A 23ª edição da Pesquisa cccc de Rodovias, divulgada pela Confederação Nacional do Transporte e pelo SEST SENAT nesta terça-feira (22) mostra que o trecho da BR 364 entre Porto Velho e Rio Branco é considerado ´regular´ pela avaliação, ocupando a 97ª posição entre 109 ligações rodoviárias estudadas.

A melhor ligação rodoviária do Brasil, segundo a CNT, está nas rodovias SP065 e SP340, no trecho entre Campinas e Jacareí, em São Paulo. A pior está entre Natividade, no Tocantins, e Barreira, na Bahia. Esse trecho tem partes de uma rodovia federal e de quatro estaduais.

O levantamento constata piora nas condições das características observadas. Quem viaja regularmente pelo trecho Porto Velho-Rio Branco o considera ruim ao invés de regular. “Tem muito buraco”, disse um empresário que com o fim dos voos entre as duas cidades passou a usar ônibus para esses deslocamentos.

Apenas para se ter uma ideia, a CNT constatou 50 pontos críticos na BR-364 no trecho dentro do Acre, 27 com erosão de pista.

 

Além de abordar a situação das rodovias sob gestão pública e sob gestão concedida, o estudo também realiza o levantamento das infraestruturas de apoio, como trechos com postos de abastecimento, borracharias, concessionárias e oficinas mecânicas, restaurantes e lanchonetes disponíveis ao longo das rodovias. Neste ano, uma novidade é o Painel CNT de Consultas Dinâmicas da Pesquisa CNT de Rodovias no site da Confederação, no qual é possível verificar os resultados nacionais e por Unidade da Federação, dados de investimentos, acidentes e meio ambiente, entre outros.

Segundo a Pesquisa, as condições das rodovias impactam diretamente nos custos do transporte. Neste ano, estima-se que, na média nacional, as inadequações do pavimento resultaram em uma elevação do custo operacional do transporte em torno de 28,5%, sendo que o maior índice foi registrado na região Norte (+ de 38,5%). Transporte mais caro significa produtos mais caros e menor.

Edmilson Ferreira

ac24 horas

Comentários

comentários