Em Linhas Gerais

Gessi Taborda[email protected]

 

O desemprego do homem deve ser tratado como tragédia e não como estatística econômica.JOÃO PAULO II (1920/2005), Papa nascido na Polônia, batizado como Karol Jözef Wojtyla, falecido no Vaticano.

 

É FANTÁSTICO

É possível imaginar hoje que em nosso jovem estado as proezas dos cleptocratas acabariam revelando uma perigosa epidemia de práticas de corrução, como acontece nos últimos anos? Ora, para quem viveu os melhores momentos do bucolismo rondoniense, especialmente aqui em Porto Velho onde as maiores transgressões dos políticos era curtir ao extremo as noitadas do Bangalô, da Taba do Cacique, do Te Guenta, de alguns lupanares como o D’Graus era impossível a rápida transição da república etílica para a fase em que políticos preferem é meter a mão no dinheiro do erário.

A limpeza realizada pelo novo prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, na histórica (vá lá!) praça da Madeira Mamoré mostrou como o lado canalha do primeiro e último prefeito petralha na arte (?) de roubar funcionou.

 

E BATE O BUMBO

Quando começou a se arrancar as taboas apodrecidas do deck de uma obra de mais 20 milhões, revelou-se a proeza do campeão da roubalheira entre os prefeitos que passaram pela paço municipal portovelhense. É fantástico constatar como os milhões da compensação das hidrelétricas simplesmente desapareceram na roubalheira dos petralhas em proveito próprio e dos amigos. E mais fantástico ainda é ver que ninguém foi penalizado ou teve de devolver pelo menos parte dessa grana aos cofres do município. E enquanto isso, como se isso bastasse, quem vai para a cadeia são bandidos menores, como prefeitos do interior rondoniense, meros batedores de carteira quando comparados àquele que foi o dono da “Caverna do Ali-Babá”. E bate o bumbo…

 

CONSOLO

Pode até não ser, ainda, a solução definitiva para transformar esse gabinete primeiro em algo definitivo. Mas a demissão de secretários colocados no andar de cima da nova gestão como autênticos prepostos de paróquias partidárias ou de vereadores negocistas é sim um consolo para a população portovelhense, cansada de tantas desgraças praticadas pelas gestões anteriores e da corrupção deslavada que no passado recente chegou a colocar na cadeia um bando de vereadores, especialmente quando se sabe que alguns dos contaminados conseguiram – sabe-se lá por quais manobras – um novo mandato.

 

MIDAS

Nem dava para acreditar que na nova estrutura da prefeitura pudesse existir um chefe de importante pasta municipal umbilicalmente ligado à trajetória política de uma vereadora como Ellis Regina. Na campanha que passou ele fez questão de se colocar frontalmente contra Hildon Chaves como defensora intransigente da “Turma do Quibe”. Reeleita sabe-se lá a que preço, a vereadora que ainda detém o poder no sindicato dos servidores municipais parece comprovar que para ela o melhor governo é sempre o próximo. Afinal, como poderia ter emplacado um secretário municipal – agora demitido – numa das pastas mais sensíveis da administração? Certamente a descoberta que se tornou pública agora com a demissão do tal secretário que chegou a ser chefe de gabinete da (vá lá!) sindicalista, não é mera coincidência.

 

QUEM TE VIU, QUEM TE VÊ

Ellis Regina é uma dessas pessoas que acabam revelando seu dom de Midas quando entram na política. Em uma década de vida pública fez seu patrimônio crescer como poucas pessoas podem conseguir. Quem a conheceu nos tempos em que era simples servidora não pode entender as profundas mudanças em sua vida econômica…

Gente com tal expertise em acumular e ampliar o patrimônio em circunstâncias ligadas ao exercício político deve estar no crivo das investigações dos órgãos de controle externo. Especialmente quando as benesses captadas chegam a parentes próximos e membros da família através de liberações de enormes boladas de cunho indenizatórias pagas pelo município.

 

REFÉM

O novo prefeito tem de buscar métodos capazes de resistir ao aprisionamento tentado por vereadores sempre interessados em usar o cargo em benefício próprio, especialmente dando-lhes oportunidades de apropriarem-se de importantes nichos do andar de cima da administração da urbe. Se tornar-se refém dos interesses pessoais de vereadores, o prefeito verá malograr seu programa de transformar a política local em algo mais palatável para quem abomina a corrupção em todos os níveis.

 

COISAS DO PT

Os ex-presidentes Lula e Dilma sempre louvaram e afirmaram ao Brasil inteiro o exemplo de eficiência e sucesso dos empresários Marcelo Odebrecht e Eike Batista. Agora sabemos por quê, para prejuízo e roubo do patrimônio do povo brasileiro. Do PT não vai sobrar nem a sigla.

 

TEMPO

Prenderam vários deputados que participara da quadrilha montada na Assembleia para desviar dinheiro público. Alguns ainda estão no xilindró, outros em prisão domiciliar. E por que não prendem Carlão de Oliveira, o “capi de tutti capi”? Temem que ele, numa suposta delação premiada, entregue autoridades poderosas nas mais diversas instituições do Estado? Já passou o tempo de ser feita justiça em relação aos parlamentares que meteram a mão nos cofres públicos. Se Carlão continua solto para evitar que abra o bico numa delação premiada, o melhor que ele faria era se entregar antes de sofrer uma queima de arquivo…

 

VIAJOU

O prefeito Hildon Chaves não participou na manhã de sábado do evento que marcou o início da recuperação do Skate Parque (que nome horroroso!), nas confluências das avenidas Vieira Cahulla e Guaporé. O prefeito precisou fazer uma rápida viagem. Detalhes da agenda do prefeito não foram divulgados. Mas segundo ele próprio, seu retorno a Porto Velho se dará na quarta feira, o primeiro dia de fevereiro.

 

PESOS PESADOS

Alguns pesos pesados da política rondoniense estão mais do que definidos sobre participar das eleições de 2018. Vai se confirmando que a próxima refrega eleitoral é “coisa de cachorro grande”. E com isso ficará mais difícil surgir algum cristão novo com cacife para entrar corrida sucessória pelo governo estadual.

Assim como Valdir Raupp não fará nada que possa servir de obstáculo à renovação do mandato de senador, outros nomes entrarão no rinque para destronar o PMDB no governo do Estado. E entre esses nomes certamente o de Expedito Júnior é um dos mais fortes. Não poderá cometer, claro, erros do passado. Afinal, como se recorda, seu maior fracasso eleitoral foi nos limites do eleitorado da Capital. Vai depender muito do sucesso do prefeito Hildon Chaves.

Comentários

comentários