A colheita deve ser realizada quando o inhame estiver amadurecido aproximadamente 180 dias após o plantio

A prefeitura de Porto Velho através da Subsecretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Semagric), realizou na semana passada o 1º dia de campo sobre a cultura do inhame na BR 364, km 67, linha Caracol, no sítio Rancho Velho de propriedade da família do produtor Ivo Santos de Matos, em Porto Velho.

O evento contou com a participação de 100 produtores e o objetivo da Semagric, foi disponibilizar conhecimentos técnicos sobre a cultura de inhame e divulgar mais uma alternativa de diversificação aos agricultores da capital. O dia de campo contou também com palestra pelo técnico da Emater do município de Seringueiras, João Francisco Filho, que falou aos produtores sobre o manejo inhame desde o plantio até a colheita e repassou os conhecimentos dos sistemas de irrigação.

O subsecretário da Semagric Francisco Evaldo de Lima, fez questão de realizar o dia de campo, para mostrar aos pequenos produtores rurais ligados a agricultura familiar, que o cultivo dessa batata será mais uma fonte de renda ao produtor da capital.

Essa cultura corresponde hoje uma das principais atividades agrícolas no município de São Francisco do Guaporé, que é pioneira no cultivo, e que se transformou em um grande polo produtor de inhame no estado de Rondônia, e por determinação do prefeito dr Hildon Chaves precisamos investir na produção do inhame também na capital”, comentou Evaldo.

Para o vice-prefeito Edgar Nilo Tonial, que também participou do dia de campo, a cultura do inhame vem se destacando na região da BR 429 pela boa produtividade alcançada e rentabilidade que tem proporcionado aos produtores.

O foco principal do prefeito dr Hildon é a produção agrícola. Sabemos que a união faz toda diferença, por isso a prefeitura de Porto Velho quer incentivar cada vez mais esse setor, e com a plantação do inhame, podemos chamar a atenção de grandes compradores e exportadores da produção, gera receitas para os cofres públicos e melhora a qualidade de vida das famílias produtoras”, disse Edgar do Boi.

A CULTURA

O inhame também conhecido como cará-da-costa (Dioscorea cayenensis), é uma planta de origem africana, sendo cultivado no mundo inteiro por se tratar de um alimento energético e de alto valor nutritivo. Esta cultura pode ser cultivada nas regiões tropicais e em diversos tipos de solos desde aqueles com textura arenosa, até os de textura argilosa-média, profundos, bem drenados e arejados.

Quando o cultivo é feito em condições de sequeiro, deve ser plantado no início das chuvas e quando em regime de irrigação, a melhor época é aquela em que a colheita coincide com o período da entressafra do inhame. O plantio pode ser feito em cova alta (matumbo) e em leirão ou camalhão, utilizando-se sementes inteiras ou partidas.

A colheita deve ser realizada quando o inhame estiver amadurecido aproximadamente aos 180 dias após o plantio. Seguindo algumas recomendações, e com as condições climáticas favoráveis.

Durante o dia de campo foram apresentados pratos feitos com Inhame, como pudim, mousse, purê entre outras delicias. O dia de Campo ainda contou com as presenças de presidentes de associações rurais, empresários, vice-presidente da Câmara Municipal, vereador Jurandir Bengala e o deputado estadual Ribamar Araújo.

Comentários

comentários