O fim pode ser o prenúncio de um novo começo, pois na natureza tudo se sucede numa ordem determinada, tudo gira de forma sincronizada e os ciclos se completam de forma que cada fim origina um novo começo.

No inverso tudo gravita, em torno de um ser maior, em ciclos contínuos e infinitos. Penso que a existência da vida, na terra, tem relação direta com seus movimentos rotacionais e transacionais.

Sem o movimento de rotação não teríamos dias e noites, e sem o movimento de translação não teríamos as estações do ano, ou seja, sem tais movimentos o tempo seria estático. Se o tempo fosse estático não teríamos consciência do passado e nem perspectivas do futuro. Não seria possível a existência dos ciclos da vida e, consequentemente, não teríamos os ciclos biológicos que é a sucessão das formas de um ser vivo, de uma geração à geração seguinte.

A vida é como um filme construída cena a cena, com atores e cenários diversos. Alguns cenários, alguns atores figuram conosco por longos tempos, outros nem tanto. Alguns deixam saudades outros não. Assim é a vida igual o ponteiro de um relógio, que a partir de sua entrada em funcionamento, conta continuamente, o passar do tempo. Não paramos para pensar, mas o tempo passa rápido e com ele passamos também.

Vale apena refletir acerca da construção do nosso filme. Pois no filme da vida não podemos voltar atrás e refazer as cenas e regravar aquilo que deu errado. Tudo é ao vivo, em tempo real. Uma vez praticada uma ação, seja ela boa ou ruim, ela existiu. Nem o arrependimento profundo nem o pedido de perdão eliminará a ação praticada. Podemos até amenizar os efeitos das ações negativas que praticamos, aprender com o resultado e moldar nosso comportamento para ações futuras, contudo isto não apagará o ato praticado. Portanto antes de tomarmos uma decisão, de falarmos alguma coisa para alguém devemos pensar muito bem. Não devemos agir por impulso, pois o nosso hoje reflete o que praticamos ontem.

Por outro lado, no filme da vida não sabemos qual cena iremos gravar no amanhã ou, até mesmo se existirá, para nós, o amanhã. Quantas vezes, programas nosso dia, nossa semana, nosso ano, e depois somos tomados por circunstâncias alheias a nossa vontade e toda programação é mudada. E o que dizer daquele que sai cedo de casa para o trabalho e repentinamente morre? Certamente este fato não estava na sua programação. Para saber mais acesse: www.agnaldonepomuceno.com.br

Agnaldo Nepomuceno

Comentários

comentários