Foco é nas ações de promoção ao desenvolvimento integral da criança

A prefeitura de Porto Velho está traçando metas para que dentro de um ano possa se tornar referência em políticas de assistência social, incluindo o desenvolvimento integral da criança de 0 a 6 anos como preconiza o programa Criança Feliz, implantado pelo governo federal. Ações nesse sentido foram discutidos na manhã desta terça [14] pela primeira-dama do município, Ieda Chaves, com a secretária nacional de Assistência Social, Maria do Carmo Brandt.

Ieda recebeu Brandt, que participou da abertura da capacitação de multiplicadores do Criança Feliz na região Norte, que está sendo realizado de 13 a 23 deste mês em Porto Velho, na Semasf [Secretaria de Assistência Social e da Família].

É de suma importância para o município o atendimento às famílias, preparando-as para cuidar de suas crianças, dando a elas ferramentas que reflitam no aprendizado e no desenvolvimento do indivíduo a partir do núcleo familiar”, disse a primeira-dama portovelhense, ao apontar as medidas como prioritárias para o prefeito, dr Hildon Chaves.

Isso quer dizer atenção ao público do Criança Feliz, que são crianças de até 3 anos de famílias atendidas pelo Bolsa Família e crianças de até 6 anos, cobertas pelo Benefício de Prestação Continuada e suas famílias. “Estamos nos empenhando para mudar a realidade social de Porto Velho, considerando a importância da Semasf, mais os parceiros para a reinserção de famílias desassistidas”, sentenciou Ieda.

Mobilização

Para Brandt, é indispensável que se faça uma mobilização pela importância da valorização das crianças pequenas “não apenas pelos pais, pela família, mas multissetorial, a começar pelo fortalecimento do núcleo familiar, que é a base de tudo”. Hérika Lima Fontenele, secretária estadual de Assistência e Desenvolvimento Social, diz que o programa Criança Feliz “fomenta e desafia ações de governo e sociais como fortalecimento de práticas sociais em benefício das crianças preconizados pelo Suas [Sistema Único de Assistência Social].

É com base nos indicadores sociais registrados no Suas que os municípios podem receber novos ou ampliar recursos para investimentos na redução da desigualdade social.

Claudir Rocha, titular da Semasf, disse que o empenho da gestão do prefeito Hildon e da primeira-dama Ieda, mais o esforço de sua secretaria são no sentido de se cumprirem as metas e ações, garantindo “a assistência social como deve ser: garantia de direito constitucional, com saúde e educação”. Do encontro na Semasf também participaram a secretária-adjunta Márcia Durães e assistentes sociais estaduais e municipais.

A secretária nacional afirmou que brevemente voltará a Porto Velho para conhecer mais detalhadamente o trabalho do município na área social.

Texto e fotos Comdecom

Comentários

comentários