Semur trabalha a auto estima, valorização do convívio social e acesso às informações, considerando as dificuldades sociais

A equipe do Departamento de Projeto Social da Secretaria Municipal de Regularização Fundiária (Semur) realizou no último sábado (15) uma atividade denominada Oficina Recreativa para Idosos e Pessoas com Necessidades Especiais, nas dependências do Sesc Campestre, com o apoio de profissionais preparados para orientar o público com assuntos relacionados aos direitos da pessoa com necessidades especiais e idosas, com dinâmica de abordagens e exposições dialogadas.

A oficina foi dividia em três momentos: a primeira teve início às 8h, ainda nos empreendimentos, com recepção, embarque nos ônibus e controle de lista de presença dos participantes dos empreendimentos Porto Madero I, III, IV e Cidades de Todos I e II. Após isso, seguiram até o o Sesc Campestre e foram recebidos com dinâmica de acolhimento realizada pela Equipe de Recreação, que desenvolveu diversas atividades de arterapia, utilizando brincadeiras interativas sobre memória, exercícios de alongamento, musicoterapia e outros.

No segundo momento, os direitos da pessoa idosa e da pessoa com necessidades especiais foram explanados por profissionais da assistência social que usaram técnicas lúdicas e didáticas interagindo com os participantes. A assistente social, Nilva Lopes Ruiz, da Semasf, encerrou o segundo momento, trabalhando uma metodologia que possibilitou aos participantes fazer uma viagem imaginária pelo Rio Madeira, utilizando o chapéu “conhecimento dos direitos” e navegando no barquinho da tripulação da luta pelo direito, à moradia, à educação, ao esporte, lazer e saúde.

Para a secretária Márcia Luna, a iniciativa de realização de atividades como a proposta no Projeto Social do Programa Minha Casa Minha Vida, desenvolvido pela Semur se resume a duas palavras: “inclusão social”. “Nosso trabalho é proporcionar a essas pessoas auto estima, valorização do convívio social e acesso às informações, considerando suas dificuldades sociais”, declarou a secretária.

A titular ainda ressaltou a importância do Sesc nesse processo, que entendeu a proposta, possibilitando o acesso às diversas alternativas de recreação ali existentes. Na terceira e última etapa o grupo foi convidado a participar de trilha educativa, banho de piscina, jogos e nas demais atividades recreativas disponibilizadas no espaço, sob acompanhamento de um ou dois monitores, dependendo da atividade escolhida.

Fonte: Semur

Comentários

comentários