O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais da Zona da Mata (SINSEZMAT) esteve em assembleia, na tarde de sexta-feira (2), com os servidores municipais de Rolim de Moura. O evento foi realizado para ser discutidos pontos como a negociação da pauta de vindicação 2017 e a deliberação da organização da possível suspensão da prestação de serviço público, dentre outros.

Jose Luiz Alves Felipin, presidente do sindicato, mostrou aos servidores que a pauta de vindicação 2017, apresentada para administração municipal no dia 09/01, dando início a primeira rodada de negociações, no dia 30 de janeiro foi realizada uma nova reunião com mesa de negociação do executivo municipal onde foi apresentada a contraproposta do executivo. A deliberação das reuniões foi acompanhada também pelos vereadores.

De acordo com Felipin a contraproposta do executivo não é favorável aos servidores, o Município alega que não tem dinheiro e com isso quer cortar direitos já adquiridos pela categoria.

Segundo a administração municipal realizando os cortes das seguintes gratificações; auxílio odontológico; auxílio financeiro a estudantes; auxílio Alimentação apenas para servidores ativos; adicional de pós somente aos concluídos após a posse; regulamentar o adicional noturno por regime de plantão; insalubridade e adicional noturno por teto salarial; corte do auxilio  alimentação de cargos comissionados e congelar o auxilio alimentação por reposição, aumentar a cota previdenciária do segurado ou ainda extinguir o Instituto de Previdência Próprio e voltar para o Regime Geral.

O SINSEZMAT afirma que a elementos financeiros suficientes para a administração manter a folha em dia, pois no ano de 2016 a despesa com pessoal foi de 52,68% dentro do limite estabelecido pela LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal).  E que só no mês de dezembro o município arrecadou quase 13 milhões de Receita Corrente Liquida. Lembrou ao executivo municipal que as reivindicações da classe são legitimas, buscando assegurar o que está expresso na legislação.

Foram expostas as ações diretas que a entidade sindical vem tomando junto aos meios legais para sanar os atrasos de pagamento da remuneração.

 

 

Quanto a greve a categoria decidiu por suspender o movimento e aguardar o cumprimento do compromisso firmado com a MENP (mesa de negociação permanente) que quitará os pagamentos de salários referente ao mês de janeiro até o dia 14 de fevereiro de 2017. E optou por realizar protestos e passeatas a partir de quarta-feira mostrando a população de Rolim de Moura o descontentamento dos constantes atrasos no pagamento da remuneração.

 

A categoria decidiu em rejeitar a contraproposta do executivo municipal afirmando que o pacote propõe em quase sua totalidade cortes na remuneração do servidor, e ainda apresenta um aumento na alíquota de contribuição previdenciária do segurado de 11% para 14,5% recomendando e limitando quais itens poderia ser negociado pela direção sindical e comissão de negociação.

O mínimo que a administração deveria oferecer é pagamento dos salários em dia, reposição salarial na data base, pagamento do piso salarial, garantindo assim o poder de compra dos trabalhadores e o mínimo de condições de trabalho, e não é cortando do trabalhador que ira resolver o problema.

O objetivo da entidade sindical e defender e assegurar os direitos dos trabalhadores e destacou: “Somos fortes unidos e não vamos deixar que os nossos direitos fossem retirados, finaliza Felipin”.

Fonte: Assessoria/SINSEZMAT

Comentários

comentários