 2018.

BIRUTA

Esta deverá ser mais uma semana onde não será possível aprovar como tanto se anunciou a reforma política. Ainda mais com o “Fufuquinha” presidindo a Câmara. A previsão é que o sistema eleitoral e o financiamento de campanhas devem continuar como estão.

NO TOPO

O líder de desaprovação dos brasileiros é o presidente Michel Temer, rejeitado por 93% da população. O segundo lugar do ranking é compartilhado por Aécio Neves e o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB), ambos com 91% de desaprovação. São dados da pesquisa do Instituto Ipsos divulgada no jornal O Estado de São Paulo.

Condenado a 9 anos e 6 meses de prisão na Lava Jato, o ex-presidente Lula é desaprovado por 66% dos brasileiros, ficando atrás dos tucanos José Serra (82%), FHC (79%) e Alckmin (73%).

JUDICIÁRIO

A pesquisa Ipsos mostrou também que o nome com maior taxa de desaprovação é o do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. Gilmar aparece no levantamento com 67% de desaprovação – quase o mesmo índice de Lula. Já o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, figura como segundo nome com maior rejeição, com 52% de desaprovação. O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos julgamentos de ações penais da Lava Jato na primeira instância, é o nome com menor taxa de rejeição dessa pesquisa, sendo desaprovado por 37% dos brasileiros.

FECHADO EM COPAS

Até o momento ninguém conhece o pensamento dos pretensos candidatos à sucessão estadual em torno de projetos ou ideias para promover o desenvolvimento rondoniense, para resgatar o estado de seu atraso social e econômico. Até parece que querem governar apenas pelo interesse próprio ou de seus pequenos grupos. Todos estão fechados em copas diante das grandes evidências de valores negativos que marcam a nossa atualidade.

PARCEIROS DO CAOS

Rondônia é destaque em desigualdade econômica e social, mortes violentas, corrupção, impunidade, baixa assistência médica à população carente, má qualidade da educação pública, da infraestrutura sanitária e acentuada deficiência em serviços outros, fundamentais ao bem-estar das pessoas de mais baixa renda. E mesmo assim, nesse cenário nada animador, não se sabe a opinião de nenhum dos pretensos candidatos à sucessão. Pelo contrário: a maioria dos pretendemtes ao governo se alinham à política de fracasso de Confúcio Moura, como autênticos parceiros do que ai está.

AMBICIOSO

As parecerias público/privadas deverão começar de fato agora no âmbito da prefeitura municipal de Porto Velho. A informação do próprio prefeito Hildon Chaves descortina um desejo ambicioso, mas ainda difícil de ser avaliado pela falta de detalhes. Com as PPAs o prefeito pretende conseguir investimentos privados para setores como a iluminação pública, transporte urbano, tratamento de resíduos sólidos (lixo), educação, saneamento básico, etc. O objetivo é conseguir investimentos de bilhões para resolver problemas de infraestrutura do município.

OS CORRUPTOS PERDERAM O RESPEITO ATÉ POR SUAS FAMÍLIAS

A crise moral de Mato Grosso é apenas mais uma, no Brasil da política putrefata, que envergonha sua população. Políticos (deputados e uma prefeita), recebendo dinheiro vivo, colocando nos bolsos, em bolsas, rindo, fazendo piada, imitando apresentadores de TV, só deixam mais desesperados aqueles que querem que vivamos num país decente e justo. É apenas mais um sonho, destruído por tantos políticos ladrões que assolam nosso país e que transformam nossas esperanças em pesadelo. Maços de dinheiro, daquele dinheiro que falta para a saúde, para a educação, para reconstruir nossas horrorosas rodovias, para melhorar o sistema de transporte, para gerar emprego e renda a quem tanto precisa, são colocados nos bolsos e nas contas dos corruptos. Eles mesmos, que quando disputam cargos públicos, apresentam-se nos palanques como defensores do povo; como pessoas honradas; como os que farão a diferença na vida das comunidades e, principalmente, dos mais pobres. Eleitos, se locupletam, empregam parentes, buscam vantagens, superlotam de cargos comissionados para abrigar apaniguados e, mais que tudo, enfiam a mão no dinheiro do povo. Isso mesmo. Do povo sofrido, do povo sem saúde, do povo sem emprego (embora, felizmente, ainda haja gente decente na política e deve se dizer que ainda há exceções nesse quadro dantesco!).

A crise moral do Mato Grosso é o retrato em preto e branco, desfocado, mas tristemente real, do que está ocorrendo em cada cidade, em cada Estado, em cada órgão público desse país. Veja-se quantos estão processados, quantos estão na iminência de serem presos, quantos já o foram. Dos dois governos anteriores, por exemplo, foram presos o Presidente da Petrobras; o dos Correios; o do Banco do Brasil; o da Eletrobras; o da Nuclebras; o da Caixa Econômica Federal; o do BNDES; líderes do governo na Câmara e no Senado presos; governadores presos. E agora, ministros suspeitos, em direção à cadeia e denúncias sem fim, todos os dias. Essa talvez seja a pior notícia de todas: as operações da PF do Ministério Público; a ação dura da Justiça; as pesadas sentenças, nada disso atemorizou os corruptos. Eles continuam nos roubando como se nada estivesse acontecendo e que tudo vale a pena, mesmo a cadeia, porque não têm mais honra, não respeitam sua família; não temem envergonhar seus filhos, seus amigos, seus correligionários., Roubam e daí? Estão se lixando, porque perderam a vergonha na cara e não respeitam mais nada e nem ninguém. Nem a si mesmos. Continuarão sendo eleitos até quando, tantos canalhas e  ladrões?

O TEMA É SEGURANÇA…

O  porto velhense tem que se preparar para movimentações bastantes diferentes e, sua cidade, nestes três dias em que acontece mais uma reunião do chamado Pacto Integrador de Segurança Pública, que a Capital rondoniense sedia. O ministro da Justiça, Torquato Jardim e 17 dos 21 secretários de segurança que fazem parte do grupo que discute as questões da segurança pública no país, vão se reunir por aqui, a partir desta terça. Os 17 governadores que tinham sido anunciados como presentes ao encontro, é claro, não virão. Com a presença do ministro e de inúmeras autoridades do setor, que serão recepcionados pelo anfitrião, o governador Confúcio Moura e pelo secretário de segurança do Estado, coronel Caetano, haverá certamente profundos debates que possam levar ao menos a algumas sugestões concretas que sirvam ao menos para amenizar a grave crise que estamos vivendo, nesse setor. As questões de fronteiras, por onde passam armas e drogas sem controle, todos os dias, vão compor um dos temas principais do encontro.  O combate aos tráfico e ao crime organizado, também estará na pauta de discussões. Tomara que dessa conversalhada toda, saia alguma coisa realmente prática para proteger a população, que está à mercê do crime. Discutir, por exemplo, proteção a presos e mais leis para afagar bandidos, é o que menos precisamos…

 

OS NÚMEROS DA UNIR

As Universidades são hoje as instituições mais duradouras do mundo ocidental, lembra o reitor Ari Ott. Há algumas pelo mundo que já superaram os mil anos de fundação. Nossa Unir tem apenas 35 anos, um tempo ínfimo na História, já se situa numa posição de destaque no mundo do ensino superior brasileiro. A Unir, a mais importante instituição de ensino do Estado, tem hoje mais de 10 mil alunos, distribuídos em oito campus. Eles começam na divisa com a Bolívia, em Guajará e vão até a fronteira de Mato Grosso, em Vilhena. Com 63 cursos de Graduação, 56 deles com reconhecimento pleno pelo MEC, a Universidade tem ainda 14 cursos de pós graduação. No total, são 800 professores, 400 deles com Doutorado e 300 também com Mestrado. Alunos formados pela Unir não têm dificuldade no mercado de trabalho, ainda mais em Rondônia, onde a economia continua a crescer, ao contrário da maioria dos Estados brasileiros. É um orgulho para Rondônia e para toda a Região. A Unir ainda comemora seus 35 anos, mas os presenteados são os rondonienses….

OS VÂNDALOS ATACAM

Gozando da nossa cara. Tirando sarro da cara das autoridades. Eles ficam por aí, impunes, destruindo o patrimônio público e, é claro, ninguém abre a boca para protestar, para exigir punição, para vir encher o saco com aqueles discursos que fazem quando alguém (afora eles, claro!), querem fazer alguma coisa em benefício da área da Estrada de Ferro Madeira Mamoré. Neste final de semana, os vândalos causaram mais destruição na Praça da EFMM. Todos sabem quem eles são, porque vivem fazendo a mesma coisa há muito tempo. Quando pegos, horas depois estão soltos de novo, para continuar a gozação com a nossa cara. Nosso mais importante patrimônio deveria ser vigiado 24 horas por dia, mas mesmo com a Prefeitura pagando uma empresa para fazer a segurança, o que se vê é a baderna, a esculhambação, a droga, a vagabundagem livre e solta, enquanto as famílias evitam ir ao local, para não terem que conviver com essa praga que toma conta da nossa cidade. Muitos dos vândalos são “dimenor” e ainda  roubam fiação e lâmpadas para vender a receptadores, para poderem sustentar seus vícios e pagar a droga que consomem. Lamentável!

 

DANDO PARA TRÁS

Amazonino Mendes ocupa pela quarta vez o Governo do Amazonas. Novamente, mesmo com várias opções, o eleitor optou pelo mesmo do mesmo. Para a segunda década do século 21, Amazonino é um retrógrado, não visualiza o futuro e prefere manter seu Estado isolado por terra, para defender o lobby do transporte fluvial, muito poderoso, aliás. Com a vitória dele, o sonho da conclusão da BR 319, que espera há décadas para se tornar uma ligação decente entre Rondônia e o nosso vizinho mais ao norte, ganha um poderoso adversário. Amazonino é dos que preferem que o sistema de transporte fluvial continue sendo o meio mais importante para toda a região. A abertura de uma rodovia, de mais de 900 quilômetros, que diminuiria em muito os custos dos transportes, poderia acabar com um sistema que existe há décadas e continua enriquecendo muita gente, mesmo que alguns dos seus custos sejam exorbitantes. Tomara que ao menos para a população que o elegeu, Amazonino faça um bom governo, nesse mandato tampão que assume, até 2018. Já para o futuro da região, não se deve esperar muito…

 

OS AVANÇOS DE CACOAL

Cacoal anda na contramão da economia nacional, assim como Rondônia também o está. Enquanto a maioria das cidades brasileiras vive tempos de penúria e desemprego, a terceira cidade em população do Estado dá saltos constantes em crescimento. Além da cultura do café, que está em alta, a cidade recebeu, em poucas semanas, dois grandes empreendimentos comerciais. O primeiro deles foi a 99ª loja da rede Havan. O outro abriu as portas nesse final semana. Trata-se do badalado primeiro shopping center da cidade, com 60 lojas e um hipermercado, com investimentos de empresários da própria cidade. Dando emprego e proporcionando renda para dezenas de  famílias, a cidade da prefeita Glaucione Rodrigues, em seu primeiro mandato, anda rapidamente em direção ao progresso. Terra de gente trabalhadora, Cacoal também  se destaca na área da educação, onde cursos universitários se consolidam cada vez mais. É uma cidade que retrata o bom momento por que passa a região central e todo o Estado.

OLHA O LULA, DE NOVO!

“Lobista com 30 anos de experiência no submundo da Petrobras, Jorge Luz prepara uma bomba de potencial devastador para ser detonada em breve. Ao lado de seu filho Bruno Luz, o operador está em estágio avançado de negociação com o Ministério Público Federal, para celebrar um acordo de delação premiada”. Assim começa a reportagem/bomba da Revista Isto é!, dessa semana, denunciando mais falcatruas e roubalheira do dinheiro público. E quem seriam os alvos da delação? Documentos já entregues pelos dois teriam provas do envolvimento de gente poderosa como Lula (sim, ele, de novo ele!), Renan Calheiros, Silas Rondeau, Edison Lobão, Cândido Vacarezza em falcatruas. A dupla de dedos duros já contou que existia uma organização criminosa formada por corruptos, corruptores e operadores de propinas, tudo para desviar milhões de reais da Petrobras para os bolsos deles. Leia lá na Istoé! e fique sabendo mais detalhes da mutretagem.

PERGUNTINHA

Você acha que um projeto de privatização da BR 364, com previsão de oito pedágios entre Vilhena e Porto Velho, vai resolver o problema da Rodovia da Morte ou vai apenas arrancar cada vez mais dinheiro dos motoristas?

Peixes da Amazônia S/A: Salmonela, dívidas e mais um fracasso do Governo Tião Viana

Como praticamente tudo projetado pela equipe do atual governador do Acre, Tião Viana (PT), o Complexo de Peixes da Amazônia S/A, nasceu embrulhada em lençóis que pareciam ter sido tecidos em fios de prosperidade e foi alimentada a base de doses cavalares de “megalomania”. O resultado mostrado nos anos que se seguiu ao grandioso projeto que se revelou apenas mais um elefante branco do governo petista não foi glorioso, saudável e nem próspero. O que se viu a seguir foi uma classe empresarial endividada, sendo executada pelo próprio parceiro e incentivador – O Governo do Acre – fornecedores tendo que recorrer à justiça para receber os que lhes cabia por direito e para completar, veio a notícia de que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) apreendeu mais de 18,2 toneladas de pescado produzido pelo Completo de Piscicultura Peixes da Amazônia com sede em Senador Guiomard, no interior do Acre, após ter identificado salmonela no lote. Foi a pá de cal que faltava para enterrar o projeto natimorto.

O fim mesmo veio em tom de piada ao Governo do Acre que rir da boa fé da população acreana e usar a verba de mídia, paga a peso de ouro, para vincular peças publicitárias dizendo que o projeto está sendo vítima de tentativa de descredibilização assim como aconteceu com a indústria da carne no Brasil em data recente. A peça publicitária é a prova de que algumas vezes a emenda sai pior que o soneto. Não tem nada haver com tentativa de descredibilizar a Peixes da Amazônia, senhores publicitários da Companhia de Selva! Sabe por quê? Ela já descredibilizada. O que houve foi apenas a imprensa noticiando a operação feita por um órgão da mais absoluta credibilidade.

A Peixes da Amazônia SA nasceu fadada ao fracasso. Foi mais um dos delírios de um governo que evoca uma Camelot imaginária e que fez boa parte do empresariado local embarcar no delírio. Os empresários sonharam em ficar ricos vendendo peixes. Esqueceram apenas que olhar o próprio umbigo, já que não se deram ao trabalho de avaliar as condições locais e nem os estados vizinhos, Rondônia e Amazonas, que são gigantes no mercado de produção de pescado e que não desapareceriam milagrosamente com o surgimento da idéia dourada de Viana.

Um lead de uma reportagem da Agência de Notícias do Governo do Acre publicada em 20 de maio de 2015 nos dá a idéia da grandiosidade do projeto que em pouco se revelaria uma caixa de pandora aos pobres e a já falida ala empresarial local. “Investimentos na casa dos R$ 80 milhões, o Complexo de Piscicultura Peixes da Amazônia S/A está entre os modernos do país. Sua estrutura púbico-privada-comunitária foi feita de forma que contemplasse pequenos, médios e grandes produtores”, escreveu uma entusiasmada assessora de imprensa que no decorrer do seu texto deu conta ainda que além de contar com a boa vontade e suado dinheiro dos empresários locais, o Governo do Acre também iria dispor de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Banco do Pará, ambos instituições que compõem o Fundo de Investimento em Participações (FIP) Amazônia.

Quando o dinheiro e a boa fé são dos outros fica fácil para qualquer governo projetar algo grandioso, porém sem viabilidade, pois quando der errado, basta pegar um pouco mais desse dinheiro e investir em propaganda fantasiosa, suja!

* Gina Menezes folha do acre

Executivo  Municipal tenta jogar culpa de Crise nos Servidores  Públicos

 

Fato totalmente inadmissível, pois o servidor público não é ordenador de despesa.

Por mais que seja declarada a situação de crise financeira na cidade, o Município não pode deixar de cumprir despesas obrigatórias nas áreas de Saúde, Educação e, principalmente, no pagamento da remuneração dos servidores municipais. Essa é a consideração principal do Sindicato dos Servidores Públicos Municipal da Zona da Mata-SINSEZMAT.

A atual crise que o município vive hoje, é claramente, pela falta de planejamento da administração municipal rolimourense. A pergunta que deve ser feita: O executivo tomou todas as providências para reprimir gastos gerais antes de declarar situação de crise financeira?

A administração afirma estar gastando 82% de tudo que arrecada em folha de pagamento. Entretanto, o contábil apresentado pelo próprio município gasta 53,82% em folha de pagamento que está dentro da margem da legislação.

Aplica ainda aos servidores a responsabilidade pela crise, que tem seus salários achatados corroídos pelas percas inflacionárias e que a maioria dos servidores tem hoje seu vencimento básico inferior ao salário mínimo.

Em relação ao Instituto de previdência nos últimos três anos o Município de Rolim de Moura pagou mais de R$ 3.000.000,00 de juros e multas por atraso de pagamento de contribuição patronal e segurado juntamente com os parcelamentos.

Resta ainda uma dívida previdenciária reparcelada em valor atualizada R$ 12.000.000,00 que gerações futuras irão pagar nos próximos 16 anos. Dinheiro esse que poderiam estar sendo usado para saúde educação e infraestrutura.

Convém  ressaltar que a má gestão na folha de pagamento aumentou a alíquota patronal criando um custo adicional da folha de pagamento em mais de R$ 200.000,00 mês e mais de R$ 2.500.000,00 ano e que se tivesse administrado corretamente a folha com adequadamente o custo da folha hoje estaria menos de 51% da receita.

Atitudes como esta, segundo o presidente do SINSEZMAT, Jose Luiz Alves Felipin, exemplificam que o executivo não esta cumprindo com seus deveres mínimos, em, honrar o pagamento dos trabalhadores na data correta conforme a legislação. E que não é cortes que irá resolver a situação e sim gestão pública buscando a priorização do funcionamento da máquina pública na elevação da qualidade do serviço público em todas as áreas.

Lembrando que no caso de pagamento de juros e multas pela Administração Municipal nada justificaria o atraso nos pagamentos, principalmente se tratando de encargos sociais. “Isso mostra que o trabalhador não é prioridade para a prefeitura”.

De acordo com  Felipin, o executivo municipal aponta que a situação da crise, em suas entrelinhas, sãos os servidores como responsáveis pelo problema, fato totalmente inadmissível, pois o servidor público não é ordenador de despesa. O gestor sim é quem tem que administrar a receita e a despesa da cidade possuindo, para isso, inúmeros mecanismos, como os orçamentos anual e plurianual.

SINSEZMAT

Cleiton Roque visita escola em Cacoal e aciona SEDUC para melhorar infraestrutura

Elisabete Silva Borges, vice-diretora na escola, mostrou para o deputado as obras que estão sendo executadas com recurso do Programa de Apoio Financeiro – Proaf  Adicional

O deputado estadual Cleiton Roque (PSB), em agenda no município de Cacoal, durante a tarde desta quinta-feira (24), visitou a Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio, Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, localizada no bairro Teixeirão.

Elisabete Silva Borges, vice-diretora na escola, mostrou para o deputado as obras que estão sendo executadas com recurso do Programa de Apoio Financeiro – Proaf  Adicional.

De acordo com o vice-líder do governo na assembleia legislativa, “Somente o recurso do Proaf não vai resolver o problema dessa escola. É preciso melhorar essa infraestrutura, pois no momento, estas condições, tanto para educador e aluno, não são dignas”.

Roque ligou na frente da vice-diretora para o secretário estadual de Educação (Seduc), Valdo Alves, e será agendada uma visita urgente na escola, “Precisamos, juntos, buscar alternativas para melhorar essa infraestrutura, pois do jeito que tá, não pode ficar”.

O deputado concluiu, “Temos que cuidar dos nossos profissionais da educação e alunos. Melhorar essa infraestrutura já será um começo”.

Na escola, os dois pavilhões em reforma estão com salas de aula sem janelas, sem arcondicionado, algumas sem ventilador e forros com madeiramento danificado.

VIDENTE PREVÊ UMA GRANDE TEMPESTADE PARA PORTO VELHO, COMO SURTO DE DENGUE

O vidente Valter Silva Ferreira, o Valter Arauto, como é mais conhecido,  previu que haverá uma grande tempestade na “época das chuvas” inverno amazônico e depois um surto de Dengue terrível que deverá ser controlado.

 

VEJA A PREVISÃO

Cade abre processo para apurar atuação da Claro, OI Móvel e Telefônica Brasil

A Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) instaurou processo administrativo para apurar suposta conduta coordenada entre as empresas Claro, OI Móvel e Telefônica Brasil, em licitação promovida pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. As irregularidades envolveriam também condutas unilaterais de discriminação de preços e recusa de contratar.

O caso teve início em 2015, a partir de denúncia da BT Brasil Serviços de Telecomunicações, que acusa a Claro, Oi e Telefônica de atuarem de forma coordenada, com o objetivo de eliminar a competição entre elas, em licitações de órgãos da administração pública federal para contratação de serviços de telecomunicação com abrangência nacional.

A BT Brasil questiona o suposto caráter anticoncorrencial da associação dessas empresas nos certames, pois elas possuem o controle sobre o acesso à infraestrutura local de telecomunicações, informou hoje (28) o Cade, em Brasília.

Segundo o Cade, a investigação realizada pela Superintência-Geral do órgão indicou a presença de “indícios robustos de práticas anticompetitivas realizadas pelas representadas, tanto no que se refere às condutas de discriminação e recusa de contratar, quanto à atuação injustificada por meio de consórcio no pregão dos Correios”.

De acordo com o Cade, as três empresas serão notificadas para apresentar defesa. Ao final da instrução processual, a Superintendência-Geral opinará pela condenação ou arquivamento do caso, encaminhando-o para julgamento final pelo Tribunal do Cade, responsável pela decisão final.

Procuradas pela Agência Brasil, a Claro, Oi e Telefônica não se manifestaram sobre o assunto.

Marinha diz que RO, AC, AM, e RR registraram em 2016 quase três mil infrações com embarcações

Os Estados de  Rondônia (RO), Acre (AC), Amazonas (AM), e Roraima (RR) foram responsáveis, em 2016, por 2.379 ocorrências de infrações envolvendo embarcações em seus rios e igarapés. As informações são da Marinha do Brasil que divulgou balanço em reportagem ao Estadão neste domingo (27).

Segundo o Comando da Marinha, em 2016 houve 9,8 mil infrações em todo o país. No total, foram inspecionadas 173 mil embarcações em 2016. Neste ano, houve 108 mil perícias. Sobre naufrágios, de janeiro a agosto deste ano foram registrados 107 naufrágios, contra 95 casos no mesmo período de 2016, um crescimento de 12,63%.

Nos últimos dias, o Brasil registrou três graves acidentes envolvendo embarcações. Um em menos de quatro dias. Dois acidentes, um na Bahia e outro no Pará, chocaram o país. O mais recente ocorreu neste final de semana em Roraima quando duas crianças e duas adolescentes morreram após uma canoa virar no Rio Água Boa.

A canoa transportava dez pessoas, sendo três adultos e sete crianças e adolescentes, entre 3 e 14 anos de idade. A Família pescava no momento do acidente. Os casos serviram para aumentar as estatísticas e chamar atenção para a necessidade de intensificar as medidas de segurança na proteção de quem usa este meio de transporte bem como a importância de fiscalizações.

Na reportagem do Estadão, o almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, disse que 80% dos acidentes com embarcações registrados em rios, lagos e mares do País são por “negligência, imperícia ou imprudência”. “A fiscalização precisa melhorar? Precisa. Mas não é só isso” (…) Não é possível ter um fiscal em cada rio e ponto do País e vistoriar todas as embarcações”, afirmou.

Ele lembrou que no Brasil são mais de 20 mil quilômetros de vias navegáveis. Por semana, 4,5 mil viagens intermunicipais são por barcos, lanchas e navios, conforme a pesquisa divulgada neste ano pelo IBGE. Ele ressalta que a fiscalização é difícil porque muitas vezes a distância entre a unidade da Marinha e a área a ser vistoriada chega a 500 quilômetros – como, por exemplo, na Amazônia. Não há, porém, previsão de abertura de novos postos de fiscalização.

Maurão de Carvalho prestigia inauguração de shopping em Cacoal

Ao participar na manhã desta sexta-feira (25) da solenidade de inauguração de um shopping em Cacoal, o presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (PMDB) destacou a geração de empregos e a abertura de novas oportunidades de negócios, com o empreendimento.

“Quem investe, abre novos postos de trabalho. Mas, quando se faz um empreendimento com esse tamanho, é uma prova de que a confiança no retorno é grande. Ou seja, Rondônia está crescendo e os empresários apostando cada vez mais no Estado”, destacou o presidente.

Maurão estava acompanhado do governador Confúcio Moura (PMDB), do senador Valdir Raupp (PMDB), do deputado federal Nilton Capixaba (PTB), do deputado estadual Cleiton Roque (PSB), da prefeita Glaucione Rodrigues (PMDB), vereadores e demais autoridades, que foram recebidos pelo empresário Ivan Caramori, que investiu no shopping.

A obra, com 30 mil metros quadrados, abriga três salas de cinema, praça de alimentação, lojas e amplo estacionamento coberto, entre outros atrativos, gerando cerca de 600 empregos diretos nas lojas e na administração e manutenção do shopping.

Confúcio disse que “investimento atrai investimento. É um negócio puxando o outro, a cidade prosperando e Rondônia mostrando a sua força”.

O presidente Maurão reforçou que o novo negócio comprova que Rondônia, ao contrário da maioria dos Estados brasileiros, está em franca expansão. “Não sentimos efeito da crise, pelo contrário, o momento nosso é de crescimento e de uma economia cada vez mais forte e competitiva”, finalizou.