Li hoje uma matéria que confirma oficialmente o que eu já sabia por intuição. “Cartórios faturam R$ 1 bilhão por mês“, isso sem considerar que 570 cartórios não informaram seus rendimentos ao Conselho Nacional de Justiça, que divulgou os números.

Os cartórios são uma excrecência no mundo moderno. Conta a história que D. João VI, ao fugir para o Brasil, trouxe a família e um séquito de nobres. Para manter essa entourage, foram distribuídos cargos para regular a vida dos brasileiros (na época, aqueles que viviam no Brasil). Era a implantação da burocracia. E a praga sobrevive até hoje!

Do passado

Fui trabalhar na Rede Ferroviária Federal em 1981, aprovado em concurso. Logo após a contratação passamos por um treinamento para conhecer a empresa. Entre as disciplinas, havia uma sobre o “Programa de Desburocratização” (Decreto nº 83.740, de 18 de julho de 1979), criado pelo então ministro Hélio Beltrão. Na “Rede”, era proibido exigir, por exemplo, o reconhecimento de firma em documentos. O funcionário recebia a petição e o documento de identidade do peticionário, conferia a assinatura e, em caso de dúvida, solicitava ao interessado, assinar na hora. Pronto.

Mas Hélio Beltrão foi derrotado e voltamos ao Brasil, Reino Unido a Portugal e Algarves!

Comentários

comentários