A família de Adeilson Lenke, 46 anos, reclama que as autoridades competentes encerraram há dias as buscas ao avião que está desaparecido e supostamente teria caído na área da reserva indígena em São Miguel do Guaporé. Ele é irmão do ex-presidente da Câmara Municipal de Jaru, Agnaldo da Silva Lenke, o Agnaldão.

Nesta terça-feira (22) a esposa de Adeilson, Lourdes Maria de Oliveira e o filho Jhon Robert Lenke, entraram em contato com a reportagem do site Anoticiamais para informar que as buscas ao avião, que está desaparecido desde o último domingo (13), não vêm sendo realizadas há cerca de uma semana e fez um apelo ao Governo do Estado para que se sensibilize e ordene nova varredura na área onde supostamente o avião teria caído para tentar localizar a aeronave.

Lourdes declarou que o marido trabalha em um garimpo na região de Novo Progresso no Pará e que não era ele quem estaria pilotando o avião. Segundo ela, as buscas foram encerradas pelo fato da aeronave ser clandestina e que não soube informar à Polícia de onde o avião decolou.

A reserva Rio Branco, área onde o avião teria caído, é composta por 236 mil hectares de mata fechada e as buscas vêm sendo realizadas apenas por familiares e moradores da região com ajuda de índios.

Fonte: Anoticiamais

Comentários

comentários