No primeiro dia de trabalho a deputada federal Mariana Carvalho (PSDB-RO) já deu sinais de infidelidade já demonstrados em Rondônia nas eleições de 2014. Mariana Carvalho não seguiu a orientação do partido e nem as ordens de Aécio Neves (PSDB), para votar em Júlio Delgado (PSB), para a presidência da Câmara dos Deputados. Ela votou em Eduardo Cunha (PMDB). Logo após a vitória de Cunha, Mariana posou sorridente com o novo presidente eleito com 267 votos.

Durante a campanha, o PSDB fechou o voto para Júlio Delgado. Mesmo diante da pressão de boa parte da bancada tucana, o líder do PSDB na Câmara, Antônio Imbassahy (BA), garantiu lealdade ao acordo fechado com o PSB em apoio à candidatura do mineiro Júlio Delgado à presidência da Câmara. “Estamos fechados com o Júlio Delgado. Isso não vai mudar, não, não, não”, diz Imbassahy, sobre a possibilidade de os tucanos passarem a apoiar o peemedebista Eduardo Cunha (RJ). “Nossa expectativa é, sim, de que o Júlio chegue ao segundo turno e estamos trabalhando para isso”, completa.

Aécio foi traído pelos próprios tucanos.. Na sexta-feira, 31 de janeiro, ele achou que o PSDB ia votar em Júlio Delgado. “Desde o final do ano passado, o PSDB assumiu compromisso com Júlio Delgado. O PSDB agirá como partido político. O PSDB não se permitirá cooptações individuais, qualquer candidato que acha que poderá fazê-lo irá se frustrar. O PSDB votará em Júlio Delgado na sua integralidade. É o que eu espero”, disse Aécio na ocasião.

Comentários

comentários