quinta-feira, janeiro 24, 2019
Início Site Página 4

Novo superintendente do BB em Rondônia visita Sindicato, que cobra soluções

“Ele disse que não vai medir esforços para repor essas vagas não preenchidas, e que isso será uma questão pessoal dele, em solucionar esse problema que influencia diretamente na rotina dos trabalhadores e no atendimento ao público”, descreveu José Pinheiro, presidente do Sindicato.

“Deixamos bem claro ao novo superintendente que o Sindicato vai continuar atento e firme na sua atuação em representar os interesses dos funcionários do BB em Rondônia, e por isso mesmo nos colocamos à disposição da Superintendência para que, juntos, possamos sempre encontrar soluções que assegurem a dignidade de vida e profissional desses trabalhadores”, destacou o dirigente sindical.

Ao final da reunião o novo representante da SuperBB se filiou ao SEEB-RO, já que é oriundo de outra base sindical e, também, por entender que somente com a representação sindical é que o trabalhador tem mais força.09

CHUVAS: Prefeitura intensifica trabalho para minimizar alagações em Porto Velho

09

Suop trabalha na desobstrução de bueiros e ampliação de galerias

Seguindo determinação do prefeito Hildon Chaves, a Prefeitura de Porto Velho intensificou o trabalho para minimizar os alagamentos decorrentes das fortes chuvas que são comuns nessa época do ano. Além da limpeza dos canais, a Subsecretaria Municipal de Obras e Pavimentação (Suop), está desobstruindo bueiros e ampliando o número de galerias na cidade.

Várias frentes de trabalho estão sendo realizadas para evitar que novos alagamentos aconteçam, mas, segundo a Suop, devido a elevação do nível do rio Madeira, que marca 13,60 metros, o volume de água nos canais e igarapés também se elevou, impedindo o escoamento da água pluvial.

Para ser ter uma ideia, nesta quarta-feira (9/1), até às 11h, choveu o equivalente a 92 mm de água, cerca de 25% da chuva que é esperada para todo o mês de janeiro, conforme dados informados pela Sistema de proteção da Amazônia. “Como o rio e os córregos estão cheios, a capacidade de escoamento acabou prejudicada”, explicou Diego Andrade Lage, titular da Suop.

É importante destacar que bueiros estão sendo desobstruídos em várias ruas de Porto Velho, mas a colaboração da população é fundamental para manter a cidade limpa. O descarte inadequado de eletrodomésticos, móveis e outros dejetos, nos canais, e o lixo jogado nas ruas, acabam obstruindo o curso da água causando alagações.

Segundo o secretário Diego Andrade Lage, após as chuvas, o nível dos canais e igarapés diminuíram, sendo possível o escoamento das águas. “Um exemplo é o cruzamento das avenidas Rio de Janeiro e Rio Madeira, que estava alagada e, minutos depois que escorreu, voltou ao normal”.

Além da Suop, a Subsecretaria Municipal de Serviços Básicos (Semusb) e a Defesa Civil Municipal, continuarão trabalhando de forma intensiva para amenizar os transtornos causados pelas fortes chuvas.

Comdecom

Senador Sérgio Petecão deverá ser o novo Presidente do Senado

 

A pouco o Senador Petecão que está em férias no Peru confirmou a sua candidatura à presidência do senado Federal.

Já no próximo dia 15 os senadores estarão em reunião para definições em Brasília, O Senador confirmou que terá o apoio de seu partido o PSD.

Ainda tem apoio declarado de Senador Osmar Aziz do Amazonas e com a desistência do Senador Renan Calheiros terá o apoio também, conforme acordo entre eles.
Petecão como é conhecido no Acre como ser um político 100 por cento popular, ajudou a “implodir o império do clã Viana” que mandava e desmandava no estado do Acre.

Petecão iniciou na vida política se elegendo deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Acre.

Disputou a Senado se elegendo, e agora neste último pleito se reelegeu e teve a maior votação conferida pelo povo acreano a um político em números de votos superando até o Governador eleito Gladson Cameli.

Petecão afirmou estar preparado e muito para ser presidente do Senado Federal.

Gasolina fica mais barata a partir desta quarta (9) e marca menor preço em 14 meses

Petrobras justificou aumento por "convergência com paridade do mercado internacional"

A Petrobras reduzirá o preço médio da gasolina em suas refinarias ao menor nível em cerca de 14 meses a partir desta quarta-feira, dia 09, em meio a uma redução na cotação do dólar ante o real, um dos parâmetros utilizados pela companhia em sua sistemática de reajustes.

O corte será de 1,38% ante o valor praticado nesta terça-feira (8), para R$ 1,4337 por litro. É o patamar mais baixo desde o R$ 1,4259 visto em 24 de outubro de 2017, segundo dados da petroleira. As informações são da RecordTV.

O preço da gasolina vem caindo desde meados de dezembro diante da depreciação da moeda norte-americana. O outro componente de peso seguido pela estatal em seu mecanismo de reajustes é o mercado internacional de petróleo, que também apresentou quedas recentemente.

Os reajustes quase diários da Petrobras começaram em meados de 2017. No acumulado de todo esse período, a gasolina da estatal apresenta alta de 3,60%. Já no caso do diesel, a cotação média na refinaria segue em R$ 1,8545 por litro desde o começo do ano.

CONSELHOS DE CONFÚCIO MOURA: “ESQUECER A CAÇA ÀS  BRUXAS E NÃO PERDER TEMPO, QUERENDO INVENTAR A RODA!”

O governador Confúcio Moura escreve em seu blog, dando opiniões genéricas, sobre diversos temas e raramente fala diretamente. Com um bom texto, ele manda seus recados através de opiniões bem centradas, mas, é claro, que resumem sua opinião, que nem sempre coincidem com de outros líderes políticos. Geralmente manda recados por vias indiretas, embora já tenha usado o mesmo blog até para fazer cobranças públicas ao seu secretariado, quando comandava o Estado.  Terá sido o que fez em relação ao novo governador do Estado, Marcos Rocha, que foi seu secretário da Sejus?  Num artigo com o título “Governo e Consecução”, o ex governador e agora senador eleito dá uma volta, do império Romano a Juscelino Kubitscheck; de Jerônimo Santana aos dias de hoje, para dizer que é importante que os novos governantes não tratem seus antecessores como se nada tivesse sido feito, no passado. O disse, claro, com outras palavras. Mas é um recado, contornado por argumentos que parecem não serem direcionados ao novo governante rondoniense (mas o é!), escrevendo que quem assume o poder, “tem que ir lá atrás, buscar na memória do Estado estas iniciativas, para não perder tempo, querendo inventar a roda de novo, em tudo. É perda de tempo!”, aconselha. Em outro trecho do seu blog, o ex governador afirma que “cada Secretário de Estado ou Ministro, ao invés de ficar neste intento pequeno, de caça às bruxas,  que vá ler, nos finais de semana, todas as boas iniciativas de governos anteriores, e, aproveitar o bruto da ideia original e jogar para o contemporâneo, e, com certeza, ganhará bastante tempo”. Deu pra entender, não é mesmo? Nem precisa desenhar.

Confúcio entrou na máquina do tempo, para dar solidez ao seu argumento com cor rondoniense. Escreveu, em determinado trecho: “em Rondônia ninguém pensou tão grandioso e bonito como o nosso primeiro Governador eleito, Jerônimo Santana. Ele deixou quase tudo que se deseja fazer hoje. Ressuscite Lázaro, e já estará de bom tamanho!  E tem mais, não se faz um bom técnico em meses. Um valoroso técnico em gestão pública demora, anos a fio, para ser formado. Seja ele concursado ou comissionado. Do zero é que ninguém inicia”.  Para quem não sabe, consecução, que Confúcio cita no título da sua opinião, quer dizer: alcance, conquista, aquisição, obtenção, conseguimento, êxito. Ou seja, para ser um governo de avanços e conquistas, há que se olhar para o que fizeram os antecessores, explica didaticamente. Será que o governador Marcos Rocha vai levar essas opiniões em consideração? Porque as dicas, conselhos e sugestões de Confúcio, mesmo cheias de retórica e desvios, foram direcionadas exatamente a ele, o novo governante de Rondônia! Não ficou muito claro? Ficou, a ponto de se comentar que ele poderia até ter ligado e falado diretamente. Preferiu escrever.

 

 

 

A VIOLÊNCIA DOMINA TUDO

Cada vez pior! A violência toma conta de tudo e de todos. Não respeita famílias, amigos, vizinhos, crianças, inocentes, todos atingidos por uma onda que sacode o país e que, em Rondônia, também só cresce. Apenas na Capital e nesse final de semana, uma série de tragédias se sucedeu, incluindo a fúria de um PM que, não se sabe ainda o porquê, matou duas pessoas e feriu outras quatro, numa briga de boteco. Um empresário, dentro da sua casa, foi morto por assaltantes. Os amigos dos direitos humanos dos criminosos não abriram a boca para lamentar a perda de um homem ainda jovem, dono de uma empresa importante, que perdeu a vida para canalhas inúteis, que, mesmo dizimando pessoas de bem, sabem que nada lhes acontecerá, quando presos. Ficarão alguns meses na cadeia e logo serão soltos em “saidinhas” para, quem sabe, comemorar o Dia do Pai de Família, que eles brutalmente assassinaram. E os crimes contra a mulher? Num deles, o marido matou a esposa e se suicidou. Uma tristeza. No trânsito, mortes, corpos despedaçados, famílias perderam seus entes queridos. Uma camioneta destruiu uma moto, matando a passageira e deixando gravemente ferido o mototaxista. Não resta nada mais, a não ser lamentar o que houve, porque punição, sabemos, é coisa para inglês ver. E assim vamos, sobrevivendo no meio de uma guerra onde famílias perecem e os bandidos saem cada vez mais fortalecidos. Não está na hora do Efeito Bolsonaro começar a agir, com todo o rigor, contra isso tudo? Ou fomos iludidos de novo por um discurso que ficará só no…discurso?

SÃO 38 MIL IMÓVEIS SEM REGISTRO

Aos mais  de 80 mil imóveis registrados na Prefeitura de Porto Velho até janeiro do ano passado, somam-se agora, a partir deste ano, mais 17.464 cadastrados, através de uma ação especial da Semur, liderado pela competente Márcia Luna. Imagina-se que, com todo esse volume, a arrecadação com o IPTU possa dar um salto. Nada disso. Do total de imóveis na Capital, perto de 38 mil deles (ou seja, algo em torno de 47 por cento sobre os 80 mil) não pagam um só centavo do mais importante imposto municipal, um dos poucos que vai, totalmente, para os cofres da cidade. O número de habitações não registradas no cadastro do IPTU, aliás, pode ser muito maior, considerando que, se apenas em quatro grandes empreendimentos surgiram mais de 17 mil novos imóveis para a relação de pagantes do tributo. A verdade é que a arrecadação municipal, em relação ao IPTU, é pífia. No ano passado, a previsão era de se arrecadar 16 milhões de reais apenas. E ainda com um agravante: previa-se uma inadimplência de mais de 16 milhões de reais. Já houve alguns pequenos avanços, com as renegociações que a Prefeitura concedeu aos contribuintes. Mas, em relação ao IPTU, o Município ainda está muito, mas muito longe de chegar a números ideais.

 

RESPONDENDO AOS ATAQUES

O novo comandante da  Superintendência de Gestão de Suprimentos, Logística e Gastos Públicos Essenciais do Estado, a Sugespe, o jovem empresário Júnior Gonçalves, publicou na sua página do Facebook um desabafo, logo depois de assumir o posto. Não contou de onde vieram as críticas e nem as ofensas, mas as respondeu com dureza. Escreveu, entre outras coisas: “quando somos chamados e somos colocados em posição de liderança, temos que estar prontos para entendermos as críticas, pois sabemos que quando estamos falando de mudar um sistema, de enxugar a máquina, de não dar cargos por favores, quando estamos falando de um Governo livre para servir o povo de verdade, sabemos que muitas pedradas virão de quem queria conchavos, de quem queria mamata, de quem achava que iria ter padrinhos, de quem achava que ia receber uma verba aqui outra ali.” Depois, acrescentou: “por mais que os corruptos gritem, por mais que o velho sistema tente usar as suas estratégias baixas para amedrontar ou intimidar atacando família, denegrindo imagem para se manter, ele não vencerá, estes são os últimos gritos de quem se beneficiou do velho jeito de ser”. Ou seja, Júnior, dizendo-se atacado, respondeu firme. Um conselheiro mais experiente diria que se  ele for responder a todos os malucos, mal educados e irresponsáveis que habitam as redes sociais, vai acabar ficando pirado. O ideal é fazer um trabalho tão bom, com resultados tão positivos, que, por si só seja a resposta aos eventuais críticos agressivos. Mais fácil e menos beligerante.

NA PAUTA, OBRAS NA 364 E NA 319

Se a primeira reunião do governador Marcos Rocha com representantes do Ministério do Exército trouxer resultados práticos, pelo menos duas obras das mais importantes para a Rondônia e a região norte entrarão na pauta de prioridades em breve. No dia seguinte à posse, Rocha se encontrou com o general Esqueletti e o general Vianna, ambos figuras de grande importância no contexto do Ministério do Exército, quando se fala em obras públicas. Na pauta, duas rodovias vitais para o Estado: a BR 364 e a BR 319. No primeiro caso, embora ainda não com muitos detalhes, sabe-se que o Governador tratou da discussão de um projeto que vise a duplicação da única rodovia que nos liga ao restante do país e ao Acre. Marcos Rocha destacou, no encontro, que obras paliativas, de consertos eventuais e em determinados trechos, não resolverão o problema. Só a duplicação seria o caminho definitivo para acabar com tantas tragédias e mortes na 364. Já com relação a BR 319, que liga Porto Velho ao Amazonas, o assunto também entrou na pauta. O asfaltamento da rodovia, aliás, estaria entre as prioridades do governo do presidente Jair Bolsonaro. Será que dessa vez as ONGs vão deixar?

NA ASSEMBLEIA, O MISTÉRIO DA MESA

Pelos lados da Assembleia, claro que os assuntos giram em torno da escolha da nova Mesa Diretora, o que acontecerá em 1º de fevereiro, numa solenidade festiva de posse da nova legislatura, marcada para a casa de shows Talismã, na zona leste da Capital. Nem a  inauguração do novo prédio do parlamento rondoniense, agendado para o próxima dia 22 (uma terça-feira), tirou da pauta principal a sucessão na Casa. Dois grupos estão na disputa, embora os detalhes não sejam públicos. Apenas se sabe deles pelas conversas de bastidores. Um teria o aval do Palácio Rio Madeira/CPA e outro seria liderado por deputados dispostos a liderar a oposição ao novo governo do Estado. Como nada é debatido publicamente, fica-se sabendo apenas de ilações e comentários que se ouve pelos bastidores da política. A última história que apareceu é de que pode surgir um nome de consenso, para comandar o parlamento a partir de fevereiro e pelos próximos dois anos, unindo forças das duas alas em disputa. Nada definitivo. Nada oficial.  A verdade é que a corrida pela presidência das ALE e a composição da nova Mesa Diretora se intensificará nos próximos dias, mas somente será decidida, mesmo, na última hora. Até lá, muita conversa de bastidor, muitos encontros de parlamentares (reeleitos e novos) e muita fofoca de corredores. Tudo será resolvido, realmente, apenas na 25ª hora, com todas as expectativas e angústias que giram em torno de uma decisão como essa.

AMÉRICA LATINA NÃO QUER DITADURA

O momento não está propício para a multiplicação das ditaduras e as imposições da esquerda, que dominaram vários países da América Latina na última década e meia. Como praticamente todos os governos esquerdistas foram tremendo fracasso (a exceção tem sido  Evo Morales, na Bolívia e, assim mesmo, com forte oposição), agora é a vez de Nicolas Maduro ficar sob a pressão dos seus vizinhos e a da oposição interna. Reeleito para um novo mandato, através de uma série de maracutaias e numa eleição pra lá de suspeita, Maduro assume o poder novamente com vaias internas. O Congresso já avisou que não reconhece seu novo mandato e o considera totalmente ilegítimo. Já da porta para fora, 12 países latino americanos assinaram um documento também de não reconhecimento do novo mandato do ditador venezuelano, considerando que ele foi conquistado em eleições fraudadas. Só o novo governo do México, pela primeira vez comandado por um esquerdista, não assinou o tal documento, embora também não tenha se pronunciado solidário a Maduro. Mesmo que queira democratizar seu país, o presidente/ditador que está destruindo um dos mais ricos países do mundo, não pode fazê-lo. Ele não tem como se livrar de 100 mil cubanos, que verdadeiramente ajudam a governar o país e a mantê-lo sob o comunismo. E agora, Nícolas?

PERGUNTINHA

Tem como a gente acreditar que sem uma mudança radical nas leis brasileiras (e se mantendo a forma atual em que os direitos humanos dos bandidos valem mais do que os de suas vítimas) o combate ao crime no Brasil poderá ter algum resultado positivo?

Estranhezas na democracia

Portanto, radicalizemos na democracia e aprendamos conviver com as diferenças, diminuindo as estranhezas, pois a democracia tem eleições, mas não vive em eleições.

A jovem democracia quebra seu recorde da quantidade de presidentes eleitos e empossados, mas nosso povo ainda capenga nas estranhezas de se conviver com as diferenças e com os direitos dos outros, basta acompanharmos um pouquinho as redes sociais.

Algumas verdades precisarão ser reafirmadas todos os dias para que continuemos nosso processo de amadurecimento democrático. Os resultados das eleições precisam ser respeitados, oposição precisa existir, inclusive para o bem dos eleitos, governos acertam e erram, não existem messias que resolvam todos os problemas… enfim… essas características tão simples são naturais na democracia e precisamos conviver com elas.

Nesse tempo de transição de modelos precisamos aceitar que alguém ganhou e alguém perdeu. Fora disso, o que temos são pontos de vistas (portanto, vistas de um ponto), e precisamos respeitar o que o outro diz, pois é dito de onde está posicionado ideologicamente. Porém, é extremamente saudável para o viver democrático que se respeite a vontade da maioria, mesmo quando não se concorda com ela.

Quem ganhou a eleição precisa compreender, porém, que haverá oposição, de melhor ou pior qualidade, mas haverá. É preciso que se discorde do governo, até porque, mesmo as melhores decisões administrativas num ponto de vista, serão vistas como horríveis em outro ponto de vista. É assim que funciona e não deve mudar, portanto, que se acostumem com críticas, pois quem não se acostuma alimenta ditadura e esta nunca é boa, venha de onde vier, seja qual for o seu viés.

Ninguém pode imaginar que só existem coisas boas no meu espectro ideológico. Oposição que valoriza só o que é produzido em seu campo é tão antidemocrática como Situação que imagina que tudo que será feito em seu governo será bom. Governos acertam e erram e, invariavelmente, desagradam inclusive quem neles votou, ou porque acertaram ou porque erraram em suas decisões.

Criar expectativas messiânicas para os novos executivos é coisa de gente imatura e são os primeiros que se decepcionam, pois esperam e cobrarão coisas que os governos não terão como resolver totalmente, pois são problemas encruados na história e cultura de nossa gente, outros não serão resolvidos porque eles estão comprometidos com quem os elegeu e/ou os sustentam politicamente, outros por pura incompetência e por aí vai.

Criticar governos e defender governos faz parte da democracia, porém, com extremo respeito. Criticar e torcer pelo pior é irresponsabilidade social. Defender acriticamente é fazer o que tanto criticou quando não se era governo. Portanto, radicalizemos na democracia e aprendamos conviver com as diferenças, diminuindo as estranhezas, pois a democracia tem eleições, mas não vive em eleições. É hora de trabalharmos, torcermos pelos novos governantes, defendermos o que acreditamos ser justo e criticarmos o que acreditamos ser injusto.

Aluizio Vidal

Parabéns, prefeito e governador!

Decidiram também que qualquer verba disponível será (?) investida nas áreas da saúde e da educação do município e do Estado.

O prefeito de Porto Velho Dr. Hildon Chaves e o recém-eleito governador do Estado coronel Marcos Rocha tomaram recentemente uma heroica decisão: não vão colocar dinheiro público para patrocinar o Carnaval de Porto Velho em 2019. Decidiram também que qualquer verba disponível será (?) investida nas áreas da saúde e da educação do município e do Estado. Para se ter uma ideia, as escolas de samba daqui pediram à prefeitura “somente” meio milhão de reais para sair às ruas. Um acinte, uma piada de mau gosto, um desrespeito aos contribuintes. Um Estado cuja capital tem um “açougue” como o João Paulo Segundo não pode mesmo investir um só centavo público numa festa que só serve para sujar as já emporcalhadas ruas. Uma cidade como Porto Velho, a pior dentre as capitais do Brasil em IDH, não pode gastar dinheiro com orgia.

Porto Velho e Rondônia não têm cultura. Aliás, nunca tiveram. E não adianta citar a Sociologia, a Filosofia ou a Antropologia para dizer o contrário. Tudo aqui é cópia, e muito mal feita, do que acontece lá fora. O Carnaval daqui é uma porcaria que não chega nem aos pés do que acontece no Rio de Janeiro. O mês de junho é uma desgraça só, que sequer imita Parintins ou mesmo Manaus. Festas juninas iguais a Campina Grande na Paraíba nem em sonho. Futebol, se esta bobagem for cultura, também não existe por aqui. Só um tal de Genus faz a alegria de cinco ou seis torcedores. Aqui só se torce pelos times de fora. Então, para que se gastarem milhões em reais com estádios ou estrutura desportiva? Até o “ginásio de esportes” da cidade, o Cláudio Coutinho, tem servido para tudo menos para a verdadeira prática de esportes.

Não tenho nada contra o Carnaval, o São João, a quadrilha, o boi, o futebol ou outra “manifestação cultural” qualquer. Elas têm que existir e em alguns casos até divertem as pessoas. Mas tudo tem que ser bancado com o seu próprio dinheiro. Agora, se não têm recursos para existir, que desapareçam e deixem o Erário em paz. Não sei se a famosa banda consegue sobreviver sem verbas oficiais. Se conseguir, ótimo. Desfile com os seus brincantes e dê estrutura para todos eles. Nada de sujar e emporcalhar as já imundas ruas com lixo, imundície, sujeira e depois não mandar limpar nada. O Poder Público, na maioria dos casos, oferece a rua, a polícia para fazer segurança e ainda tem seus horrorosos hospitais entupidos de gente baleada, esfaqueada e ferida por acidentes de trânsito, tudo consequência da folia. Verbas para educação e saúde é o mais correto.

Porém, tomara que essa verba seja mesmo investida nessas áreas tão carentes do nosso Estado e de nossa cidade. É preciso que haja fiscalização. Chega de “açougue” e de UPAS sem remédios e médicos. Não votei em nenhum dos dois, mas sou obrigado a admitir que eles estão certíssimos nesta decisão. Agiram como estadistas de Primeiro Mundo: primeiro as necessidades, depois as festas e o supérfluo. A tal “Marcha para Jesus” se recebe ajuda oficial, essa prática tem que ser abolida também. Da mesma forma, nada contra a religião de ninguém. Mas é preciso se levar em conta que não há nada mais rico e cheio de dinheiro do que essas Igrejas. Claude Lévi-Strauss, antropólogo franco-belga, disse que se quiser acabar com um povo, basta acabar com a sua cultura. Em Porto Velho e em Rondônia acontece o contrário: se acabar essas tolices, salvará esse povo do desperdício e da miséria. E lhe dará uma melhor existência.

Professor Nazareno

Equipes da Defesa Civil acompanham situação das comunidades do Baixo Madeira

As ordens dadas pelo prefeito Hildon Chaves é para atenção total aos moradores ribeirinhos.

A Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil do Município esteve, durante o final de semana, realizando monitoramento em comunidades do Baixo Madeira, com o objetivo de orientar moradores de como agir caso o rio ultrapasse a marca de alerta, de 14 metros e 50 centímetros, quando algumas casas poderão ser invadidas pelas águas. Atualmente o nível do rio está em 13,76 metros, o que é normal para a época do ano, e não representa ameaça aos ribeirinhos.

Marcelo Santos, coordenador da Defesa Civil, que esteve a frente da missão, explica que esse é o momento de orientar as comunidades que residem às margens do rio Madeira. Segundo ele, a Prefeitura está pronta para agir em caso de necessidade. O Coordenador diz ainda que o prefeito Hildon Chaves tem acompanhado de perto o comportamento do rio e que as ordens dadas pelo chefe do executivo é de atenção total aos moradores ribeirinhos.

As comunidades da região urbana da cidade já receberam visitas das equipes da Defesa Civil. Neste último final de semana, foi a vez dos moradores de Mutuns, Pau D´arco, Bom Jardim e Lago São Miguel.

Prefeitura vai montar postos itinerantes para emissão de IPTU

A partir da próxima segunda-feira (7), até o próximo dia 28 de fevereiro, a Prefeitura de Porto Velho realiza o projeto ‘IPTU Itinerante’, que atenderá o contribuinte na região em que ele reside, permitindo praticidade e agilidade no processo de emissão dos boletos do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) e da Taxa de Resíduos Sólidos Domésticos (TRSD).

Três postos de atendimentos serão montados na capital, um na Biblioteca Viveiro das Letras, na Zona Sul, outro na Praça CEU, na região Leste, e um terceiro no Porto Velho Shopping, na Zona Norte. Os dois primeiros funcionarão das 8 às 14 horas, já o do Shopping atenderá das 10h às 22h.

Cada posto de atendimento contará com dois servidores preparados para fornecer quaisquer orientações referentes ao IPTU e ainda providenciar a impressão dos boletos (na hora), uma vez que haverá computadores com acesso direto ao Sistema de Administração Tributária, além de impressora.

“O contribuinte ganha com isso, porque vai se deslocar menos para ter o carnê do IPTU em mãos. O Município ganha com a possibilidade de ter a arrecadação incrementada, devido à proximidade com o contribuinte”, afirma o titular da Secretaria Municipal da Fazenda (Semfaz), João Altair.

Desconto
Para quem efetuar o pagamento integral do IPTU e da TRSD – taxa paga pelo serviço de coleta do lixo, até o dia 31 de janeiro, o desconto será de 20%. Quem pagar até 28 de fevereiro terá desconto de 10%. Depois dessa última data, não haverá mais descontos.

Secretária pede apoio de servidores para melhorar atendimento social e qualidade de vida da população

Trabalhar com foco no melhor atendimento ao cidadão. Foi o que recomendou a secretária de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social, Luana Rocha, nesta segunda-feira (7) a todos os servidores e aos novos coordenadores de áreas estratégicas da Seas. Luana Rocha, juntamente com a adjunta Liana Silva de Almeida Lima, são responsáveis pela secretaria que tem por missão contribuir para o desenvolvimento do Estado com políticas integradas que estimulam atividades produtivas com o gerenciamento de programas e projetos que buscam combater as desigualdades sociais, promovendo a redução do déficit habitacional e a inserção social, incluindo pessoas com deficiência, adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas, entre outras ações voltadas à melhoria da qualidade de vida da população.

Entre os novos coordenadores, estão Nilberto Silva de Oliveira, do Tudo Aqui; Ruth Gil, do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-RO); Paulo Higo, assessor jurídico; Antônio Francisco Gomes, da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Fease); e Luís Gustavo Ferreira, de Políticas sobre Álcool e Drogas (Crepad/Sepoad).

“Vamos trabalhar buscando sempre o melhor atendimento ao cidadão”, afirmou a secretária, completando que para isto conta com o empenho de todos.

Para reduzir o déficit habitacional, só em Porto Velho o governo deverá concluir nos próximos meses a entrega de 2.287 moradias. São 496 que restam do Condomínio Orgulho do Madeira para completar a quatro mil unidades; 975 do Cristal da Calama, para atingir as 2.941; e 816 do Morar Melhor, onde outras 1.696 pessoas de baixa renda já foram beneficiadas.

O reforço da assistência social é uma das prioridades do governador Coronel Marcos Rocha para reduzir a desigualdade social em Rondônia com projetos que gerem emprego e renda.