A Caixa Econômica Federal em Rondônia continua desrespeitando o que
ficou acordado entre o movimento sindical e a Federação Nacional dos
Bancos (Fenaban) que, por meio de Convenção Coletiva de Trabalho
(CCT), proíbe a divulgação de ranking’s dos empregados com base em seu
desempenho pessoal na venda de produtos.

Por meio de seus gestores, a Caixa publica, nos grupos de WhatsApp,
tabelas com os nomes dos bancários que mais venderam no mês e, de
forma descarada, ainda anuncia que estes trabalhadores receberão, como
‘premiação’ por desempenho, uma viagem a um luxuoso hotel tropical
localizado em Manaus (AM).

“Por muito tempo temos combatido esse tipo de prática que causa
somente constrangimento aos empregados e, depois de muita luta, com
longas, demoradas e extenuantes mesas de negociação com os
representantes patronais, tivemos um pequeno avanço nessa jornada, que
foi o acordo que determina a proibição de divulgação de ranqueamento,
de envio de mensagens por e-mail ou pelo celular. Mas, pelo que
podemos ver, a Caixa continua desrespeitando a CCT e os trabalhadores,
e isso não pode continuar, pois fere a individualidade do ser, pois
existem as diferenças entre as pessoas e os limites físico e mental de
cada um. Além disso, essa bizarra prática do banco não leva em conta
que o trabalho é executado em equipe e, portanto, a individualização
das metas gera conflitos e disputas entre colegas com habilidades e
responsabilidades diferentes, provocando a degradação dos ambientes de
trabalho”, menciona Euryale Brasil, secretário geral do Sindicato dos
Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de Rondônia (SEEB-RO) e
empregado da Caixa.

Comentários

comentários