Uma equipe de buscas localizou depois de 10 dias na mata os destroços de um avião de pequeno porte que caiu na área da reserva indígena Rio Branco, em São Miguel do Guaporé, no qual estava o garimpeiro Adeilson Lenke, 46 anos. A aeronave explodiu ao cair ao solo, não havendo sobreviventes.

O avião foi localizado por uma equipe de buscas terrestres formada por cerca de 12 moradores da região, índios e familiares de Adeilson no final da tarde da última segunda-feira (21), mas como não havia como manter contato, apenas na tarde desta terça-feira (22) a notícia chegou à família, que cobrava das autoridades que retomassem as buscas aéreas.

Família de Adeilson Lenke pede que buscas a avião que teria caído em Rondônia sejam retomadas

Ainda não há informações sobre o números de pessoas que estariam a bordo da aeronave, mas segundo a esposa de Lenke, ele não pilotava, o que faz entender que pelo menos outra pessoa estaria no avião no momento da queda.

Um helicóptero do Corpo de Bombeiros também sobrevoou a área nesta terça-feira e deve realizar o resgate dos restos mortais das vítimas nesta quarta-feira (23).

Adeilson Lenke trabalhava em um garimpo na região de Novo Progresso no Pará e era irmão do ex-presidente da Câmara Municipal de Jaru, Agnaldo da Silva Lenke, o Agnaldão.

Fonte: Anoticiamais

Comentários

comentários