Não se pode ignorar o grande esforço feito pelas autoridades competentes, para realizar um encontro nacional de secretários de segurança, como o que foi feito em Porto Velho e que  durou três dias. Foram discutidos planos, projetos, medidas práticas e teóricas para enfrentar a criminalidade que assola nosso País. Ao definir que as questões de fronteira são prioritárias, para impedir a entrada de armas e drogas refletindo com isso em melhorias na segurança do Brasil como um todo, nossas autoridades que aqui estiveram contribuíram, de alguma forma, para que possamos tentar superar essa guerra civil que a bandidagem decretou e executa contra a população brasileira. Qualquer coisa que se faça em termos de mais segurança pública, é louvável e deve ter todo o apoio da coletividade. Mas….Que avanços reais se pode conseguir contra o crime, se a polícia planeja; se a polícia descobre; se a inteligência da polícia descobre; se a polícia prende, mas as leis brasileiras mandam soltar? Há alguma medida real que possa proteger a comunidade, quando um assassino destrói uma família inteira e, quando julgado  e se condenado, em poucos meses têm o direito de estar na rua de novo? Que medida a polícia, como instituição, pode tomar para tirar de circulação um tarado que ataca mulheres dentro dos ônibus, ejacula no pescoço de uma delas e, horas depois de preso, é colocado na rua de novo, como se nada tivesse acontecido? O que fazer pela segurança da sociedade quando, em vários locais (nas “comunidades” que não se podem se chamar de favelas, por exemplo), a população ataca a polícia, ofende e ameaça e ainda essa lamentável reação é tratada, em grande parte da mídia, como se fosse a correta? Adianta colocar um policial para cuidar de cada pessoa, se o bandido que ataca vai continuar tendo tratamento vip pelas leis e ter proteção como nenhum cidadão de bem sonha ter?

Com todo o respeito às autoridades da segurança, que trabalham duro, que planejam, que tentam ao menos amenizar a situação dramática que vive nosso país, refém dos criminosos: como nenhum deles abriu a boca para exigir do Congresso ou do Governo que, antes de qualquer coisa, sejam mudadas as leis que protegem o crime, é porque certamente acham que poderão conter a bandidagem com a estrutura legal que existe hoje. Eles sabem, nós sabemos, qualquer leigo sabe: não vai ter jeito, enquanto a impunidade e o incentivo ao crime continuarem vigorando no nosso Código Penal. Perde-se tempo, dinheiro, esforços e suor, para resultados pífios. Por que a polícia prende, mas nossas leis absurdas e doentias mandam soltar. É enxugar gelo. Pronto. Falei!

 

 

 

 

SID, O EX PETISTA

Porto Velho assistiu, nessa semana, a uma cena inédita na política: uma reunião partidária em  homenagem a alguém que se desfilia da sigla. Isso mesmo. Com discurso de despedida e tudo. Foi o que aconteceu com o ex vereador e hoje diretor da Fhemeron, Sid Orleans, que deixou o Partido dos Trabalhadores depois de vários anos de militância. Discursos emocionados, abraços, quase lágrimas, enfim, algo completamente inédito na política brasileira: uma cerimônia de despedida de um agora ex militante convicto.  O texto distribuído à imprensa, depois de sua saída do PT, diz o seguinte, sobre o agora ex petista apaixonado: “Emocionado, Sid Orleans ressaltou que o Partido dos Trabalhadores foi uma escola em que aprendeu e se dedicou com honra durante os dois mandados na Câmara de Vereadores. Ao tecer comentários sobre o destino político, Sid argumentou que recebeu convites de seis partidos, mas não adiantou o futuro e  resumiu apenas com a frase: Será um novo passo e levo comigo na bagagem toda minha honra e respeito à população”. Depois quando dizem que Rondônia é uma terra em que acontecem muitas coisas estranhas, tem muita gente que não gosta!

 

ESCOLHA CORRETA

A ordem é do chefe, mas quem a executa corretamente, por vezes melhor do que o esperado, merece também os créditos. O secretário de finanças do Estado, Wagner Garcia, faz parte desse tipo de assessor. O governador Confúcio Moura tem tido nele um parceiro de qualidade, responsável por tocar não só os projetos que visem controlar o gasto da máquina pública, como ainda fazer sobrar dinheiro para obras. Wagner é um funcionário público de carreira e tem dado mostras que nos quadros dos concursados, os gestores podem encontrar muita gente de qualidade. Não é preciso se ter tantos cargos comissionados, se dentro da própria estrutura do Estado há gente da qualidade de Wagner, só para citar um exemplo. Aliás, neste contexto, pode-se dizer que Confúcio também fez o que prometeu: cortou mais de 1.700 cargos de apaniguados e indicados políticos, sem que houvesse, aliás, qualquer prejuízo no andamento da máquina pública. Há ainda muita coisa a ser feita no Governo, mas na área das finanças, Rondônia poucas vezes esteve tão bem servida. Talvez uns dois ou três Wagner a mais na estrutura do governo, melhorasse também algumas coisas que não andam…

MIRANDO O SENADO

Pessoalmente, Confúcio Moura mantém silêncio sobre uma eventual candidatura em 2018. Mas seus assessores e parceiros não perdem tempo em deixar claro que o chefe vai sim disputar o Senado no ano que vem. Nas redes sociais, difícil não haver o dia em que alguma postagem, vinda da turma confunciana, não aponte a possibilidade de ele deixar o PMDB para concorrer por outra sigla, já que no seu partido já há o nome certo de Valdir Raupp e não haveria espaço para dois da mesma sigla tentarem as únicas duas cadeiras. Já “colocaram” Confúcio em vários partidos pequenos, mas agora mais recentemente já se fala que ele poderia ir para o PDT, para o PTB ou ainda para o PSB, do seu vice, Daniel Pereira. Não se pode fechar nenhuma das portas, mas, ao menos por enquanto, o Governador usa a estratégia de não se pronunciar sobre o assunto. Quando questionado se será candidato ao Senado ou não, até agora a resposta tem sido negativa. Até quando, não se sabe!

SACANAGEM COM RONDÔNIA

Continua a vergonhosa bandalheira que a União pratica contra os rondonienses que têm direito à transposição. É só sofrimento, más notícias, obstáculos, sacanagens, pegadinhas legais. Tudo para não cumprir o que já deveria ter sido feito há décadas, o que já beneficiou servidores de outros territórios, mas quando o assunto é para atender os interesses de Rondônia, a coisa é tratada com desrespeito e deboche. Mensalmente, apenas processos têm andado. Alguns servidores inclusive, que já estavam na folha de pagamento da União, foram retirados por uma bobagem inventada, mas que felizmente já foi corrigida. Dos cinco mil que aguardam desesperadamente que seus processos andem, apenas algumas centenas já foram transpostos. Já era terrível no governo Dilma. No governo Temer, a situação para o andamento da transposição se tornou ainda pior. Não há o que faça o governo federal cumprir sua obrigação e passar os ex servidores do território para sua folha. Parece mentira, mas infelizmente não é!

GUERRA CONTRA O POVO

A certeza é de que, nas próximas semanas, já se chegue a pelo menos 100 mil venezuelanos que fogem desesperados da ditadura de Nícolas Maduro, no seu país e vêm procurar abrigo no Brasil. O numero crescente de famílias de refugiados é assustador. A guerra decretada pelo governo contra seu próprio povo, com apoio das Forças Armadas e de militares, técnicos e milhares de cubanos que vivem há anos no país, deixa a Venezuela faminta e em estado permanente de degradação. Nessa semana, por exemplos, dois refugiados, que conseguiram escapar do país de moto, chegaram a Rondônia. No programa Papo de Redação, da Rádio Parecis e em reportagem da SICTV , eles contaram não só seus dramas pessoas, mas a tragédia que se assolou sobre um país que, até há pouco mais de duas décadas, era um dos mais desenvolvidos e com previsão de um futuro brilhante, em toda a América Latina. É mais uma Nação que a esquerda brutal e doentia destrói. O rol dessas desgraças em todo o mundo parece não ter fim…

SÓ OS OUTROS ERRAM!

“Não mediram as consequências de tirar uma presidente eleita sabendo que não havia crime de responsabilidade. É ridícula essa pedalada, principalmente nos dias que correm. Estão indo para um déficit de 180 bilhões de reais. Eles não fugirão de aumentar impostos. Qual era a versão? Me tira, e a fadinha da expectativa trará o investimento estrangeiro de volta. A crise de confiança desaparecerá. Era uma discussão primária, com aquele pato amarelo na rua. Isso mostra a pouca seriedade do processo.” Um ano depois de defenestrada do Poder, Dilma Rousseff mostra que não aprendeu nada, numa longa entrevista à Folha de São Paulo. Não errou. Não cometeu crime. Foi vítima de um golpe. Ela e o PT é que sabiam governar o Brasil. Inacreditável como tanto ela quanto Lula e seus seguidores adoram se fazer de vítimas, vivendo a negação do que fizeram para destruir um país. Vade retro, Dona Dilma! E leve sua turma consigo!

 

PERGUNTINHA

O que esperar de um país em que um chefe de quadrilha, responsável por se aliar a pelo menos dois mil criminosos para roubar dinheiro público, chama o Presidente da República de ladrão e ainda é apoiado por parte da mídia?

Comentários

comentários