Quem quiser saber o estado de espírito do governador Confúcio Moura, tem que ler seu Blog. Ali ele manda recados, xinga, protesta, ameaça, avisa o que vai fazer, cobra de secretários e assessores e desce o cacete, quando acha que tem que fazê-lo. Sem meias palavras. Veja só algumas das pérolas postas no Blog do Confúcio, pelo Governador, nos últimos dias:

– “Folha de ponto dos servidores”. “Isto aqui é de matar. Todo mês sobe gente do interior à capital para entregar as benditas folhas de ponto. Grande parte extraviada. O servidor não recebe o salário. E aí vira um ziriguidum do diabo. Acabem com isto, pelo amor de Deus. Internet está aí nos seus beiços”.

– Sobre passagens aéreas: só serão liberadas, a não ser casos justificados e urgentes, aquelas que foram reservadas com 15 dias, no mínimo Motivo: preço da passagem. As viagens para o interior serão realizadas também por ônibus, em  vez de avião”.

– Sobre obras: “cansei de ser besta. O Governo do Estado se metendo no que não deve. Rua da Beira – Governo fez. Anel Viário de Ji-Paraná, uma fortuna, vinte anos de promessa, Governo fazendo. Rodovia Cerejeiras a Pimenteira (BR federal), Governo fazendo até pontes. BR 421 trecho Km 90 a Campo Novo – federal – Governo fazendo e mais 70 milhões. Aeroporto de Ji-Paraná – voos parando. DER foi lá e fez. Levei a conta ao Governo Federal – 170 milhões. Rolo. Fui pra lá, fui pra cá, com a cara de Mané e nada. Nada, nada, nada. Teve gente que me falou: quem mandou você fazer? Viu! o que é que o Estado ganhou? Ainda bem que está servindo ao próprio Estado”.

– Sobre o consumo de energia de uma escola pública (ele não citou o nome) O Governo corta o consumo de água e luz e só uma escola gastou R$ 72 mil reais de energia em um único mês”.

– Tem muito mais, mas ainda há uma reclamação dele contra o Dnit, sobre o Anel Viário da Capital, envolvido em poeira no verão e em barro no inverno. Por fim, o governador relatou: “Há reclamação do Hospital do Câncer e das Irmãs Santa Marcelina sobre a estrada do Expresso Porto. Mais de 1 mil carretas que circulavam pelo centro da cidade foram tiradas  e elas estão cortando voltas na região. As entidades pedem que o Governo do Estado realize a pavimentação. Depois de dizer que a obra é de responsabilidade do governo federal, Confúcio lamenta: “E agora, José? ? A faca enfiada no meu umbigo. Nem morto vou fazer estrada toda. Só um pedacinho para não ser excomungado por São Judas e Santa Marcelina. Eu quero ir pro céu”!

Confúcio não pode ser acusado de não ser transparente!

JBS VOLTA AO ABATE

O Grupo JBS, enterrado até o pescoço em escândalos, quer tentar sair dessa ciranda, buscando alternativas no trabalho e na ação produtiva. O gerente regional do Grupo Friboi em Rondônia, Bruno Brainer, disse em entrevista à Rádio Globo (SGC), que a partir desta semana, as quatro indústrias do grupo no Estado vão voltar a abater 80 mil cabeças por mês, produzido mais de 209 toneladas de uma das carnes consideradas de melhor qualidade no país. Do total da produção local, 85 por cento abastece o mercado interno e 15 por cento vai para a exportação. Os produtores rurais de Rondônia, que estavam vivendo dias de insegurança e temor, por causa da enorme crise econômica e ainda pela situação em que o vive o JBS, começam a respirar mais aliviados. Com o abate de quatro mil cabeças/dia, aproximadamente, as quatro plantas do Grupo frigorífico volta ao normal, trazendo normalidade também para o setor produtivo. Enfim, uma boa notícia, depois de semanas de insegurança…

MUITO OURO NO MADEIRA

Aos poucos, o garimpo volta à área proibida do rio Madeira, já que nunca há fiscalização permanente. Dragas e balsas trabalham das oito da noite às quatro da madrugada, mais ou menos, próximo à ponte, no bairro da Balsa. Antes do amanhecer, todos se recolhem para áreas bem mais distantes da área urbana. No domingo, quem passava pela ponte em direção a Humaitá, podia observar pelo menos meia centena de balsas e algumas dragas, garimpando ouro muito perto do centro da Capital. O garimpo nessa região é proibido, mas é bom que se diga que é exatamente entre cerca de 1 quilômetro da ponte em direção ao Baixa Madeira quanto outro quilômetro na direção das hidrelétricas, que se concentra um rico veio de ouro, ainda inexplorado. É por isso a concentração de tantos garimpeiros na área, mesmo correndo o risco de serem presos e de terem seus materiais apreendidos. Uma balsa pequena tira, por dia, em torno de 130 a 140 gramas de ouro do Madeira, naquela área. Em 30 dias, seriam 4 quilos e 200 gramas. Mais ou menos 525 mil reais. As dragas chegam a tirar entre 150 e 200 gramas por dia. Por isso, vale o risco. É só fazer a conta.

 

VISITANTES DO TERROR

Visitas ilustres não param de chegar no aeroporto internacional Jorge Teixeira, aquele mesmo que, de internacional, só tem o nome. Nessa semana, mais duas dezenas de ilustres convidados desceram de potentes aeronaves, para ocuparem celas no Presídio Federal de Porto Velho. São todos criminosos de alta periculosidade, dessa vez gangueiros do Rio Grande do Sul, que comandam o crime organizado de dentro das cadeias e que, como os gaúchos não mais os suportaram, nos mandaram embrulhados em algemas, como mais um presente grego.  Quando esses bandidões vêm para cá, trazem junto parte da sua quadrilha, embora das autoridades de segurança jurem que isso não existe. Quem sabe o quanto a criminalidade em Porto Velho aumentou depois da vinda de Fernandinho Beira Mar, Marcola e outros para cá, sabe bem o que aconteceu. Os asseclas ficam perto dos presídios, esperando as ordens dos chefões que, sim, sempre chegam a eles. O filme vai se repetir.

 

RESOLVENDO NUMA CANETADA

Atendendo pedido do Sindur, o sindicato dos servidores da Caerd, que estão em greve há semanas, sem receber qualquer contra proposta do governo, o Judiciário decidiu também intervir na estatal, como tem feito na Prefeitura e no governo do Estado, determinando a demissão de comissionados e a contratação apenas de concursados. A decisão, em primeira instância, atende ação civil público do Sindur e determina que a estatal demita todos os comissionados em 90 dias e que, a partir de agora, contrate apenas comissionados. Numa canetada, portanto, a Justiça de Rondônia tenta acabar com um caso em debate no país há décadas: a contratação de CDS, ou seja, aqueles servidores que são escolhidos pelos chefes das instituições, entidades ou empresas de economia mista, para trabalharem, sem terem prestado concurso. A legalidade ou não dessa decisão certamente ainda será discutida em instâncias superiores, mas que é um grande avanço contra o empreguismo no serviço público, é sim! Mesmo que seja também uma interferência de um poder sobre o outro, o que, na essência, parece inconstitucional.

 

DIA HISTÓRICO

É só o começo, mas já se deve comemorar sim!  Desde esta segunda, último dia de julho, consultas, tratamento com quimioterapia e coletas de sangue do Hospital do Câncer de Barretos, Unidade Porto Velho, começam a ser realizadas nas dependências do Hospital de Câncer da Amazônia, na BR-364. É o novo e gigantesco hospital, que poderá atender até 10 mil pessoas/mês, construído com apoio da comunidade, que dá início ao seus serviços para milhares de rondonienses e doentes de estados vizinhos, que também serão beneficiados. Os demais atendimentos permanecem no Barretinho, junto ao Hospital de Base, como a endoscopia, colonoscopia, broncoscopia, cirurgias, biópsia, ultrassom, internações e pronto-socorro. O grande Hospital do Câncer da Amazônia já é uma realidade. Rondônia tem mesmo que comemorar. E agradecer ao dr. Henrique Prata e toda a sua equipe, que tantas vidas têm ajudado a salvar.

NEGÓCIOS NA COREIA

Negócios na Ásia: em busca de novos mercados para nossos produtos (nossa carne, por exemplo, já é exportada para 45 países), o vice governador Daniel Pereira e o superintendente da Indústria e Comércio, Basílio Leandro, estão na Coreia, numa visita oficial de 10 dias. Produtos como café, peixe, castanha, açaí, cupuaçu, soja, arroz e milho, obviamente destacando-se a carne bovina de grande qualidade aqui produzida, estão sendo apresentados a um mercado de alto consumo e que está em busca de mais parceiros comerciais. Ameaçados por seus irmãos do norte, uma ditadura comunista que transformou a Coreia do Norte num dos países mais perigosos do mundo, inclusive por seu arsenal atômico, os 50 milhões de sul coreanos vivem num território que apenas um terço do de Rondônia, por exemplo e se destacam pelo grande avanço na educação. Daniel Pereira e Basílio andam encantados com o que estão vendo por lá…

PERGUNTINHA

Será que o parlamento brasileiro vai começar mesmo a definir, nessa semana, o caso da aceitação das denúncias contra o Presidente Temer ou permitirá que o mandato dele fique agonizando por mais alguns meses?

Comentários

comentários