A cesta básica mais barata do Brasil em julho foi mais uma vez a comercializada, em Rio Branco, capital do Acre, segundo a pesquisa mensal do Departamento Intersindical de Estudos e Estatísticas (Dieese).

Entre janeiro e julho de 2017, o custo da cesta apresentou queda em 18 capitais, com destaque, como foi citado, para Rio Branco: -13,63% em relação ao apurado ao longo deste ano. Manaus com redução de 8,51%, Cuiabá (-7,32%) e Campo Grande (-6,34%) são as outras onde ocorreram as maiores reduções.De outro lado, as maiores altas acumuladas foram registradas em Aracaju (4,17%), Recife (3,93%) e São Luís (3,24%).

Em Porto Velho cesta tem o lado estimado em 385,76 com um aumento de 0,47 % é a primeira entre as capitais que tiveram aumento.

Dado de se estranhar é que Rio Branco e Manaus tiveram baixa mesmo sendo mais distantes dos grandes centros.

Em 12 meses, 16 cidades acumularam alta. As elevações mais expressivas foram observadas em Natal (8,14%), Fortaleza (7,83%) e Aracaju (7,59%). Já as principais reduções ocorreram em Belo Horizonte (-4,38%), Brasília (-4,32%) e Manaus (-2,89%).

Nos primeiros cinco meses de 2017, 11 capitais acumularam alta, com destaque para Recife (9,03%), Aracaju (6,10%), Teresina (4,86%) e João Pessoa (4,82%). As maiores retrações aconteceram em Rio Branco (-13,34%), Cuiabá (-5,56%), Manaus (-5,10%) e Maceió (-3,59%)

Comentários

comentários