Final de semana sanguinário em Porto Velho. No presídio, sempre em ebulição, dois presos acabaram morrendo. A PM conteve os confrontos e a tentativa de motim no Ênio Pinheiro. É sempre bom lembrar, para que ninguém se engane: no Brasil, quem manda nas cadeias são os presos, não as autoridades. Outro homem, criminoso, foi morto nas ruas, com 17 tiros e mais um, envolvido na mesma ocorrência, morreu nessa segunda. Uma mulher foi estrangulada e seu corpo achado dentro de uma mala. Mais violência e mortes foram registradas em outras regiões do Estado. Pelo país afora, o número de mortos ficou muito acima das vítimas da guerra na Síria, por exemplo, onde até armas químicas são usadas. No Rio, o crime organizado já domina boa parte da cidade.  As autoridades continuam brincando de segurança pública, ignorando que com a atual legislação, não há como escapar do domínio do medo e do crime. Ficam falando abobrinhas e defendendo direitos de bandidos, enquanto a população é transformada em vítima de guerra. Uma vergonha, essa omissão e essa criminosa incompetência. O que mais se ouve é que é necessária, antes de tudo, uma política social profunda, que dê oportunidade às crianças nascidas na miséria e na pobreza; que as coloque na escola; que as oriente para a vida; que dê apoio às suas famílias. Daí sim, nos livraríamos da violência. Não está errado quem pensa assim. Mas esse lindo e correto raciocínio, está voltado para o futuro. E hoje, o que fazer? Uma teoria elimina a outra? Ou seja, preparar as novas gerações para uma vida de oportunidades e não violência, não pode ser feita ao mesmo tempo em que os criminosos de hoje sejam severamente punidos? O que tem a ver uma coisa com a outra?

O Brasil precisa, já, porque não pode perder mais nem um dia, de uma profunda transformação nas leis, para acabarmos com o terrorismo, antes que ele acabe conosco. Penas duríssimas a crimes hediondos contra crianças, velhos, deficientes, mulheres, precisam começar a ser aplicadas. Quem os praticar tem que cumprir longas penas, sem direito a qualquer benefício antes de pagar, trancafiado dentro das celas, ao menos, metade do tempo da condenação. Não adianta pensar no futuro, apenas, porque do jeito que as coisas estão, no futuro só sobrevirão os bandidos. Gente do bem vai acabar extinta e, então, não haverá necessidade de programas sócias, porque o crime reinará!

 

 

 

O FIM DA DELEGALIXO

Delegalixo de Polícia! Era assim que a população e parte da mídia chamavam a Delegacia de Polícia de Ariquemes, enfim desativada nessa semana que terminou, com a inauguração da  Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp). Ao custo de 4 milhões e 500 mil reais e ainda oito meses de atraso. O prédio antigo era uma verdadeira vergonha. Foi substituído por uma obra de qualidade, que concentrará a maioria dos serviços policiais e dará à cidade uma nova e necessária estrutura nessa área. A Secretaria de Segurança vai destinar nada menos do que 120 servidores para atendimento no local, que segue o padrão das oito Unisp já construídas em várias regiões do Estado. Está na hora de o Governo aproveitar o embalo e melhorar a estrutura de outros prédios policiais, Estado afora, que também estão precisando de melhorias, até que outras Unisp sejam construídas. A Delegalixo de Ariquemes era apenas um exemplo da péssima qualidade de alguns prédios públicos na área da segurança. Com a inovação criada, as coisas começam a melhorar, aos poucos.

 

A VELHARIA NA POLÍTICA

Não vai ser fácil para a velharia da política largar o osso. Mesmo os que estão em óbvia decadência, ao menos até agora, nem sonham em abrir espaço para os novos que surgem, com grande popularidade, novas ideias e formas de fazer política e administrar. Uma prova concreta disso aconteceu na semana passada, no programa eleitoral do PSDB, em rádio e TV . Os mesmos de sempre (Alkmin, Aécio Neves e  Fernando Henrique Cardoso, entre outros), participaram. Quem ficou fora? Exatamente o novo nome tucano, que está caindo nas graças do eleitorado que quer ver a esquerda pelas costas: João Dória. O prefeito de São Paulo, ao que parece, ficará fora das indicações do seu partido à Presidência, em 2018, porque para essa posição, só os caciques podem ser opções, mesmo que o eleitor esteja cansado deles. O PSDB escondeu Dória, mas fez questão de valorizar outros caras novas, mas só os que não têm como afrontar a chefia. Daí, pode…

O ALTO ASTRAL DE MAURÃO

Continua repercutindo em todo o Estado, a participação do presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho no programa Papo de Redação, na Rádio Parecis FM, quando bateu um longo papo com os Dinossauros Everton Leoni, Beni Andrade, Jorge Peixoto e Sérgio Pires. O deputado Ezequiel Júnior também participou do encontro. Maurão anda com alto astral, com o bom humor lá em cima, pela forma como tem sido recebido em toda a Rondônia e pelo crescimento do seu nome como pré candidato ao Governo. Ele confirmou a intenção de disputar a eleição, “desde que seja essa a vontade do povo de Rondônia”, discursou, como todo o bom político e ouviu elogios pela forma como conseguiu transformar a Assembleia na casa do diálogo com a sociedade e com todos os poderes. O fato de o parlamento nunca mais ter vivido momentos de vergonha ante a população, com tantos rolos como houve num passado nem tão distante, também foi destacado. Aliás, desde quando Neodi Oliveira presidiu a ALE, as coisas começaram a mudar. Pioraram, mas pioraram muito, com Valter Araújo. Mas voltaram ao equilíbrio com Hermínio Coelho. E agora, melhoraram e avançaram mais ainda, sob Maurão.

DESTAQUES NO PAÍS

O governador Confúcio Moura e sua equipe andam comemorando mais um grande avanço, um novo reconhecimento de que as coisas, pela Rondônia que eles administram, andam melhorando bastante. Agora, o Estado recebeu nota 10 em transparência e combate à corrupção, através de duas instituições das mais respeitadas. A primeira delas, o poderoso Ministério Público Federal. A outra, a Controladora Geral da União, a CGU. Em ambos relatórios, Rondônia recebeu a nota mais alta, junto com apenas outros dois Estados. Cidades rondonienses também tiveram o mesmo destaque. Ji-Paraná, por exemplo, governada em segundo mandato pelo competente  e sério Jesualdo Pires, é uma das 60 cidades brasileiras que também receberam nota 10 nos mesmos quesitos. Certamente temos um longo caminho a percorrer, ainda, mas que estamos andando céleres para sermos um Estado exemplar para esse Brasil tão complicado, estamos sim!

JESUALDO E O FUTURO

Por falar em Jesualdo Pires, o seu segundo mandato à frente da Prefeitura de Ji-Paraná está tendo resultados ainda melhores que o primeiro. A cidade, que vai sediar a Rondônia Rural Show no outro final de semana (24 a 27 deste mês), tem o que comemorar. Além dessa feira, a maior da região norte, que deverá ter negócios próximos a meio bilhão de reais, a cidade vai ter, em breve, dois shoppings. Já a  educação de Ji-Paraná é usada como exemplo tanto dentro como fora de Rondônia. É uma administração que não tem confusões, muito menos denúncias e, no geral, levada com excelentes resultados, num clima de paz política e com diálogo com todos os setores. Jesualdo deve entrar para a história também, como o Prefeito que vai entregar uma das maiores obras da cidade, o Anel Viário, que há 20 anos deveria estar pronto, mas o estará agora, no final do segundo semestre de 2017. Tudo isso tem levado o nome dele como um daqueles em que se pode apostar, para dar mais um passo na política, no ano que vem. O Senado pode ser o caminho para o competente Jesualdo.

LADRÃO OU PRESO POLÍTICO?

O Partido dos Trabalhadores bem que tentou. No seu encontro nacional da semana retrasada, decidiu aprovar um texto onde Antônio Palocci, João Vaccari Neto e José Dirceu são “presos políticos”. Por que a decisão deste texto tão ridículo, para não dizer coisa pior? Apenas para tentar acalmar Palocci e impedir que ele aceitasse um acordo de delação premiada. Os dirigentes petistas sabem o mal que pode acontecer ao PT e ao seu maior líder, Lula, caso Palocci conte tudo mesmo. Dado o amplo acesso que Palocci tinha a Lula, correligionários avaliam que o estrago da delação será grande, chegando ao risco de inviabilizar a candidatura do ex Presidente no ano que vem. O PT entrou no desespero, pois ao tentar imputar a condição de “presos políticos” a ladrões confessos do erário, pisou de novo na bola, perante a Nação. Pior: tudo indica que Palocci vai abrir a boca, pra se salvar…

 

 

PERGUNTINHAS

 

Você sabia que um em cada três desempregados no mundo, nesse ano der 2017, será brasileiro? Haverá alguma saída para ao menos diminuir essa tragédia nacional?

Comentários

comentários