sexta-feira, março 22, 2019
Início Site Página 254

SODOMA E GOMORRA: SENADOR DA REGIÃO NORTE PÕE GABINETE À DISPOSIÇÃO DA PROSTITUIÇÃO

Com influência no meio político, grupo alicia garotas no Sul e as convence a pagar até R$ 900 por semana para ficar em imóveis na capital

A Polícia Civil investiga uma rede de prostituição interestadual que se alastrou por áreas nobres do Distrito Federal e tem influência para circular com desenvoltura por gabinetes de clientes poderosos. Diálogos gravados por meio de interceptações telefônicas, e que agora integram inquérito aberto pela 3ª Delegacia de Polícia (Cruzeiro), revelaram a aproximação de cafetões e parlamentares da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Um dos políticos chegou a colocar parte de sua equipe, paga com dinheiro público, à disposição de uma das garotas de programa.

A apuração conta com dezenas de horas de gravações feitas com autorização judicial e investiga a conexão entre agenciadores do DF e do Sul do país. O cafetão, de Porto Alegre, costuma utilizar as garotas de programa como uma espécie de “cartão de visita” para se aproximar dos políticos.

Em duas interceptações telefônicas, os investigadores flagraram o agenciador conversando com dois deputados federais (um de São Paulo e outro do Rio de Janeiro) e um senador (eleito pela Região Norte). O integrante do Senado demonstra bastante intimidade com o cafetão e a prostituta, que chega a trocar algumas palavras com o político pelo telefone.

Durante a conversa com a garota de programa, o senador coloca seu gabinete à disposição para ajudá-la no que for preciso até que ela se estabeleça na cidade. A mulher agradece e diz que pretende fazer faculdade no DF e se firmar. O político insiste em encontrá-la assim que ela desembarcar em Brasília.

Os nomes dos parlamentares estão sendo mantidos em sigilo pela polícia para não atrapalhar a investigação. Os agentes destacam que eles não eram alvo das gravações, mas sim o cafetão. E causou surpresa o conteúdo das conversas. Como os senadores e deputados têm foro privilegiado, será necessária autorização do Supremo Tribunal Federal (STF) para investigá-los.

ReproduçãoREPRODUÇÃO

 

O agenciador do Rio Grande do Sul, que costuma viajar constantemente para o DF, foi monitorado pela Polícia Civil durante a negociação de programas sexuais. Os policiais descobriram que o homem chegou a usar a própria mulher – com quem tem dois filhos – como garota de programa.

ReproduçãoREPRODUÇÃO

A teia de captação, segundo as apurações policiais, começa em boates e casas noturnas no interior do Rio Grande do Sul, em cidades como Canoas. Jovens que estão em dificuldade financeira e faturando pouco com o mercado da prostituição são cooptadas por um dos cafetões do grupo que age no DF. O homem promete passagens aéreas, hospedagem e uma carteira de clientes. As mulheres também ganham espaço em um site adulto, para veicular anúncios e vídeos (reproduções abaixo).


Aluguel de imóveis
Dezenas de imóveis são alugados pelo grupo enquanto cafetões agem no DF e no Rio Grande do Sul. Garotas de programa acabam reféns do bando. Seduzidas pelas facilidades, quando chegam ao DF, elas são orientadas a alugar um dos locais disponibilizados por uma das cafetinas do grupo.

A agenciadora aluga apartamentos em cidades como Sudoeste, asas Sul e Norte, Águas Claras e Setor Hoteleiro Norte. Os imóveis são locados diretamente com imobiliárias, em nome dela ou de terceiros, e acabam sublocados para as garotas de programa, que precisam pagar valores entre R$ 500 e R$ 900 semanais para a cafetina.

Reprodução/PCDFREPRODUÇÃO/PCDF

Além de serem obrigadas a quitar todos os débitos feitos durante a viagem e pagar pelo aluguel, algumas prostitutas foram enganadas pelos cafetões. Depoimentos prestados pelas garotas de programa revelam que, após depositarem o dinheiro adiantado do aluguel, as chaves dos imóveis jamais foram entregues.

Essa cafetina que atua no DF chegava a alugar o mesmo apartamento para duas ou três mulheres diferentes. Como ela sempre cobra o pagamento adiantado, as mulheres ficavam sem o dinheiro e sem o imóvel

Investigador da Polícia Civil do DF

Pelo menos três vítimas da rede de prostituição chegaram a registrar ocorrência na 3ª DP dos golpes praticados pela cafetina, que não devolveu as quantias pagas pelas garotas. Uma delas chegou a detalhar aos policiais como funcionava o esquema de aliciamento no Rio Grande do Sul e como ocorre a exploração sexual nas cidades do DF.

Problemas no prédio
A rede de prostituição montada pelos cafetões escolheu um condomínio à beira do Lago Paranoá para hospedar a maioria das mulheres que são trazidas do Rio Grande do Sul. Os policiais identificaram pelo menos seis unidades com alta rotatividade que costumam ser usadas pelas garotas para realização de programas. Em algumas das unidades foi registrada a entrada de até seis homens em um período de 24 horas.

Durante os meses de verão, a presença das prostitutas na área comum do condomínio é mais evidente, segundo um dos gerentes que conversou com a reportagem. Muitas delas utilizam a piscina do local para atrair clientes. “Elas descem e ficam se exibindo na piscina. Isso provoca alguns transtornos, principalmente entre os casais, já que as esposas ficam constrangidas”, explicou o funcionário.

Já que os prédios contam com aluguéis por temporadas, como uma espécie de hotel, o controle de quem entra e sai dos apartamentos é mais complicado. “Antes os clientes das garotas entravam no condomínio com o pretexto de ir até o bar que existe no local, que é de livre acesso, mas quando começamos a pedir a identificação de todos que entram, o fluxo de homens foi reduzido”, contou o gerente.

A equipe da 3ª DP segue em campo para identificar todos os integrantes do grupo e, assim, pedir seu indiciamento à Justiça. Não foi definido prazo para o encerramento das apurações.

CARLOS CARONE,METRÓPOLES

O consumidor não pode ser constrangido na cobrança de dívida

Na cobrança de débitos, o consumidor inadimplente não será exposto ao ridículo, nem será submetido a qualquer tipo de constrangimento ou ameaça. O exercício do direito de cobrança do débito deve seguir os meios legais.

O Código de Defesa do Consumidor em seu art. 42 assegura que na cobrança de dívida o consumidor não poderá sofrer qualquer tipo de constrangimento ou ameaça. A vida privada, a honra e a imagem devem ser preservadas. Imagine que o credor chega ao local de trabalho de um consumidor devedor e grita “fulano de tal, seu caloteiro que dia vai me pagar”. Este é um procedimento errado e proibido por lei. Igualmente não se pode utilizar de ameaças para o recebimento de dívidas.

Inclusive em seu artigo 71 o Código de Defesa do Consumidor estabelece uma pena de detenção de três meses a um ano e multa para quem utilizar, na cobrança de dívidas, de ameaça, coação, constrangimento físico ou moral, afirmações falsas incorretas ou enganosas ou de qualquer outro procedimento que exponha o consumidor, injustificadamente, a ridículo ou interfira em seu trabalho, descanso ou lazer.

O melhor e mais seguro meio legal para a cobrança de uma dívida sem o risco de cometer qualquer ilegalidade é a via judicial. No judiciário tudo é discutido com direito a ampla defesa e o contraditório e ao final a decisão poderá ser cumprida forçadamente pelo Estado, sem, contudo, caracterizar constrangimento.

É importante que o credor tenha documentos hábeis a provar seu crédito. Os negócios realizados verbalmente trarão maiores dificuldades na constituição das provas. Assim, alguns consumidores de má fé, poderão oferecer dificuldade para honrar o compromisso assumido e o fornecedor terá mais dor de cabeça para receber.

A lei n 12.039 de 2009 acrescentou no Artigo 42 do Código de Defesa do Consumidor que em todos os documentos de cobrança de débitos apresentados ao consumidor, deverão constar o nome, o endereço e o número de inscrição no Cadastro de Pessoas Física – CPF ou no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica – CNPJ do fornecedor do produto ou serviço correspondente.

O consumidor cobrado em quantia indevida tem o direito à repetição do indébito, por valor igual ou dobro do que pagou em excesso, acrescido de correção monetária e juros legais, salvo hipótese de engano justificável.

Os débitos devem ser cobrados nos valores corretos, podendo o valor principal ser acrescido da correção monetária e juros legais conforme estabelecido no Código Civil. No caso do estado de Rondônia, o Tribunal de Justiça disponibiliza, em sua página oficial, meios legais para fazer o cálculo da dívida a ser cobrada.

Cobrar alguém além do que deve é, sem dúvida, uma forma de constrangimento que pode implicar na obrigação de reparação de danos morais. Para saber mais acesso www.agnaldonepomuceno.com.br.

O exercício do direito de cobrança do débito deve seguir os meios legais.

Agnaldo Nepomuceno/Constituição Federal, Código de Defesa do Consumidor

LBV entrega cestas de alimentos em Ouro Preto do Oeste/RO

A Legião da Boa Vontade (LBV) deu início à entrega das doações arrecadadas por meio de sua tradicional campanha Diga Sim!, iniciativa de caráter emergencial, cujo slogan deste ano é “O que é urgente para você?”.

Em Ouro Preto do Oeste/RO, serão entregues no dia 11 de julho, (terça-feira), às 14 horas, 200 cestas de alimentos a famílias em situação de vulnerabilidade social. A entrega ocorre no Ginásio Agmar de Souza Piau, localizado na Avenida Daniel Comboni, esquina com a Rua Padre Adolfo Rohl.

No Estado de Rondônia, a Campanha da LBV atenderá 900 famílias nos municípios de Ouro Preto do Oeste, Cacoal e Porto Velho. A ação solidária conta com o apoio da Polícia Militar do Estado de Rondônia.

Em todo o país serão entregues 11 mil cestas de alimentos não perecíveis e mais 15 mil cobertores a famílias em situação de pobreza que enfrentam as baixas temperaturas e a fome em dezenas de cidades brasileiras. Com essa mobilização social, a Entidade visa contribuir para minimizar o sofrimento de crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos.

Ação solidária

As cestas de alimentos não perecíveis beneficiarão famílias do Acre, de Alagoas, da Bahia, do Ceará, do Espírito Santo, de Goiás, do Maranhão, do Mato Grosso, de Minas Gerais, da Paraíba, de Pernambuco, do Piauí, do Rio Grande do Norte, de Rondônia, de Sergipe e do Tocantins.

Para saber como está ocorrendo a entrega das doações, basta acessar as redes sociais Facebook (LBVBrasil), YouTube (LBVBrasil), Twitter (@LBVBrasil) e Instagram (@LBVBrasil).

Ainda dá tempo de ajudar! Quem quiser colaborar para a campanha pode fazê-lo entrando em contato pelo tel.: 0800 055 50 99 ou pelosite www.lbv.org.

Serviço

Evento: Entrega de cestas de alimentos arrecadadas por meio da campanha Diga Sim!, promovida pela Legião da Boa Vontade.

Data e horário: 11 de julho de 2017, às 14 horas.

Local: Ginásio Agmar de Souza Piau

Endereço: Avenida Daniel Comboni esquina com Padre Adolfo Rohl

Outras informações: (61) 99857-1682 | www.lbv.org

CONFÚCIO DÁ PUXÃO DE ORELHAS PÚBLICO NO COMANDO DA IDARON

Um puxão de orelhas público, avisa: toda a diretoria da Agência Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia, a famosa Idaron, está com a cabeça a prêmio. E quem avisou não foi qualquer um, mas o dono da caneta: o próprio governador Confúcio Moura. Ele escreveu, em seu Blog, nesse domingo, entre outras coisas: “A Idaron cresceu. O Estado cresceu. A Idaron é bacana. Sabe trabalhar. Mas, tem uma amarração burocrática que não deixa a Idaron fluir. Darei dois meses, apenas, dois meses, para que a equipe atual mostre serviço”. Se não houver melhoria na estrutura do trabalho da Idaron, dentro de 60 dias não só o comandante geral do órgão, o ex deputado federal Anselmo de Jesus, como todo comando, irão engrossar aquele triste número de 13 milhões e 800 mil desempregados do Brasil. Ué, mas um autarquia tão elogiada, por ter realizado com sucesso e ensinado o resto do país como realizar campanhas de vacinação contra a aftosa, de uma hora para outra caiu em desgraçada, sem mais nem mais? Na verdade não é bem assim. A Agência (por isso “a” Idaron e não “o” Idaron!), parou no tempo nas suas demais atividades, segundo fonte muito próxima à Confúcio. Não evoluiu em suas ações, por exemplo, para ajudar a superar a crise da carne, atingida fortemente desde a irresponsável operação da Polícia Federal que a colocou, no mercado internacional, como produto suspeito, embora no caso de Rondônia, absolutamente nada tenha sido denunciado. Ficou parada também (e ainda vive de bilhetinhos e papeizinhos, sem evoluir na integração de todo o sistema de governo que quer ser on line, até o final do ano), em questões  fundamentais como as da madeira, onde a falta de fiscalização correta, faz com que Confúcio escreva outro desabafo: “A Idaron deve cuidar da madeira. O madeireiro rondoniense está passando vergonha. Suas cargas são presas em Mato Grosso. Perdidas. Ou multadas. Será preciso desenvolver a parte que a Idaron não fazia de rotina, o controle e a tipificação das espécies vegetais. Fazer logo”.

Enfim, Confúcio está sendo Confúcio: transparente e público, sem esconder para debaixo do tapete, problemas internos do governo e sem deixar de criticar áreas que não estão funcionando. Bateu firme.

 

 

 

“FAÇA MOVIMENTAR A MÁQUINA!”

Veja só outras críticas do chefe ao comando do órgão: “A Idaron  cresceu muito sua abrangência de ação, principalmente, nas agroindústrias e só há dois técnicos para fiscalizar o Estado inteiro. Já falei: terceirizar serviços, acreditados com base em editais. E pronto. O que é feito em outros estados da federação. Solte o serviço e vamos atender bem a todos”. Diz mais, em seu blog: “ A Idaron deve melhorar a parte de tecnologia em suas agências. Treinar o pessoal, colocar tudo na Internet. Ser transparente. Claramente. Translucidamente. E cuidar da fronteira com a Bolívia, com esmero e técnica”. Continua: “É preciso formar um núcleo gerencial e administrativo competente. Entrosado. Comprovadamente competente. Que faça movimentar a máquina. E gastar, bem gastado, o dinheiro do FESA. Não se justifica tanto dinheiro em caixa, sem gastar bem gastado. E deixando o pessoal no interior à míngua!”

 

PROTEÇÃO SÓ AOS ANIMAIS

Várias denúncias estão sendo enviadas às chamadas autoridades competentes, denunciando um carroceiro, cheio de tatuagens, que já cumpriu pena por agressão e recentemente atacou na rua, sem qualquer motivo, um trabalhador que estava distribuindo panfletos. Mesmo com o risco  que o sujeito representa para a sociedade, até agora nenhuma providência foi tomada para tirá-lo das ruas e proteger suas futuras vitimas. Mas, enfim, surge uma luz no fim do túnel. Como o celerado não vai preso por atacar inocentes a pauladas, pode sê-lo porque anda maltratando um burrico que puxa sua carroça. Atacar, ferir, deixar sequelas e até matar pessoas, aí pode. Mas quando se tratar de animais, nossas leis são duríssimas, porque, ao contrário das leis feitas para proteger bandidos, as que protegem os animais são cumpridas com dureza. Pode ser que, por causa dos maus tratos ao burro, o maluco que ataca pessoas nas ruas seja, finalmente, preso! É esse o retrato ridículo das leis nesse país, tão idiotas quanto quem as aprovou!

 

COFRE NAS COSTAS

Idiotizados pela ideologia, grupos de esquerdistas, pelas redes sociais, fazem de conta que o assalto praticado ao país pelo PT e seus aliados não aconteceu. Ficam se fazendo de opositores corretos, como se tivessem a alma limpa e não tivessem se omitido na roubalheira institucionalizada imposta ao Brasil. Plantam notícias, inventam, ampliam o que já está ruim. Pintam a esquerda com as cores da beleza, esquecendo-se que do pescoço para baixo estão nus. E que nudez horrorosa! Jogando gasolina no fogo, vão fazendo crescer o outro lado, o oposto do oposto, o perigo tão grande para nosso país, quanto o são esses celerados que se fazem de esquecidos, andando com um cofre recheado de dinheiro público nas costas, mas fazendo de conta que os ladrões são os outros. Vão acabar transformando Jair Bolsonaro em herói nacional, dando-lhe a Presidência numa bandeja. Pobre de nós, com esse tipo de gente! Dos dois extremos…

 

OS COMUNISTAS VÊM AÍ!

O PCdoB ainda existe, acreditem! E anuncia o lançamento de duas candidaturas em Rondônia, para 2018. Um é o jovem Jackson Chediak, professor e advogado, que será o nome do partido para disputar o Governo do Estado. Jackson é um personagem até agora totalmente desconhecido na vida pública, mas o PCdoB acha que o eleitor vai mesmo em busca de caras novas na política, como o fez, aliás, com Hildon Chaves, que saiu do anonimato para ganhar a Prefeitura de Porto Velho, em poucos meses. Já para o Senado, os comunistas anunciam a candidatura do professor Francisco Pantera, uma figura bastante popular no seu meio, muito mais por ser um personagem folclórico do que um  militante comunista. Mesmo assim, a dupla será lançada como pré candidata num encontro do partido na sede do PCdoB, no centro de Porto Velho, nesta próxima quinta. Se alguém achar que os dois têm alguma chance, receberá o troféu de Maior Otimista do Século!

O APITO DO TREM

Tem dinheiro. Tem projeto básico. Tem interesse de parte das autoridades, embora outra parte alegue que não há mais estrutura do solo para suportar uma obra de tal porte. Mas a verdade é que a volta do trem da Estrada de Ferro Madeira Mamoré, no trecho até Santo Antônio, cerca de sete quilômetros, ainda está longe se se tornar realidade. Além do solo frágil, seriamente prejudicado pela enchente histórica de 2014, a Prefeitura precisar retirar das proximidades dos trilhos várias famílias e até prédios inteiros, já que há necessidade de um afastamento de 50 metros de cada lado, para que o trem possa voltar a circular. É tanta burocracia, é tanta imposição de bobagens (com exceção da má qualidade do solo, que é uma coisa muito séria), que não se sabe quando e se o trem vai voltar a apitar no trecho histórico. A Santo Antônio Energia, consórcio responsável pela hidrelétrica, faz a sua parte: tem 20 milhões de reais guardados, para investir no projeto. Isso se um dia ele andar…

O IMPOSSÍVEL É POSSÍVEL!

Os produtores rurais e os moradores da região da Comunidade do Belmont já estavam perdendo as esperanças de que, um dia, pudessem voltar a escoar sua produção e utilizar a estrada que liga o setor à Capital e que estava praticamente destruída, desde a grande cheia de 2014. Mas, num grande esforço, mobilizando equipes e máquinas, a turma da Prefeitura conseguiu, em poucos meses, o que parecia impossível: recuperou os 10 quilômetros críticas da Estrada do Belmont. Houve festa, almoço bancada pela comunidade e até música ao vivo, para a inauguração das obras recém concluídas. A Secretaria de Agricultura liderou o serviço e quem vive e mora naquela região, onde os pequenos agricultores tentam sobreviver com imensa dificuldade, ficou extremamente grato pelo trabalho realizado. Enfim, não é tão difícil assim para uma administração atender aos anseios da população, mesmo que não com toda a grandeza que se imagina de uma obra desse tipo. Com esforço, boa vontade e olhos voltados ao interesse público, dá pra fazer as coisas sim. No Belmont, elas foram feitas. E isso merece comemoração!

 

PERGUNTINHA

Se você pudesse apostar para ter a chance de ganhar um bom dinheiro, colocaria suas fichas no afastamento do Presidente Temer pelo Congresso ou optaria por jogar na possibilidade de que ele fica até o fim do seu mandato? 

AGRICULTURA: Semagric realiza Dia de Campo sobre a cultura do inhame

A colheita deve ser realizada quando o inhame estiver amadurecido aproximadamente 180 dias após o plantio

A prefeitura de Porto Velho através da Subsecretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Semagric), realizou na semana passada o 1º dia de campo sobre a cultura do inhame na BR 364, km 67, linha Caracol, no sítio Rancho Velho de propriedade da família do produtor Ivo Santos de Matos, em Porto Velho.

O evento contou com a participação de 100 produtores e o objetivo da Semagric, foi disponibilizar conhecimentos técnicos sobre a cultura de inhame e divulgar mais uma alternativa de diversificação aos agricultores da capital. O dia de campo contou também com palestra pelo técnico da Emater do município de Seringueiras, João Francisco Filho, que falou aos produtores sobre o manejo inhame desde o plantio até a colheita e repassou os conhecimentos dos sistemas de irrigação.

O subsecretário da Semagric Francisco Evaldo de Lima, fez questão de realizar o dia de campo, para mostrar aos pequenos produtores rurais ligados a agricultura familiar, que o cultivo dessa batata será mais uma fonte de renda ao produtor da capital.

Essa cultura corresponde hoje uma das principais atividades agrícolas no município de São Francisco do Guaporé, que é pioneira no cultivo, e que se transformou em um grande polo produtor de inhame no estado de Rondônia, e por determinação do prefeito dr Hildon Chaves precisamos investir na produção do inhame também na capital”, comentou Evaldo.

Para o vice-prefeito Edgar Nilo Tonial, que também participou do dia de campo, a cultura do inhame vem se destacando na região da BR 429 pela boa produtividade alcançada e rentabilidade que tem proporcionado aos produtores.

O foco principal do prefeito dr Hildon é a produção agrícola. Sabemos que a união faz toda diferença, por isso a prefeitura de Porto Velho quer incentivar cada vez mais esse setor, e com a plantação do inhame, podemos chamar a atenção de grandes compradores e exportadores da produção, gera receitas para os cofres públicos e melhora a qualidade de vida das famílias produtoras”, disse Edgar do Boi.

A CULTURA

O inhame também conhecido como cará-da-costa (Dioscorea cayenensis), é uma planta de origem africana, sendo cultivado no mundo inteiro por se tratar de um alimento energético e de alto valor nutritivo. Esta cultura pode ser cultivada nas regiões tropicais e em diversos tipos de solos desde aqueles com textura arenosa, até os de textura argilosa-média, profundos, bem drenados e arejados.

Quando o cultivo é feito em condições de sequeiro, deve ser plantado no início das chuvas e quando em regime de irrigação, a melhor época é aquela em que a colheita coincide com o período da entressafra do inhame. O plantio pode ser feito em cova alta (matumbo) e em leirão ou camalhão, utilizando-se sementes inteiras ou partidas.

A colheita deve ser realizada quando o inhame estiver amadurecido aproximadamente aos 180 dias após o plantio. Seguindo algumas recomendações, e com as condições climáticas favoráveis.

Durante o dia de campo foram apresentados pratos feitos com Inhame, como pudim, mousse, purê entre outras delicias. O dia de Campo ainda contou com as presenças de presidentes de associações rurais, empresários, vice-presidente da Câmara Municipal, vereador Jurandir Bengala e o deputado estadual Ribamar Araújo.

Prefeito Luizão do Trento recebe assessores do Deputado Federal Luiz Claudio

O Prefeito de Rolim de Moura (RO), Luizão do Trento, recebeu em seu gabinete na Prefeitura a visita de Edna Mezzomo e Benicio Spagnol, assessores do deputado federal Luiz Claudio.

Segundo os assessores, a visita foi realizada a pedido do parlamentar, que busca fortalecer ainda mais o apoio ao município, além de fazer um acompanhamento das emendas já destinadas pelo deputado para Rolim de Moura, no valor de R$ 160 mil reais para apoio a manutenção de unidades de saúde , R$ 2.300.000,00 dois milhões e trezentos mil reais para aquisição de máquinas e equipamentos; R$ 390 mil reais para aquisição de maquinas e equipamentos para Agricultura.

 “Os Assessores vieram reforçar nossa parceria com o deputado e enfatizar o seu compromisso com Rolim de Moura. É o que sempre tenho falado, todos juntos por uma Rolim de Moura Melhor”, finalizou o Prefeito Luizão do Trento.

Anvisa suspende lote de Omeprazol genérico. Saiba o que fazer

O lote 486773A do medicamento genérico Omeprazol 40 mg, pó liofilizado para solução injetável, foi suspenso pela Anvisa nesta segunda-feira (10/7). O lote do medicamento genérico usado para o tratamento de úlceras gástricas foi fabricado pela Eurofarma Laboratórios S.A e era válido até 12/2017.

De acordo com o comunicado de recolhimento voluntário apresentado pela empresa, o lote do Omeprazol apresentou desvios de qualidade relacionados à rotulagem. Ou seja, o lote apresentou falhas técnicas nos rótulos, especificamente.

A resolução RE 1.847/17 que suspende a distribuição, comercialização e uso do lote 486773A do Omeprazol, determina, também, que a empresa faça o recolhimento do produto descrito acima.

O que fazer?

Se você for utilizar este medicamento, confira na embalagem se o seu produtos está no lote suspenso pela Agência. Caso seja, entre em contato com o SAC do fabricante para ser orientado sobre a troca.

Os outros lotes do produto, que não estão na lista, podem ser comercializados e utilizados normalmente

Ascom Anvisa

GOVERNO DO ESTADO CONFIRMA QUE A CAPITAL É CAMPEÃ EM QUEIMADAS

A estiagem plena ainda está no início, mas o índice de focos de calor (queimadas) no mês de junho no estado de Rondônia já é superior ao que foi registrado no mesmo período no ano passado – 183 contra 169 focos -, com o município de Porto Velho no topo das queimadas sem controle.

A informação foi extraída do Relatório de Monitoramento de Focos de Calor em Rondônia – junho de 2017, da Secretaria de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), que está iniciando uma grande campanha de orientação social com abrangência em todo estado para prevenir as ocorrências de queimadas de pastagens e de áreas para agricultura sem controle e até de incêndios acidentais ou involuntários, como os verificados nas margens das rodovias.

Segundo o secretário Vilson de Salles, titular da Sedam, o cidadão tem de estar envolvido neste processo, com uma consciência crítica de seu papel, de modo que possa ser um multiplicador de orientações sobre a importância da preservação ambiental, principalmente para evitar as queimadas neste período de estiagem e, consequentemente, os malefícios dela, a degradação das florestas, da biodiversidade, da fauna, da flora, e dos recursos hídricos no mesmo nível.

Da sala de situação da Sedam, um ambiente dotado de todos os recursos da tecnologia de informação, o meteorologista Fábio Adriano Monteiro e equipe monitoram todo estado de Rondônia acompanhando em tempo real todas as ocorrências, definindo e registrando a espacialização dos focos – o lugar onde está ocorrendo a queimada, por menor quer ela seja – e encaminhando providências de sua alçada como atuação dos responsáveis para que respondam pelos danos que tiverem causado ao meio ambiente.

Para se ter ideia, no período de 1 a 30 de junho deste ano, foi verificado em Rondônia 183 focos de calor, número que em comparação com o mesmo período do ano anterior (2016) é superior aos 169 focos registrados. Ressalte-se que apenas neste final de semana (8 e 9 de julho) foram registrados nada menos de 147 focos de queimadas em todo estado, com uma tendência de aumento desses índices, eis que recrudescem os níveis da estiagem e a baixa umidade do ar que suscitam a propagação das queimadas.

Segundo dados do Relatório de Monitoramento da Sedam, Porto Velho foi o município que apresentou maior número de queimadas no período (30 focos), seguido pelos municípios de Alto Paraíso (21), Candeias do Jamari (20), Pimenteiras do Oeste (16) e os demais municípios com índices abaixo de 15 focos de calor, o que de certa forma reflete uma tendência, até pelas dimensões territoriais do município de Porto Velho.

Nunca é demais lembrar que as orientações da Sedam em relação à preservação ambiental e principalmente em relação às queimadas neste período são dirigidas também ao ambiente urbano, que por lei é de responsabilidade de cada município, e seu órgão gestor do meio ambiente, podendo ser apoiado pela Sedam.

Projeto que propõe alimentação orgânica nas escolas públicas é aprovado

Projeto de Lei nº 639/17 que prevê a utilização de produtos de origem orgânica na alimentação escolar, de autoria do deputado estadual Lazinho da Fetagro (PT), foi aprovado pela Assembleia Legislativa, e aguarda sanção do governador do Estado.

O deputado ressalta que é essencial que na alimentação das escolas o acesso a alimentos orgânicos seja assegurado, uma vez que, diante dos fatos reais dos índices de contaminação por agrotóxicos nos produtos convencionais, o alimento orgânico se tornou a melhor opção para o cidadão. “Uma boa alimentação é sem dúvida uma garantia de menos doença, o que traz economia ao Estado, às famílias e maior rendimento nas escolas”, diz.

A aquisição dos produtos de origem orgânica deverá ser adquirida especialmente da agricultura familiar e no município onde esteja localizada a unidade educacional, bem como de cooperativas e associações de produtores da agricultura familiar, sempre atendendo aos critérios de exigências de controle de qualidade e que comprovem a utilização de técnicas específicas da produção orgânica e de sustentabilidade.

O deputado destaca que no campo há um grande potencial no que se refere a alimentos da agricultura familiar.

​​​​​​​Maurão de Carvalho prestigia feiras agropecuárias de Buritis e Vilhena

O presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (PMDB), prestigiou no final de semana as feiras agropecuárias de Buritis e de Vilhena. O parlamentar voltou a destacar a força produtiva de Rondônia e a importância do setor para a economia do Estado.

Nos dois eventos, o deputado conversou com produtores, expositores e a população local, reforçando o compromisso dos deputados estaduais em estimular o agronegócio em Rondônia.

“As exposições não são apenas eventos festivos, mas acima de tudo um espaço de negócios, de inovações tecnológicas, informações e de troca de experiências entre quem atua no setor produtivo, que é a mola mestra de nossa economia”, disse Maurão.

Em Buritis, o presidente destacou que a região tem uma força na pecuária, com destaque para o gado de corte. “O rebanho bovino representa uma importante fonte de renda para pequenos, médios e grandes criadores, impulsionando a economia de Buritis e de Rondônia”, observou.

Já em Vilhena, região que se destaca na produção de grãos, o parlamentar foi recebido pelo deputado estadual Luizinho Goebel (PV), pelo presidente da Aviagro e vice-prefeito, Darci Cerruti, e demais autoridades. Ele circulou pelos estandes, concedeu entrevistas e se reuniu com produtores locais.

“Vilhena é um celeiro de produção de grãos, se destacando no Estado como grande produtor de soja, que tem alavancado a economia local. É a força produtiva a grande responsável por Rondônia estar com a sua economia em alta, enquanto o resto do País sofre dificuldades”, finalizou.