Quando o nome do vice prefeito de Porto Velho, Edgar do Boi, foi citado na delação premiada, por um dos ex diretores da JBS Friboi, Rondônia entrou no circuito da Lava Jato. Vem mais por aí. Agora, a grande discussão nacional, afora, é claro, a corrupção disseminada, do Presidente da República a vice prefeitos, é sobre se houve Justiça em liberar os donos da empresa que fizeram a delação e deduraram milhares de corruptos, país afora. Os irmãos Wesley e Joesley, nomes que parecem ser de dupla sertaneja daquelas bem ruins (se é que possa existir alguma que preste!), ganharam fácil de todo o mundo, inclusive no MP, no Judiciário, no Supremo. São mais espertos que todos, porque, malandros, ajudaram a limpar o Brasil e a própria sujeira. E, no final,  saíram ilesos, graças à forma como utilizaram os benefícios da lei, para acabarem morando, livres, leves e soltos nos Estados Unidos, mesmo depois de todos os crimes que cometeram. Então, afinal de contas, devem ou não pagar pelo que fizeram os bilionários irmãos da JBS? As opiniões vão se dividir, é claro. Mas, é importante que se leve em consideração que o caso da dupla sertaneja goiana, que ficou bilionária com golpes e corrupção, é diferenciado. Ambos mereceram o que conseguiram. Nada a ver com a legislação pífia e torta que rege nosso Brasil, sempre protegendo bandido. Mas tudo a ver com a ajuda que eles deram para que haja uma mudança radical na podridão do submundo da política, que, ao menos por algum tempo, vai ser higienizado.

Quando expuseram ao país o tipo de parte da classe política putrefata que temos, dando nomes, valores, locais, fotos, gravações e CPF; quando mostraram que um presidente da República recebe empresários para ouvir calado que juízes teriam sido comprados; quando mais de 1.850 políticos são expostos como corruptos, incluindo os dois últimos Presidentes da República e um dos senadores mais poderosos do país, temos sim que agradecer, mesmo que a contragosto. Wesley e Joesley  são sim criminosos. Tomara que fiquem longe do Brasil pelo resto de suas vidas e que nunca mais ponham seus negócios fétidos a desserviço do nosso país. Mas que eles, para se safarem, ajudaram a nos livrar de tantos cânceres, ajudaram sim. Já vão tarde, mas o bem que prestaram para uma limpeza geral nessa terra brasileira, ainda vai nos ajudar muito a depurar nossas tragédias…

 

 

 

JBS: TREZENTAS AUTUAÇÕES

Claro que, ao menos por enquanto, ninguém fala oficialmente, até porque o assunto é sigiloso e só pode ser abordado sob holofotes quando tudo estiver esclarecido. Mas o que se sabe, nos bastidores, é que o vice-prefeito afastado de Porto Velho, Edgar do Boi e o contador Clodoaldo Andrade, teriam “vendido” ao frigorífico JBS, benefícios que jamais poderiam entregar. Primeiro, pelo sistema complexo de controle da Secretaria de Finanças do Estado, que não permite burla. Depois, porque, em menos de cinco anos, o Governo rondoniense entregou nada menos do que 300 autuações e intimações à empresa. Essas autuações (multas), serão cobradas, todas. Ora, se tivesse havido alguma irregularidade, como explicar as três centenas de multas contra a JBS/Friboi em Rondônia?  Como a propina de 2 milhões de reais pagos à dupla Edgar/Clodoaldo teria representado 30 por cento do que a empresa deveria ter pago ao Estado (numa conta simples, a matemática aponta desvios próximos de 7 milhões de reais), onde teria acontecido esse desvio ou não pagamento de tributos? O caso agora vai ser levado ao Ministério Público pelo próprio Governo, para investigação profunda…

 

CONFÚCIO FORA!

Num pacote de governadores citados nas delações premiadas, pelo menos 16 dos eleitos estão envolvidos com recursos ilegais recebidos em suas campanhas. Na relação escrita a mão pelo dono da JBS, não há citação ao governador rondoniense Confúcio Moura. Ao menos é o que se vê numa lista publicada na imprensa nacional, no final de semana, que foi entregue à Justiça pelo empresário  Joesley Batista. No documento manuscrito, são citados como beneficiários da grana suja da JBS: José Ivo Sartori (RS), Renanzinho Calheiros (AL), Marcelo Miranda (TO), Pezão (RJ), Paulo Câmara PB), Rodrigo Rollemberg (DF), Beto Richa (PR), Geraldo Alkmin (SP), Simão Jatene (PA), Reinaldo Azambuja (MS), Camilo Santana (CE), Fernando Pimentel (MG), Raimundo Colombo (SC), Tião Viana (AC), Sueli Campos (RR) e Robson Faria (RN).  Em outras relações divulgadas pela imprensa local, aparecem também os nomes dos senadores Valdir Raupp e Acir Gurgacz e do deputado federal Marcos Rogério. Confúcio teria recebido apoio financeiro em 2010, mas através do partido e nunca pelo Caixa 2, segundo um importante assessor do Governo.

 

“MULTIDÃO” DE SETE

Na semana passada, um protesto foi convocado em Candeias do Jamari. Incluía desde a falta de segurança pública até duríssimas críticas ao prefeito Luiz Ikenohichi. Vereadores da oposição estariam por trás do movimento, inclusive nas ameaças de fechamento da BR 364. Como o caso eclodiu na imprensa, pelo menos dois dias antes do evento ocorrer, alguns “líderes”, que pregavam a esculhambação, obviamente recuaram. O resumo da ópera: no dia do tão anunciado protesto gigante, um total de sete pessoas compareceu ao evento. Isso mesmo: de uma população de mais de 20 mil pessoas, apenas sete (um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete!) apareceram para o tal protesto. Não seria bom, ao invés de estar convocando reuniões ridículas,, apenas com interesses políticos, que todas as lideranças de Candeias se unissem em torno da salvação de uma cidade que já tem problemas demais? E, convenhamos: lideranças que conseguem reunir uma “multidão” de sete, merecem algo mais do que boas risadas?

 

O ASFALTO VEM AÍ…

Depois de lançar um programa de asfaltamento nos distritos, no final de semana, o prefeito Hildon Chaves faz o mesmo na Capital, nessa terça, a partir do bairro Cuniã. Nessa etapa, serão asfaltadas 64 ruas, totalizando 21 quilômetros. São ruas que tiveram suas obras iniciadas ainda no governo Mauro Nazif e, segundo a atual administração, foram abandonadas após a eleição de novembro. Todas as ruas terão pavimentação asfáltica complementada com meio-fio, sarjetas e calçadas. Outros dois programas de asfaltamento (um com mais 21 quilômetros e o terceiro com 27 quilômetros), vão beneficiar vários bairros. Além disso tudo, a intenção do Prefeito de Porto Velho  é começar, ainda esse ano, mais uma frente de asfaltamento e melhorias na cidade, utilizando os 132 milhões de reais que ele consegue, através de emendas parlamentares, dos deputados federais e senadores rondonienses. Se tudo isso for mesmo realizado, certamente a cara da cidade vai mudar. Tomara que tudo não fique só na promessa!

 

A ASSEMBLEIA NA FEIRA

A Assembleia Legislativa realiza uma reunião diferente, nesta próxima sexta, dia 26. Atendendo indicação do deputado Laerte Gomes, o presidente Maurão de Carvalho convocou sessão itinerante, a partir das 15 horas, no Parque da Rondônia Rural Show, em Ji-Paraná. Na pauta, serão discutidos vários temas importantes para a realização central do Estado e, ao mesmo tempo, sobre questões voltadas ao agronegócio, na medida em que a feira reunirá produtores de todas as regiões.  Foi nesse contexto que a Assembleia decidiu realizar sua primeira itinerante do ano exatamente na cidade que sedia a feira e, mais que isso, no novo local da Rondônia Rural Show, que está na sexta edição e que já se tornou, em poucos anos, a maior feira de do setor em toda a região norte. A previsão deste ano é que ela alcance mais de meio bilhão de reais em negócios. A perspectiva é de que haja grande participação de público no encontro com os deputados estaduais, nesta sexta.

CUIDADO COM O AR

Num dos corredores do prédio da Secretaria Municipal da Fazenda, no centro de Porto Velho, um perigo constante. Gente distraída, que passa pelos corredores internos, pode acabar dando uma cabeçada em aparelhos de ar condicionado, que ficam perigosamente colocados em local  de acesso ao público. Ontem, mais uma vítima. O jornalista Sérgio Pires, que foi à Semfaz para tratar de um assunto privado, acabou batendo com força num dos aparelhos de ar, desprotegidos e na altura da cabeça de uma pessoa acima de 1 metro e 70. Não foi nada grave (aliás, os servidores da Semfaz foram prestativos e ajudaram muito, para estancar o sangue que saiu do ferimento, além do pessoal do Hospital da Guarnição e da equipe de enfermagem da Assembleia  Legislativa), mas o perigo continua. Várias pessoas já se feriram no local. Para quem não é da casa e não conhece o risco, seria bom colocar algum tipo de aviso, prevenindo acidentes. Antes que ocorra algo mais sério, do que, até agora, os cortes na cabeça de uma meia dúzia.

 

PERGUNTINHA.;

Terá sido apenas os holofotes que atraíram a OAB para uma cilada, a ponto de esquecer seu forte discurso do amplo direito de defesa e pedir o impeachment do Presidente Temer, antes que ele tenha tido sequer chance de praticar o contraditório, no caso da gravação com o dono da JBS?

 

Comentários

comentários