Lula, Gleisi Hoffmann, Raul Castro; líderes do PT, do PDT, do PC do B.; do PSOL e outros partidos, nanicos ou não, que defendem as mesmas ideologias, estão “fechados” com o governo de Nicolás Maduro. Para essa turma toda, um grande Presidente, um democrata, um exemplo de governante para a América Latina. Ditadores adoram ditadores. Eles se conhecem. É uma pena que algumas informações importantes sobre como está vivendo o povo venezuelano, hoje, não sejam divulgadas com a mesma ênfase, como o são tais apoios de “cumpanheiros” ao ditador que assume agora plenos poderes. Vamos a algumas delas, desconhecidas do grande público:

1 –  Perto de 11 por cento de todas as crianças venezuelanas estão subnutridas;

2 — A economia do país, sob Maduro, está destroçada. O PIB do país deve cair pelo terceiro ano consecutivo e, no final de 2017, terá um resultado negativo de quase 21 por cento. É fracasso sobre fracasso!

3 — A inflação do país, ao que todos os números indicam, deve bater já nos próximos dias em 1.700 por cento, a maior do Planeta, nesse momento.

4 — Foram divulgados números de pesquisas de três universidades, sobre as condições de vida da população. Todas mostram que em torno de 82 por cento dos lares venezuelanos vivem na linha da pobreza, o que transforma o país no mais pobre da América Latina.

5 – A ditadura teve apoio, no plebiscito para criar a nova Constituinte, de apenas 12 por cento da população. Os protestos já registram 112 mortes. Os oposicionistas estão sendo presos. Mais de 250 intelectuais publicaram um manifesto, protestando contra o regime autoritário de Maduro.

6 – Cerca de 9 milhões e 600 mil  dos 31 milhões e 500 mil venezuelanos – quase um terço da população – comem menos de duas vezes por dia. A pobreza aumentou quase novo pontos percentuais entre 2015 e 2016, atingindo 82 por cento dos lares, enquanto 51 por cento vivem em situação de pobreza extrema, segundo a Pesquisa sobre Condições de Vida.

7 – A Venezuela se tornou o segundo país mais violento do mundo. Publicação anual sobre o tema diz que, em 2016, o país da Amazônia Internacional registrou mais de 16 mil homicídios e 5 mil mortes por resistência a autoridade.  No ano de 2016, aproximadamente 91 pessoas a cada 100 mil foram mortas violentamente no país.

8 – Já existem 200 mil venezuelanos vivendo na Colômbia, ainda em situação irregular. Os colombianos prometeram regularizar a situação de todos. Em relação ao Brasil, o número de refugiados venezuelanos aumenta todos os dias. Foram mais de 25 mil que entraram no país apenas nos últimos seis meses.

 

 

 

AS SENTENÇAS DO PCC

 

Há mais de uma semana, essa coluna publicou, com exclusividade, uma informação que só agora se tornou oficial. A mídia local e nacional começa a divulgar que o PCC, a maior organização criminosa hoje em ação no País, criou tribunais dentro das cadeias, para mandar matar autoridades. Pelo menos oito agentes penitenciários foram “condenados” à morte, entre os quais dois que trabalham no Presídio Federal de Rondônia. Um agente, entre os que poderiam ser alvo da violência, procurou esse jornalista, para denunciar o caso e pedir que o assunto fosse tornado público, porque os agentes, sem a mobilização da opinião pública, ficariam abandonados. Pelo menos três deles foram executados em pontos diferentes do país. Entre eles, uma psicóloga do Paraná, assassinada na porta de casa, com seu filho de dez meses nos braços, apenas porque não aprovou a liberação de um dos chefões do tráfico do presídio de Catanduvas. Aqui em Porto Velho, as sentenças do crime não foram executadas, porque o assunto se tornou público antes disso. Mesmo assim, o perigo continua. Os chefões mandam e desmandam dentro e fora das cadeias. E não há quem os controle. Ainda mais com essas leis pífias, de proteção aos criminosos.

 

RACHOU A BANCADA

A bancada rondoniense na Câmara Federal rachou, na votação desta quarta, quando houve a votação que decidiu, por ampla maioria, que o presidente Michel Temer não deve ser julgado pelo STF, nas denúncias de corrupção de que está sendo alvo. Dos oito deputados federais, cinco ficaram ao lado de Temer e três foram contra. Os votos anti Temer de Mariana Carvalho e de Expedito Neto já se esperava. A surpresa foi o fato do deputado Marcos Rogério, do DEM, ter ido contra seu partido, que fechou, praticamente todo, com o Presidente. O líder da bancada, Nilton Capixava, votou com Temer. O mesmo fizeram Marinha Raupp, Lindomar Garçon, Lúcio Mosquini e Luiz Cláudio. A base aliada foi mais forte, até porque foi regada a liberação de emendas parlamentares. A oposição não se arregimentou corretamente. A surpresa foi ver tucanos e pedessistas, por exemplo, unidos com o PT, o PSOL e o PC do B. Só no Brasil mesmo!

O OUTRO LADO DO GARIMPO

 

Sobre o garimpo na região, onde centenas e centenas de balsas e dragas trabalham ilegalmente, retirando toneladas de ouro do rio Madeira e outros rios da Amazônia, importante autoridade do Estado comentou o assunto. Afirmou, com razão, que há um outro lado que precisa ser analisado profundamente: os prejuízos que o garimpo causa ao meio ambiente, por exemplo. E mais: “a órbita do garimpo é nociva a sociedade. O garimpo depreda muito o ambiente. Os metais pesados, principalmente mercúrio, vão para o rio e são absorvidos pelos peixes. Isso arrebenta com o ser humano, quando se alimenta dos peixes. Cria inclusive mutações em fetos.  Além disso, o garimpo, como existe hoje, têm ligação muito forte com o tráfico de drogas, com o contrabando, com a prostituição. Então nós temos muitas coisas ruins que orbitam o garimpo artesanal, como é praticado por aqui. Talvez por falta de regulamentação e fiscalização e ausência do Poder público, embora não se tenha conhecimento de alguma experiência de  garimpo organizado, ordenado, no Brasil. Claro que o assunto deve ser debatido pela sociedade. Mas é um tema que exige grandes debates e profundidade”. Na área entre Manicoré e  Nova Aripuanã, por exemplo, são extraídos cerca de 90 quilos de ouro por dia. Um faturamento superior a 11 milhões de reais/dia.

 

 

RECORDISTA DE CACOAL

Para se ter uma ideia da impossibilidade de que, com a atual legislação, se possa resolver os problemas da segurança pública, pode ser usar apenas um exemplo, ocorrido em Cacoal, mas que sintetiza bem a triste história que se repete em cada canto este país. Figuraça muito conhecida da polícia da região, Adailton José da Silva está prestes a bater um recorde. Nessa semana, foi preso pela 24ª vez. Hoje com 27 anos, desde os 16 ele já praticou todos os crimes que se possa imaginar. Só não matou ninguém ainda, embora tenha tentado mais de uma vez. Ele entra e sai da cadeia por crimes como roubo, assalto, lesão corporal, embriaguez, pose de drogas, perturbação da ordem, tentativa de homicídio, agressões violentas e outras “cositas más”. Normalmente, entra por uma porta das cadeias e sai pela outra. Estava foragido, depois da última prisão, quando foi pego em flagrante pela PM de Cacoal. Pelo histórico, em breve Adailton estará nas ruas de novo. Parece que sua meta é entrar para o Guiness, como o cara que mais vezes foi preso no Brasil. Tem jeito um país que deixa gente assim solta, nas ruas?

 

CRIANÇAS INCENDIÁRIAS

Um menor teria confessado a participação no incêndio que destruiu seis salas de aulas na Escola Estadual Marcos Freire, no bairro Ronaldo Aragão, na Zona Leste de Porto Velho. O fogo destruiu boa parte de uma das escolas mais tradicionais da Capital, que já sofreu de tudo, mas continua de pé. A Seduc garante que em pouco tempo as salas serão recuperadas e as aulas logo voltarão ao normal.  Tudo teria começado com uma brincadeira de meninos, daquelas brincadeiras idiotas que jamais aconteceriam, por exemplo, em escolas militarizadas. Um grupo de garotos começou a brincar com fogo e quando viram, a situação já estava descontrolada. Um menino de 15 anos, teria confessado a participação na brincadeira de mau gosto, que destruiu boa parte da escola. A verdade é uma só: enquanto não houver mais disciplina nas escolas; enquanto os estudantes continuarem fazendo o que vem entendem; enquanto não houver rigidez de controle das ações dos menores, não há segurança alguma no sistema educacional. A militarização das escolas, tão criticada por meia dúzia e elogiada pela grande maioria dos pais e das comunidades, é uma das poucas alternativas para fazer uma depuração dentro dos educandários, livrando-os dos marginais e deixando para estudar quem quer mesmo aprender e ter uma vida digna. Pronto. Falei!

 

 

 

EXCRESCÊNCIA DA FEDERAL

 

As exportações da carne rondoniense, que andavam em baixa nos últimos meses, voltaram a agitar o mercado, com um crescimento de mais de 24 por cento em julho e, apenas nas carnes desossadas, frescas ou refrigeradas, o aumento nas vendas ao exterior significaram um crescimento de 51 por cento.  Mais de 14 toneladas foram vendidas para vários países. Depois da Operação Carne Fraca, aquela excrescência da Polícia Federal que causou milhões e milhões de dólares de prejuízo ao setor produto brasileiro, aos poucos as coisas vão se acomodando novamente.  Rondônia, que nada tinha a ver com os problemas denunciados na ocasião, estava registrando também enormes perdas. O mercado melhorou, contudo e a qualidade da nossa carne rondoniense começa a ser reconhecida também em outros mercados. Ela já é exportada para 45 países e pode, em breve, começar a ser vendidas para a União Europeia. Já estaríamos negociando com os europeus, não fosse a ação atabalhoada da PF no caso da carne. Enfim, luz no fim do túnel para nosso agronegócio, cada vez mais em alta…

 

 

PERGUNTINHA

Depois do circo na Câmara Federal, no caso Michel Temer, será que agora o Congresso vai começar a se mexer e começar a votar, de verdade, as reformas tão necessárias para que esse país saia da paralisia econômica em que se encontra?

 

Comentários

comentários