Imagem ilustrativa

Grupo que atuava em Guajará-Mirim movimentou cerca de R$ 20 milhões

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira, 26, a Operação “Câmbio Guayará”, com o objetivo de desarticular uma associação criminosa especializada em evasão de divisas, operações financeiras não autorizadas e lavagem de capitais, que atuava na cidade de Guajará-Mirim, na fronteira com a Bolívia.

Estão sendo cumpridos 09 mandados judiciais, sendo 04 de prisão temporárias e 05 de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal em Guajará-Mirim.

A Polícia Federal identificou que os investigados recebiam, em suas contas bancárias e em contas de “laranjas”, transferências e depósitos advindos de pessoas domiciliadas em diversos Estados do Brasil. Logo em seguida, sacavam os valores e transportavam o numerário até a Bolívia, onde efetuavam o câmbio e depositavam em contas de pessoas residentes no país vizinho.

Para organizar suas atividades, os investigados utilizavam um grupo no aplicativo WhatsApp denominado “Câmbio Guayará”, por meio do qual trocavam informações e negociavam moedas estrangeiras por valores abaixo dos praticados no mercado.

No período investigado, o grupo movimentou, aproximadamente, R$20 milhões de reais e ostentava padrão de vida incompatível com a capacidade financeira.

A Justiça Federal determinou bloqueio das contas bancárias dos investigados.

Os presos, após serem ouvidos na Delegacia de Polícia Federal em Guajará-Mirim, serão encaminhados para presídios estaduais e responderão pelos crimes previsto nos artigos 22 da Lei Federal 7.492/86, 16 da Lei Federal 7.492/86 e 1° da Lei Federal 9.613/98.

 

 

Comentários

comentários