quarta-feira, novembro 14, 2018
Início Site Página 233

O OURO EM ABUNDÂNCIA DA RENCA VAI, FINALMENTE, SER DOS BRASILEIROS!

Por que será que existem tantos interesses mundiais na Amazônia, ao ponto de termos por aqui o maior número das chamadas Organizações Não Governamentais (ONGs) internacionais do que qualquer outra região do Planeta? Segundo dados oficiais do Google (basta pesquisar!), a Amazônia abriga mais de 100 mil dessas entidades, as maiores delas patrocinadas por multinacionais da pesada. A resposta para a pergunta é simples: temos, em nossa região, não só a maior floresta do mundo, o pulmão da Terra, mas também os mais nobres e vitais minérios: ouro, diamantes, nióbio, cassiterita, níquel, estanho, tântalo e por aí vai. Entre Espigão do Oeste e Pimenta Bueno, na Reserva Indígena Roosevelt, temos a maior jazida de diamantes puros do Planeta, concorrendo em qualidade com os melhores das minas africanas. E agora, vem ainda outra notícia que certamente vai sacudir as ONGs e seus prepostos e patrocinadores. O governo brasileiro autorizou  a exploração de uma gigantesca área, conhecida como RENCA (Reserva Nacional do Cobre e Associados), de 47 mil hectares, equivalente quase a uma vez e meia toda a área da cidade de Porto Velho, que é o maior município do país, inclusive maior que a Bélgica, por exemplo. A RENCA não tem só cobre, é claro. Ali pode haver uma das maiores reservas de ouro da Amazônia e, logicamente, do mundo. Estava sob a coordenação do governo federal desde 1984, na reta final dos governos militares.

Como os interesses internacionais não se sentiram ameaçados, enquanto a região estava sob a tutela do Estado e só alguns poucos tinham acesso (por coincidência, grande parte de gente ligada a essas organizações que se dizem defensoras do meio ambiente), nesse quesito não houve crítica aos milicos do poder. Agora, passados 33 anos, a União decidiu abrir a lavra, controlada, para que o ouro e outros minérios extraídos na região beneficiem também os brasileiros, já que em Roosevelt e outras áreas (incluindo o nióbio, raríssimo, importante e que vendemos a preço de banana ao exterior), só quem ganham são os contrabandistas e os corruptos, que fazem de conta que o contrabando não existe. A simples notícia da liberação da área para exploração via concorrência, já mexeu com os brios dos porta vozes dos grupos estrangeiros que inundam a Amazônia. Só que, dessa vez, eles vão ter que engolir. O interesse do Brasil, finalmente, está sendo colocando à frente dos interesses dos países que essa gente representa. Até que enfim!

 

 

DOS TEMPOS DE FIGUEIREDO

Ainda sobre o assunto, ampliando as informações: a Reserva Nacional de Cobre e seus Associados (RENCA) foi criada por decreto do então presidente João Batista Figueiredo, em fevereiro de 1984, a pedido do Almirante Gama e Silva e abrange uma área considerada de grande potencial entre os estados do Pará e Amapá. Pelo decreto, os trabalhos de pesquisa na área passaram a ser exclusividade da CPRM, usando recursos próprios ou de convênios firmados com o Gebam (Grupo Executivo para a Região do Baixo Amazonas).  A outorga de áreas para outras empresas somente poderia ser feita a quem tivesse negociado os resultados dos trabalhos de pesquisa com a CPRM. Desde março essa história mudou. A visão de que os minérios amazônidos devem, em primeiro lugar, beneficiar os brasileiros, começou a vigorar. As ONGs, para usufruir da área, terão que usar as empresas que as patrocinam e concorrer às novas áreas de lavra.

 

DE OLHO NA ALE

O empresário Chagas Neto; o médico Amado Rahhal; o advogado José Guedes. O médico Macário Barros; a dentista Ana Maria Negreiros; o especialista em saúde pública, Williames Pimentel; o pecuarista Evandro Padovani; o servidor federal Brito do Incra; a jornalista e hoje secretária municipal Ivonete Gomes; o ex vereador e ex deputado Claudio Carvalho: o que têm em comum esses nomes, tão conhecidos na mídia rondoniense?  Todos ou ao menos boa parte deles, poderão estar na relação dos concorrentes à cadeiras da Assembleia Legislativa, no ano que vem. A volta de personagens importantes da história ou a chegada de novas caras, que recém começaram a ter uma relação de serviços prestados à comunidade (como Ivonete Gomes), faz parte de um enorme rol dos que poderão disputar as 24 cadeiras da Assembleia Legislativa, no ano que vem. Os atuais deputados terão que dar duro e suar bastante, para manterem seus mandatos. Vem muita gente boa por aí…

 

CREDENCIAIS NÃO FALTAM

O prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo Pires, chegou a pensar em interromper sua carreira política. Não conseguiu, porque as pressões e os apelos para que concorresse à reeleição em sua cidade foram tantos, que ele acabou aceitando repetir a dose. E o fez com sucesso poucas vezes visto. Para chegar ao segundo mandato, teve uma votação das mais positivas, demonstrando que o que fez em sua cidade foi aprovado por ampla maioria da população, mesmo tendo disputado o novo mandato contra nomes de peso e de respeito na sua Ji-Paraná. Agora, Jesualdo anda de novo com suas dúvidas. Não cansa de responder que ainda não decidiu se será candidato em 2018. Mas é muito provável que ele busque uma cadeira ao Senado. Credenciais não lhe faltam e nem apoio da comunidade que comanda, além do respeito conquistado em todo o Estado, com seus mandatos como deputado estadual.  É muito cedo ainda, mas Jesualdo anda, de novo, sofrendo pressões de todos os lados, para que busque dar um salto maior em sua vitoriosa carreira política. Por enquanto, ele só está ouvindo tantos pedidos e apoios e pensando…

 

TEM QUE RENUNCIAR

Na longa entrevista concedida pelo empresário Joesly Batista, delator da Lava Jato, à Revista Época, da Globo, dessa semana, ele envolveu novamente o submundo da política brasileira na podridão que está agora escancarada. E chamou o Presidente da República Federativa do Brasil, Michel Temer, de “chefe de quadrilha”! Ele já havia denunciado Lula e Dilma, informando nos depoimentos, que deu aos dois mais de 150 milhões de dólares para campanhas políticas. Nunca os chamou, contudo, de chefes  de quadrilha. Mas em relação a Temer, há sim um ódio claro do empresário e da Globo, por isso a dureza das denúncias dirigidas muito mais a ele, Presidente. Enfim, o empresário cita tantos nomes, tantos detalhes, tantas ocasiões (infelizmente para os corruptos, Joesley parece ter uma ótima memória), que será muito difícil para os denunciados alegaram que todas as declarações são falsas. Com relação a Temer, depois dessa entrevista, se for verdade só um por cento do que o homem da Friboi contou à  Época, o Presidente precisa renunciar imediatamente. Não é possível manter-se no Governo, com tantas acusações e com tanta baixaria…

 

A CARTA DE AMADEU

Houve vários motivos para o dr. Amadeu Machado declinar do convite de ser o novo secretário da Fazenda de Hildon Chaves. Mas o principal deles, Amadeu explicou em longa carta enviada ao prefeito. Ele está patrocinando uma causa importante, que envolve “elevada monta (segundo destaca), “na qual o Município de Porto Velho consta como réu. A ação está em grau de recurso no Tribunal de Justiça do Estado e, repito, o valor envolvido é muito expressivo”. Depois, analisa que, mesmo se renunciasse à causa, o que lhe representaria enorme prejuízo profissional, ainda assim, poderiam, ele e o Prefeito, serem alvos de comentários maldosos, mesmo que não houvesse qualquer fato para tal conclusão. Amadeu, do alto da sua sapiência e experiência e preocupado com a imagem da administração, explicou que, só quando a causa que está no Tribunal de Justiça for julgada, ele poderá se sentir descompromissado e daí, caso Hildon ainda queira, ambos podem retomar o diálogo sobre uma eventual participação dele no governo municipal. Mais uma vez, Amadeu foi Amadeu: correto, justo, decente, preocupado com a causa pública.

 

PRESSÃO PELA BR 319

Nesta próxima terça, a Comissão de Infraestrutura do Senado, por iniciativa do senador rondoniense Acir Gurgacz, vai discutir, pela enésima vez, a paralisação das obras de asfaltamento da BR 319, que liga Porto Velho a Manaus. Mais uma vez, decisão da Justiça Federal mandou parar os serviços, alegando agressões ambientais que os executores da obra negam terminantemente. Acir, os demais senadores rondonienses, parte das bancadas federais tanto de Rondônia quanto do Amazonas, exigem que a rodovia seja concluída, mas uma minoria, defendendo interesses de lobistas, apoiados por decisões de parte do Ministério Público e do próprio Judiciário, não permitem que a obra, vital para a região, seja terminada. Coincidência é que as decisões da Justiça têm mandado parar o trabalho justamente no período do verão amazônico, quando as obras poderiam ser realizadas com maior rapidez. A OAB do Amazonas já decidiu que vai recorrer contra a decisão da interrupção da BR 319. A OAB de Rondônia, até este sábado, não havia se pronunciado sobre o assunto…

 

PERGUNTINHA

Quanto um empresário diz publicamente que o Presidente da República do seu país vivia pedindo dinheiro sujo para si mesmo e para outros apaniguados, o que a população deve pensar sobre seu principal mandatário? 

Presidida por Léo Moraes Comissão de Direitos Humanos debate sistema socioeducativo

Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania (Cddhc), presidida pelo deputado Léo Moraes (PTB) em reunião ordinária na tarde desta quarta-feira (14) debateu questões referentes ao sistema socioeducativo, defendendo aprimoramento e melhor gestão.

Segundo Léo, o sistema socioeducativo atrelado a Sejus acaba por ficar em segundo plano e sem a devida atenção por parte do governo. Sugeriu que fosse criada uma empresa pública com a finalidade de aproveitar os internos para o proveito na sociedade.

O deputado Anderson do Singeperon (PV) defendeu junto ao sistema socioeducativo melhor gestão com responsabilidade. Segundo o parlamentar ele é utilizado hoje para tapar buracos do sistema prisional. “Os adolescentes, da forma como está sendo gestado, saem do socioeducativo e incham o sistema prisional”, declarou o parlamentar.

A comissão aprovou recomendação para o que for discutido ou decidido relativo ao sistema socioeducativo e prisional dentro da Sejus, seja feito com a participação da Assembleia.

Também participaram da reunião os deputados Jesuíno Boabaid (PMN) e Alex Redano (PRB).

J&F gastou R$ 2,1 milhões em patrocínio ao Instituto de Gilmar Mendes, diz jornal

Brasília - Presidente do TSE, Gilmar Mendes, faz balanço dos trabalhos do tribunal e apresenta dados sobre prestações de contas de campanhas referentes às eleições municipais deste ano (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), que tem como um dos sócios o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), recebeu pelo menos R$ 2,1 milhões em patrocínios nos últimos dois anos do grupo J&F, que controla a JBS, e que tem como donos os empresários Joesley Batista e Wesley Batista – os irmãos que firmaram acordo de delação premiada com a Procuradoria-geral da República (PGR). As informações foram publicadas no jornal Folha de S. Paulo, na manhã desta quarta-feira (14).

Ao jornal, o IDP diz ter devolvido R$ 650 mil no dia 29 de maio, após a revelação do acordo de delação premiada de executivos da empresa. Além disso, afirma ter rescindido contrato assinado em 11 de junho de 2015, em razão de cláusula contratual “relacionada à conduta ética e moral por parte do patrocinador”. A JBS diz ter gastado R$ 1,45 milhão desde 2015 com o IDP. No entanto, não menciona a devolução de R$ 650 mil.

Um dos congressos patrocinados ocorreu em abril, em Portugal, pouco depois dos executivos da JBS firmarem acordo de delação com o Ministério Público Federal. No evento, participaram magistrados, ministros do governo de Michel Temer, advogados e políticos.

A homologação da delação da JBS foi realizada pela ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no STF. O assunto tem rendido críticas da sociedade, de advogados e magistrados, que questionam os benefícios concedidos aos irmãos Batista. Gilmar tem sido um dos críticos da homologação e defendeu que a homologação da delação fosse discutida pelo plenário.

Folha de S. Paulo, em outra reportagem, também apontou que a família de Gilmar  vende gado para o frigorífico. Na ocasião, questionado, “o ministro diz que não havia motivo para se declarar impedido de participar de votações sobre assuntos envolvendo a empresa”.

Irmãos Batista

Após depor e entregar gravações e documentos à Procuradoria-Geral da República e ao Supremo que comprometem, entre outros, o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), Joesley viajou para os Estados Unidos. O grupo tem mais de 60 fábricas em território norte-americano.

Os trechos divulgados da delação até agora trazem conversas gravadas por Joesley com Michel Temer e Aécio. No diálogo com o presidente, ele conta, entre outras coisas, que tinha um procurador informante no Ministério Público Federal e que “segurava” dois juízes que estavam em seu caminho. Também fez menção a negociações financeiras com Eduardo Cunha para que o ex-deputado cassado não fizesse delação premiada. Temer ouviu tudo sem tomar qualquer atitude, em alguns momentos chego a dizer “ótimo, muito bom” sobre as tratativas para obstruir a Justiça.

A Polícia Federal também gravou a entrega de uma mala com R$ 500 mil enviada por Joesley ao deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), escalado pelo presidente para tratar de assuntos de interesse da JBS. O empresário também gravou conversas em que Aécio lhe pede R$ 2 milhões. O rastreamento mostrou que o dinheiro foi parar na empresa do filho do senador Zezé Perrella (PMDB-MG), aliado do presidente do PSDB.

 

Um em cada três integrantes do atual Congresso recebeu dinheiro do grupo JBS na eleição de 2014, segundo planilha entregue pelos delatores à Procuradoria-Geral da República e ao Supremo. Juntos, quase 200 congressistas receberam mais de R$ 107 milhões da empresa. De acordo com os delatores, a maior parte dos recursos era propina, mesmo em casos de doação oficial registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Foram beneficiados pela JBS 167 deputados federais, de 19 partidos, e 28 senadores.

congresso em foco

Expoari valoriza artistas de Ariquemes

Conhecida pelo show de artistas de fama nacional e internacional, a EXPOARI vai abrir espaço para apresentação de Lu Morgan e também da dupla sertaneja Glauber E Gleydson neste ano em uma das noites da feira agropecuária. O nome desses artistas talvez seja desconhecido do grande público, mas eles fazem sucesso na noite ariquemense e vão ter oportunidade de se apresentar em um dos maiores eventos de turismo e de negócios da Região Norte.

 

Essa oportunidade para artistas da cidade mostrar o seu talento já é realizada há dois anos. No ano passado a apresentação foi batizada de “Boteco da Expoari”. Neste ano a apresentação vai ser realizada no dia 28 de julho, uma sexta-feira – neste dia o visitante também vai concorrer ao sorteio de um Chevrolet Onix.

Glauber disse que a apresentação é uma grande oportunidade. “Já tocamos em vários Estados, mas tocar no palco da Expoari tem um gostinho especial, porque foi aqui que vimos muitas das nossas referências músicas tocar”, diz Glauber. “Vamos tocar para os nossos amigos e para a nossa família e para muita gente que ainda não teve oportunidade de ir a um show nosso”, acrescenta Gleydson.

Lu Morgan também disse que está muito animada para a apresentação. “Vamos nos preparar para empolgar o público e fazer uma grande apresentação, pois a nossa cidade merece”, comenta.

EXPOARI

A Expoari vai ser realizada de 22 a 30 de julho. Neste ano, o visitante vai poder assistir na Expoari aos shows de Wesley Safadão, Pedro Paulo e Alex, Henrique e Diego, Humberto e Ronaldo, além do show infantil com Kira Garcez. Também vai concorrer ao sorteio de: uma caminhonete Hillux, um Ford Ka, um Cherry QQ Loock; 1 Chevrolet Onix, 1 Fiat Toro Freedom e quatro motocicletas exclusivas para quem tem o kit.

Programação Expoari

8 de julho – Baile Cowboy

15 de julho – Cavalgada

22 de julho – Abertura oficial e show de Henrique e Diego

23 de julho – Rodeio e sorteio de Toyota Hillux

24 de julho – Rodeio e Sorteio de Ford Ka

25 de julho – Show Humberto e Ronaldo

26 de julho – Rodeio e Sorteio Cherry QQ

27 de julho – Show Wesley Safadão

28 de julho – Rodeio Sorteio Chevrolet Onix

29 de julho – Show Pedro Paulo e Alex

30 de julho – Rodeio e Sorteio Fiat Toro

Equipe formada por servidores do MPRO é finalista do “HackFest contra a Corrupção”

O software B.O Bot: robô (bot) no Facebook para registro de ocorrências policiais, desenvolvido pela equipe formada por servidores do Ministério Público do Estado de Rondônia e integrantes da sociedade civil, é um dos 10 finalistas da primeira etapa da 3ª edição do ‘HackFest Contra Corrupção’. O evento é promovido pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB), por meio do Núcleo de Gestão e Conhecimento e Segurança Institucional (NGCSI). A primeira etapa ocorreu no período a 9 a 11 de junho, em João Pessoa (PB), tendo como objetivo a criação de ferramentas para implementação de aplicativos de combate à corrupção ou em outras áreas relevantes.

O software B.O Bot: robô (Bot) no Facebook para registro de ocorrências policiais, em fase de desenvolvimento, foi projetado pela equipe formada pelos servidores do Ministério do Estado de Rondônia, Francisco Neto e Elieber Souza, além de José Ardiles, Felipe Martins, Henrique e Glaydson, integrantes da sociedade civil.

As equipes têm até dia 31 de julho para intensificar e aprimorar os trabalhos e apresentar na final, que ocorrerá em 18 de agosto, quando ocorre a entrega das premiações e disponibilização à sociedade dos melhores softwares desenvolvidos.

O B.O Bot trata-se de um software que vai funcionar com um Boletim de Ocorrência por meio do Facebook e/ou outras redes sociais. Elieber Souza e Francisco Neto explicam que os dados fornecidos pelas vítimas de crime por meio do software vão permitir mapear locais com maiores índices de violência; as principais causas das ocorrências policiais e que tipo de crimes são mais comuns em determinadas regiões, sendo um instrumento importante para ações na área de segurança pública.

Os desenvolvedores do sistema ressaltam que a maioria das pessoas não está disposta a instalar muitos aplicativos em seus dispositivos para fazer coisas simples, como, por exemplo, registrar a ocorrência de um crime. “Tendo isso em mente unimos a necessidade de ter uma ferramenta que possa obter tais informações da forma menos invasiva e natural possível, já que a pessoa poderá acessar este serviço através de plataformas já conhecidas por eles como: Facebook, Telegram, Skype e outros”, salientou Elieber.

Em relação ao que pode ser melhorado no sistema, os desenvolvedores afirmam que o projeto pode evoluir para auxiliar no registro oficial de Boletins de Ocorrência, ou ainda no registro de denúncias para órgãos como Ministério Publico, Tribunal de Contas e quaisquer outros que desejem aderir a plataforma auxiliando todo e qualquer cidadão, com a principal vantagem de não ter que fazer nenhum tipo de instalação, pura e simplesmente através de um bate papo comum. “Pensamos ainda em desenvolver uma funcionalidade para alunos, onde estes pudessem reclamar ou mostrar alguma irregularidade em sua escola”, salienta Elieber Souza.

Rondônia, terra de oportunidades

Rondônia é um celeiro riquíssimo em oportunidades para grandes investimentos. Confira as características do nosso estado que o tornam excepcional.

“Virtudes de Rondônia”, por Andrey Cavalcante Comente

Agiu corretamente o governo de Rondônia ao anunciar na grande imprensa as virtudes de nosso estado para atrair investimentos, como forma de agregar valor à produção regional.

 

Agiu corretamente o governo de Rondônia ao anunciar na grande imprensa as virtudes de nosso estado para atrair investimentos, como forma de agregar valor à produção regional. Rondônia precisa realmente mostrar ao país o que é: uma ilha de prosperidade no mar revolto, inclemente e borrascoso que se apresenta na maioria dos estados da União. Temos por aqui, claro, os efeitos deletérios da crise econômica sem precedentes que se instalou no País, agravada pela instabilidade política decorrente do combate à corrupção. Mas o governo rondoniense tem sido bom timoneiro na condução do estado por águas mais calmas: paga desde sempre o salário dos servidores dentro do mês trabalhado e mantém equilibradas as contas com os fornecedores. Isso não foi dito na publicidade estampada logo no início da revista Veja, edição desta semana. Mas é igualmente um importante fator de atração para o empresariado, que busca fundamentalmente cenário e ambiente de equilíbrio financeiro para produzir.

Rondônia exibe virtudes – como bem assinala a publicidade governamental – plenamente capazes de atrair investidores. Recursos naturais abundantes e um modal de transportes diverso e estruturado – diz o texto – são um convite para quem transforma matéria-prima em produtos, especialmente porque possui localização geográfica privilegiada. Porto Velho, de fato, não está longe de consolidar sua vocação de entreposto comercial com acesso rodoviário ao sul do país pela BR-364, a Manaus, pela BR-319, aos mercados andino e asiático com a saída para o Pacífico nos portos do Chile já consolidada, e ao Atlântico, pela hidrovia do Madeira. O texto lembra que os comboios de balsa transportam em uma só viagem mais de 50 mil toneladas de grãos exportadas para a Europa. E o acesso a Manaus pelo rio incorpora também um forte componente de cargas pelo sistema roll-on-roll-off. E cita, como vantagem adicional, a farta produção de energia com duas das maiores hidrelétricas do mundo, em Santo Antônio e Jirau, que produzem 7,9 mil MW – energia suficiente “para tocar, por exemplo, toda a economia peruana, apontada como que mais cresce na América Latina”.

Outro ponto abordado é a qualificação de mão de obra nos diversos polos acadêmicos espalhados pelo estado, que formam anualmente milhares de profissionais de nível superior e técnico. O material termina com um convite aos empreendedores para conhecer a “ótima política de incentivos” que o governo do estado oferece: “você estará a caminho de descobrir porque Rondônia está virando uma fábrica de empreendedores bem sucedidos”. É claro que alguns gargalos precisam ser superados. Um deles – a ponte sobre o rio Madeira, na BR-364, distrito de Abunã – está quase afastado. As obras estão próximas da conclusão e o tráfego ficará finalmente livre da demora e dos pedágios cobrados pelas balsas na travessia. Outro problema é a BR-319, uma rodovia há muito antropizada que, no entanto, continua fomentando ações judiciais movidas pelo IBAMA. Agora mesmo a justiça acaba de determinar o embargo, a pedido do Ministério Público, dos trabalhos de conservação da rodovia, para desespero de milhares de pequenos produtores instalados há décadas na região e severos prejuízos aos cofres públicos com a desmobilização das empresas contratadas para o serviço, sem contar que tudo o que se fez até agora corre o risco de ser perdido.

Também há preocupação em relação à BR-364. O coordenador de engenharia do DNIT/RO, engenheiro Alan Lacerda, em entrevista ao programa “A Hora do Povo” da Rede Rondônia de Rádio, chamou a atenção para o risco de comprometimento de nossa economia em função da falta de infraestrutura. O transporte intermodal da produção, que reúne o acesso à hidrovia do Madeira pela BR-364 está ameaçado pela precariedade da rodovia, na decrepitude de seus 34 anos a serem completados em agosto. Ele defende mobilização das bancadas de RO e AC, autoridades governamentais, lideranças políticas, empresariais e público de maneira geral para cobrar a duplicação da rodovia. As obras de restauração, que agora estão sendo licitadas, nem contemplam a implantação de terceira pista nos trechos mais críticos, por falta de recursos. A Comissão de Logística da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso já está recomendando o escoamento da safra de grãos pela BR-163 – Cuiabá – Santarém – embora ainda restem perto de 100 quilômetros sem asfalto. Isso com certeza trará reflexos negativos para a economia rondoniense, com a extinção de muitos postos de trabalho. A OAB Rondônia está pronta a participar dessa mobilização. Afinal é a nossa principal rodovia e sua precariedade coloca em risco a segurança dos usuários.

Presidente da OAB/RO, Andrey Cavalcante

Mariana Carvalho busca recursos para Rondônia no Ministério das Cidades

 

Além de destinar recursos de suas emendas parlamentares para vários setores dos municípios rondonienses, a deputada federal Mariana Carvalho (PSDB – RO) vem buscando benefícios para Rondônia na Esplanada dos Ministérios.

 

Desta vez, a segunda secretária da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados manteve audiência como o ministro das Cidades, Bruno Araújo. Na oportunidade, a parlamentar solicitou ações da pasta para a capital e municípios do interior do Estado.

 

Ela estava acompanhada pelo prefeito de Porto Velho Hildon Chaves (PSDB), tendo em vista que um dos motivos para o encontro com o ministro era a liberação de recursos para a Capital.

 

Os pleitos apresentados pela tucana  para Porto Velho foram : pavimentação de ruas, drenagem pluvial de bairros na Zona Sul, mobilidade urbana, bem como melhoria para o transporte.

 

“Nosso compromisso é com todos os municípios rondonienses”, frisou Mariana Carvalho, ressaltando que Porto Velho precisa resgatar o tempo perdido, tendo em vista que nos últimos anos a cidade  mergulhou num caos com obras inacabadas.

Presidente da Assembleia convidado a participar do lançamento do Programa Rolim Cidade Linda

Rolim de Moura vai se transformar num grande canteiro de obras, com melhorias em sua infraestrutura urbana. A garantia é do prefeito Luizão do Trento (PSDB), ao fazer o convite para que o presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (PMDB), participe do lançamento do Programa Rolim Cidade Linda, uma ação que conta com o apoio do deputado e demais parlamentares.

Maurão confirmou presença ao evento, marcado para o dia 23 de junho, às 8h, em frente à prefeitura. A ação vai garantir recuperação de asfalto, construção de novos asfaltos, limpeza, patrolamento e encascalhamento de ruas, além da construção e recuperação de galerias pluviais, entre outros serviços.

“Estamos apoiando este programa, seja destinando emendas para garantir as obras, seja intercedendo junto ao Governo, a pedido do prefeito e dos vereadores, para que Rolim de Moura tenha uma nova cara, resgatando o orgulho e a autoestima dos seus moradores”, disse Maurão.

Além do presidente da Assembleia, também deverão estar presentes os deputados Só Na Bença (PMDB), Jean Oliveira (PMDB) e Laerte Gomes (PSDB). Todos eles contribuíram com recursos, via Departamento de Estradas de Rodagens (DER), para a execução das obras. O diretor geral do DER, Ezequiel Neiva, também deverá comparecer ao lançamento do Rolim Cidade Linda.

“O deputado Maurão é um parceiro de primeira hora de Rolim e fiz questão de convidá-lo pessoalmente a comparecer ao lançamento do programa, que é fruto de uma união política e de um esforço conjunto da prefeitura, dos vereadores, dos parlamentares e do Governo”, completou Luizão.

EDUCAÇÃO – Conselho debate ações para melhorar as notas no Ideb

Identificar causas do baixo desempenho no Ideb e aumentar o número de escolas regularizadas são duas metas básicas

Membros do Conselho Municipal de Educação reuniu os gestores escolares da rede pública municipal na manhã da terça-feira (13), no auditório da Biblioteca Municipal Francisco Meirelles, para tratar de estratégias que têm por objetivo melhorar as notas no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica e estabelecer metas para as escolas municipais.

Para este ano foram estabelecidas basicamente duas metas: implementar ações visando identificar causas do baixo desempenho no Ideb e aumentar o número de escolas regularizadas do sistema municipal de ensino. Para isso foi elaborado o Projeto Mover, cujo objetivo é movimentar as escolas, o Conselho e a Secretaria Municipal de Educação para garantir o selo de regularização.

A professora Maria do Carmo, que representou o secretário municipal da Educação, Senildo Santos, motivou os participantes a “enfrentar o desafio com a colaboração de todos os gestores. Para que juntos possamos cumprir nossas metas, precisamos que todas as escolas estejam com as documentações regularizadas, dessa forma teremos recursos para executarmos um bom trabalho. Temos que ser reconhecidos pois temos traços definidos de como caminhar e de onde chegar”.

A presidente do Conselho, Gláucia Negreiros está confiante nos resultados. “Juntos todos somos capazes, o Conselho Municipal de Educação vai apoiar e assessorar as escolas em tudo o que precisarem para alcançarmos as metas traçadas”.

FONTE COMDECOM