Companhia está presente em 11 estados brasileiros e deve priorizar recursos para a distribuição de energia no Acre e em Rondônia
O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque (esq.), e Ricardo Perez Botelho, da Energisa, ao lado de Bolsonaro e acompanhado de assessores — Foto: Carolina Antunes/PR

Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link https://valor.globo.com/empresas/noticia/2019/11/21/apos-encontro-com-bolsonaro-ceo-da-energisa-diz-que-investira-r-75-bi.ghtml ou as ferramentas oferecidas na página.
Textos, fotos, artes e vídeos do Valor estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Valor ([email protected]). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o Valor faz na qualidade de seu jornalismo.

Em audiência com o presidente Jair Bolsonaro, o presidente da Energisa, Ricardo Perez Botelho, anunciou hoje que o grupo pretende investir R$ 7,5 bilhões no país até 2022. Uma das prioridades será destinar R$ 1,5 bilhão para qualificar a distribuição de energia no Acre e em Rondônia, estados onde a Energisa adquiriu distribuidoras recentemente.

Botelho afirmou que 20% da população desses dois estados não está ligada ao Sistema Interligado Nacional.

“São lugares atendidos por sistemas isolados, a diesel. Nosso objetivo, até 2022, é poder conectar todos esses clientes por linhas que nós vamos construir”, explicou.

O presidente da companhia assegurou que os investimentos não implicarão em custo extra de tarifa para os clientes.

A Energisa está presente em 11 estados, atende 10% da população e 24% da área territorial do país.

No último balanço, o grupo informou queda anual de 85,8% no lucro líquido atribuído aos acionistas controladores, que foi de R$ 34,5 milhões no período. O resultado foi afetado justamente pela aquisição das distribuidoras Energisa Rondônia e Energisa Acre e por efeitos extraordinários.

Por Matheus Schuch, Valor

Comentários

comentários