O governador Confúcio Moura recebeu, na tarde de sábado, na sede administrativa da Associação Comercial e Industrial de Ariquemes (ACIA) um grupo de piscicultores de Ariquemes. A reunião tratou do desenvolvimento técnico de possíveis pesquisas para a piscicultura, bem como a formação de técnicos que atuem neste setor.
A reunião também contou com a participação do diretor do campus do Instituto Federal de Rondônia (IFRO) Ariquemes, Osvino Schimidt, que colocou a instituição à disposição do Governo do Estado para o estabelecimento de ações cooperativas, que visem a busca de soluções para a piscicultura, através do desenvolvimento técnico de pesquisas. “Temos uma grande estrutura para realizar pesquisas e treinamento dos trabalhadores deste setor”, esclareceu Osvino.
Os piscicultores Edson Sápiras e Pedro Zirondi pediram o apoio do governador para o desenvolvimento de ações para melhorar o manejo e a criação de pescado em Rondônia, com especial destaque para a região do Vale do Jamari e Ariquemes, que possuem as maiores áreas de produção de pescado em cativeiro do Estado.
Uma das sugestões do grupo que esteve reunido com Confúcio é a utilização do professor Geninho Milan em ações de parceria com o IFRO na atuação docente na formação dos técnicos em aquicultura e na capacitação da mão-de-obra para atuação nas propriedades da região.
Para o presidente da ACIA, Francisco Hidalgo Farina, o desenvolvimento do setor primário é importante, pois pode fomentar outros setores, tais como o comércio, indústria e prestação de serviços. “Esta reunião com o governador reforça a parceria dos produtores com o Governo na busca de soluções. Temos uma demanda importante na área de piscicultura e acreditamos em uma solução eficiente para esta problemática”, enfatiza Farina.
O governador Confúcio Moura recebeu o pedido dos piscicultores e disse que o Governo está buscando estabelecer parceria com a Embrapa de Tocantins para a transferência de tecnologia na área de piscicultura. “O Governo do Estado está atento às demandas dos piscicultores e estamos em busca de alternativas para que o setor continue crescendo e gerando riquezas para o Estado”, finalizou.

Comentários

comentários